Afinal, como posso descobrir se meu nome está sujo e o que fazer nessa situação?

Ter o CPF negativado pode tornar mais difícil conseguir um empréstimo. Veja como saber e o que fazer

Zero
Dívida
Por Redacao PAN

Você já ouviu falar em estar com o “nome sujo”? Essa é uma forma popular de se referir à situação de quando o CPF está negativado em serviços de proteção ao crédito. Isso acontece geralmente quando uma pessoa deixa de pagar uma dívida - quando ela fica inadimplente.

E, em outubro de 2021, 26,1% das famílias brasileiras estavam com alguma conta em atraso, segundo levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).  

Os principais motivos que levam as pessoas a ficarem inadimplentes são, pela ordem, estar  sem emprego, emprestar o nome a alguém e descontrole de suas finanças, de acordo com pesquisa da Opinion Box.

Essa situação torna a vida financeira de uma pessoa mais difícil. Ela terá mais dificuldades de conseguir um empréstimo, por exemplo. Outra consequência é que, possivelmente, deve pagar taxas de juros mais altas se obtiver um crédito.

Entenda nesse artigo como descobrir se seu nome está sujo, ou negativado, e o que fazer para  solucionar.

O que é nome sujo?

Nome sujo é o apelido “popular” para quem está com o CPF inscrito em algum dos serviços de proteção ao crédito, ou birôs de crédito. De forma simples, quem está nessa situação fez alguma compra que não pagou ou deixou de quitar alguma conta ou empréstimo.

Esse apelido tem origem no termo “nome sujo na praça”, usado antigamente por grandes redes de lojas para fazer referência a quem não tinha pago contas. O tempo passou, o “na praça” saiu e o termo ficou mais curto, mas com o mesmo significado.

O que acontece quando o CPF está negativado?

Instituições que concedem crédito, como bancos, financeiras e até lojas, costumam consultar as listas dos serviços de proteção de crédito na hora de tomar a decisão de aprovar um empréstimo ou não. Outros setores, como locação de imóveis, por exemplo, também podem fazer a mesma consulta.

Estar com o CPF negativado nessas listas em geral complica a obtenção desses serviços. O crédito pode ser negado ou sair com taxas mais altas do que as conferidas a quem não está nelas. Da mesma forma, a pessoa pode não conseguir alugar um imóvel que estava interessada.

Outra consequência é que quem entra numa lista dessas pode ter os limites de crédito reduzidos em cartões de crédito, por exemplo. Ou ter pedido de aumento de limite negado. Essa medida, ao final, evita novos gastos no cartão, aumentando ainda mais o endividamento. 

Como posso saber se estou com o CPF negativado? 

Ilustração de fundo azul mostra homem negro de cabelos negros e camiseta cinza com os dois braços dobrados ao lado do corpo fazendo expressão de dúvida ou pergunta, con dois pontos de interrogação brancos acima de sua cabeça

Se você está com alguma conta ou pagamento em atraso, é bom ter atenção: seu nome pode estar nas listas dos serviços de proteção ao crédito, com a informação de que está inadimplente. 

No Brasil, as empresas autorizadas a fazer esse tipo de trabalho são:

Em geral, é possível fazer consultas gratuitas nos sites dessas empresas, a partir do CPF. Para isso, basta entrar em um dos links acima e seguir as instruções. 

Pode acontecer de você ter esquecido de pagar alguma conta e ficar com restrição no nome. E só descobrir quando for fazer uma transação financeira. 

Outra possibilidade é, por exemplo, quando a pessoa muda de endereço e esquece de atualizar o cadastro em alguma empresa. Com isso, um boleto de cobrança enviado para o antigo endereço não vai chegar até essa pessoa. 

Como não ficou sabendo da dívida, ela não a quitou. E isso fez com que fosse parar no cadastro de restrição dos órgãos de proteção ao crédito.

Por isso, é importante manter o controle de suas despesas e, quando for pedir um empréstimo ou aumento de limite no cartão, consultar antes se está tudo certo. 

O que a pessoa precisa fazer para “limpar” o nome?

A situação de estar com o CPF negativado é desagradável, mas tem solução. Seguindo alguns passos, e com controle financeiro, dá para sair dela. Veja como proceder.

  1. Consultar o CPF

O primeiro passo é consultar o cadastro e descobrir quais dívidas estão provocando a restrição no CPF. O site do Serasa Consumidor oferece consulta gratuita de CPF.

Saber quais dívidas estão em atraso é uma informação essencial para solucionar o problema. Pode ser que o valor nem seja tão alto. 

  1. Entrar em contato com a empresa para quem está devendo

Mulher negra com cabelos crespos pretos fala ao celular. Ela usa blusa azul de mangas curtas, óculos e uma faixa cinza no cabelo. Ao fundo, em desfoco, um armário claro

 

Depois de fazer a consulta do CPF e identificar as dívidas em atraso, entre em contato com a empresa para quem está devendo. Verifique quais são os valores atualizados, com possíveis juros e multa. 

Pode acontecer de haver mais de uma conta provocando a restrição. Nesse caso, é preciso entrar em contato com todas as empresas credoras, para saber a atual situação das dívidas e planejar o pagamento. 

  1. Fazer uma proposta

Ao entender qual o valor da dívida (ou das dívidas) que está provocando a restrição, faça suas contas para avaliar a melhor opção para o seu orçamento. Nesse cálculo, é necessário ter em vista suas despesas e receitas, para saber quanto você pode pagar por mês, sem se enrolar em outras contas. 

Depois de entender qual valor você poderá empregar no pagamento por mês, envie a proposta para a empresa credora e aguarde o retorno. 

Não precisa ficar com vergonha. Boa parte das empresas está aberta à negociação. Afinal, você está demonstrando vontade de pagar a dívida, o que é importante para elas.

Se a proposta for aprovada, é só seguir com o novo contrato. 

  1. CPF sai do negativo

Logo depois que você fizer o pagamento da primeira parcela da sua negociação, seu nome já será retirado dos órgãos de proteção ao crédito. A empresa credora terá até 5 dias úteis para realizar essa ação. 

Mas atenção: seu nome voltará ao cadastro se as outras parcelas do acordo não forem pagas. Então, na hora da proposta, tenha certeza de que poderá dispor daqueles valores que está passando à credora.

Se estiver com as contas apertadas e pouca - ou nenhuma - folga no orçamento, uma alternativa pode ser buscar uma forma de conseguir renda extra. Confira algumas opções.