45% dos brasileiros têm contas em atraso, diz pesquisa Datafolha

Veja dicas sobre quais contas você deve priorizar na falta de dinheiro e como ter mais recursos para pagar as dívidas

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Pesquisa Datafolha divulgada nesta semana pelo jornal “Folha de S.Paulo” mostrou que 45% dos brasileiros têm alguma dívida ou conta em atraso. Entre eles, a maior parte citou que está devendo para o cartão de crédito. 

Veja abaixo como ficou a divisão das 3 principais dívidas em atraso que os brasileiros declararam ter:

  • Cartão de crédito: 25%

  • Conta de luz: 22%

  • Água: 16%

Em segundo plano, há ainda outras contas que completam a lista das contas em atraso. Veja abaixo:

  • Aluguel ou prestação de imóvel: 11%

  • Gás: 8%

  • Mensalidade de escola ou faculdade: 6%

  • Prestação de automóvel ou motocicleta: 6%

  • Plano de saúde: 5%

Dívida não é algo necessariamente ruim. A pessoa pode contrair um empréstimo, por exemplo, para realizar um sonho, como comprar uma casa ou um carro. Se esse crédito estiver dentro do orçamento e for pago em dia, essa pessoa tem a dívida, mas não é um problema.

O problema, no caso, é quando as pessoas não conseguem pagar suas contas e ficam inadimplentes, como no caso desses 45% de brasileiros identiticados pelo Datafolha.

Como escolher a conta que vai atrasar?

Imagem mostra, a partir de um ângulo por cima, dois idosos (um homem e uma mulher) apontando para boletos

Para ajudar na análise de quais contas priorizar, consultamos a economista Dirlene Silva, colunista do Blog Amigo do Dinheiro.

Especialista em Finanças e Economia Popular,  Dirlene disse que, num momento excepcional em que o salário não consiga cobrir tudo, devem ser priorizadas as contas de serviços considerados “essenciais”.

De acordo com ela, “o correto” é que, se a pessoa ainda não tem um mapeamento de seus gastos essenciais, passe a ter para “conseguir sair desse momento de sufoco de dívida” com pagamentos de itens sem os quais não pode viver sem. 

“Se moro de aluguel, não posso deixar de pagar meu aluguel, porque não vou ter onde morar. Prestação de casa própria a gente sabe que, com 3 meses de atraso, acabo tendo problemas. Então, preciso priorizar minha moradia”, afirmou Dirlene.

A especialista ainda listou outras contas que também precisam ser tratadas como prioridade por quem tem que escolher quais débitos pagar em detrimento de outros. 

“A minha energia elétrica; a minha água, que hoje em dia se tornou um bem essencial; a internet; o telefone, que a gente tem quase 70% trabalhando em home office… Então, precisamos de acesso à internet”, disse.

Quais recursos posso acessar para enfrentar essa fase?

Imagem mostra as mãos de uma pessoa. Com a direita, ela digita numa calculadora. Com a esquerda, escreve no laptop. Há boletos abaixo dos dois aparelhos

Para encarar um momento complicado, também é importante saber algumas fontes de recursos para conseguir arcar com determinadas despesas. 

A gente também perguntou para a especialista em finanças quais são essas possíveis fontes de recursos. Dirlene disse que a “dica é sempre trabalhar com as taxas de juros a nosso favor”. 

Ela explicou que gosta sempre de trazer 2 pontos: a educação financeira e a inteligência financeira. O primeiro caso é quando a pessoa faz cursos ou adquire conhecimentos financeiros. O segundo, quando a pessoa realmente começa a aplicar o que aprendeu.

“É muito fácil utilizar, quando a gente fala em empréstimo, o cheque especial, que é um empréstimo fácil, já está disponível na minha conta, e o rotativo do cartão de crédito que é outro empréstimo fácil. Mas esses 2 empréstimos possuem taxas de juros altíssimas”, disse ela.

De acordo com Dirlene, há opções disponíveis no mercado que cobram taxas de juros muito inferiores e, assim, “cabem no bolso” de quem tem contas em atraso. Dessa forma, a pessoa endividada consegue ir pagando aos poucos o que deve.

“Em vez de utilizar essas alternativas, é muito mais inteligente fazer um empréstimo consignado ou um empréstimo pessoal, depende da situação da pessoa, que vai significar uma taxa de juros muito menor”, explicou. 

Aliás, se você não sabe o que é e como funciona um empréstimo consignado, dê uma olhada aqui. A gente te explica!