Conheça tudo sobre a crematofobia, a rara aversão ao dinheiro

Apesar de rara, a fobia ao dinheiro ou fobia financeira pode afetar as pessoas em diferentes níveis

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

A crematofobia é uma das mais intrigantes fobias existentes. Para boa parte das pessoas, é difícil acreditar que a aversão ao dinheiro é um problema real. Ainda assim, ela existe. 

Da infância à vida adulta, somos estimulados a perseguir o dinheiro. Afinal, é o objeto de sobrevivência humano mais popular, que nos permite comprar coisas essenciais à nossa existência, como comida, e manter um padrão de vida. 

Contudo, existem aqueles que temem o dinheiro. Não entenda mal, todos temos receio de gastar mais do que devemos, fazer uma negociação precipitada ou das dívidas em geral. Mas, para quem sofre com a crematofobia, o simples gesto de tocar em uma moeda ou pensar em questões financeiras é um tormento. 

Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura. No texto a seguir, saiba o que é, quais são os sintomas e causas e como lidar com a fobia ao dinheiro. 

Afinal, o que é uma fobia?

Uma fobia é um transtorno psicológico cuja principal característica é o medo irracional e excessivo de um objeto, atividade, lugar, pessoa, animal ou circunstância. Ou seja, uma ansiedade desproporcional ao perigo representado pela coisa em si, que proporciona sensações de pânico ao se deparar com a fonte do medo. 

Uma fobia pode ser uma consequência genética ou adquirida por meio de experiências traumatizantes. 

Uma das principais características dessa desordem é a irracionalidade do medo. O portador normalmente tem ciência disso, mas ainda assim é incapaz de combatê-lo.

Diferentemente de outros tipos de ansiedade, fobias são relacionadas a experiências ou coisas específicas, como: 

  • Acrofobia (medo de altura)

  • Aracnofobia (medo de aranhas)

  • Claustrofobia (medo de espaços fechados)

  • Coulrofobia (medo de palhaços)

  • Criofobia (medo do frio)

  • Numerofobia (medo de números).

A intensidade das fobias é variável, podendo ser apenas incômoda ou gerar impactos reais na vida de quem a possui. 

O que é crematofobia?

Mulher branca sentada com um dos braços sobre uma mesa e o queixo apoiado na outra mão. Na mesa, há papéis, uma caneta, óculos e uma calculadora, sugerindo a ação de cálculos. A expressão em seu rosto sugere aflição. 

A crematofobia é o medo extremo e irracional do dinheiro. Também chamada de crometofobia, pode contemplar diferentes tipos de aversão ao dinheiro, como a de gastá-lo, pensar nele ou tocar em moedas, notas ou qualquer outro objeto associado. Em suma, é atribuída a qualquer medo relacionado a temas relacionados a finanças. 

Existe um outro tipo de fobia relacionada, que é a peniafobia, que diz respeito ao medo de ficar pobre, que é clinicamente diferente. 

Sintomas da crematofobia 

Os sintomas da crematofobia são variáveis tanto em característica quanto em intensidade, o que dificulta a identificação da fobia. 

Lembre-se: mesmo que reconheça-se em alguns dos indícios a seguir, isso não significa, necessariamente, que você é crematofóbico. 

  1. Hesitação extrema a pensar ou falar sobre o dinheiro

Em níveis controláveis, é possível que boa parte das pessoas sofra com a crematofobia. Por exemplo, quando é identificada a relutância em conversar ou pensar sobre o dinheiro. 

Muitas vezes ela surge devido à pressão social e inabilidade da pessoa de lidar com responsabilidades associadas a gastos do cartão de crédito, poupança ou investimentos, por exemplo. 

A simples necessidade da administração pode se tornar um incômodo, assim como a menção aos assuntos financeiros pode afastar a pessoa crematofóbica. De maneira similar, períodos de alta intensidade de movimentação financeira, como o início do mês, costumam ser desagradáveis.

Muitos transtornos associados à ansiedade fazem com que a pessoa evite atividades sociais. No entanto, quando as justificativas têm relação com o dinheiro, podem ser sintomas de crematofobia. 

Isso acontece, por exemplo, quando alguém passa a evitar situações de que geralmente gosta para não gastar dinheiro. 

  1. Contagem compulsiva do dinheiro ou checagem abusiva do saldo  

Alt text: Uma mão segura um bloco de notas de 100 reais, enquanto a outra realiza a verifica o dinheiro, sugerindo a contagem do valor.

Outro sintoma comum da crematofobia é a preocupação extrema com a auditoria pessoal das finanças. 

Ele se manifesta quando uma pessoa confere as notas da carteira, conta as moedas do cofre ou simplesmente checa com muita frequência o saldo da conta ou o extrato bancário, por exemplo. 

  1. Incapacidade de tocar objetos associados ao dinheiro

Em níveis mais extremos, a crematofobia pode levar a pessoa que está com a fobia a uma total repulsa a objetos comumente associados ao dinheiro, como: 

  • Notas 

  • Moedas

  • Cartões de crédito

  • Ouro

  • Maquininhas de cartão.

Em casos mais graves, é possível que a aversão alcance até mesmo aplicativos de celular ou websites que remetem a bancos ou instituições financeiras. 

Mulher negra sentada à mesa segurando um pedaço de papel que representa uma conta. Seu semblante revela preocupação e a cabeça está recostada sobre um dos braços. 

Quando uma pessoa se aflige excessivamente com a gestão financeira, mesmo quando a questão está sob controle, pode ser que ela sofra de crematofobia. 

Isso também ocorre em ocasiões em que a ansiedade fala mais alto. Por exemplo, ao se preocupar precocemente com contas que nem sequer chegaram. Essa circunstância é muito comum em períodos como o começo do mês ou o início do ano. 

A crematofobia é uma curiosa fobia quando em níveis controláveis. 

Mas, quando excessiva, pode gerar muitos transtornos a quem a possui, que pode perder o controle das finanças, deixar de aproveitar bons momentos por medo de lidar com o dinheiro ou até mesmo ter problemas mais graves como a ansiedade e a depressão. 

Se você gostou deste texto, leia também o artigo sobre o cifrão, o símbolo do dinheiro e sua origem.