Que tal fazer comida em casa e vender por delivery?

Renda
Extra
Por Rodrigo Chiodi
Quando ouve a palavra “empreendedor”, você logo pensa naqueles empresários ricos e experientes, com grandes escritórios cheios de funcionários? Se sim, então é melhor você mudar os seus conceitos.

No Brasil, metade dos empreendedores têm empresas muito pequenas, são jovens de menos de 34 anos e estavam empregados até outro dia. Quatro em cada dez deles trabalham de casa — o que deve aumentar a partir da pandemia do Covid-19. Os dados são do Sebrae
.

Uma das formas de empreender é aproveitar que os aplicativos de entrega de comida estão aí, à sua disposição para você cozinhar em casa e mandar entregar na casa de quem está com fome. Basta que você tenha dotes culinários.

O que vender?

A influenciadora Ana Bochi listou algumas ideias de comidas que você pode vender:
  • Salgadinhos;
  • Pães;
  • Bolos e cupcakes;
  • Comidas congeladas;
  • Hambúrgueres gourmet;
  • Trufas;
  • Panetones para o Natal, que está chegando;
  • Comidas regionais, como açaí, chimarrão, tereré e outras;
  • Ovos de Páscoa, embora ela ainda esteja distante — mas já dá para se programar.
Ana Bochi detalhou cada uma dessas ideias num vídeo feito especialmente para o canal Pra Fazer Mais, do Banco PAN, que você assiste abaixo.

Como vender?

Embora você possa vender de porta em porta, para vizinhos ou mesmo no seu trabalho, hoje uma forma eficiente de vender é deixar seus pratos disponíveis por aplicativos de delivery. Acontece que a concorrência é grande. Então, é importante que o seu cardápio esteja bem organizado. Precisa ser claro sobre o que você vende.

Aqui vão duas dicas:
  1. Deixe bem claro, de forma organizada e simples, quais são seus produtos. Capriche na descrição e na informação sobre o preço. Existe um livro famoso de computação chamado “Não me Faça Pensar”, do americano Steve Krug. O título diz tudo: você não pode dificultar a vida do cliente que procura uma informação. Isto significa que ele precisa bater o olho no seu cardápio, ler a descrição e entender de cara o que você está vendendo — e quanto custa. Porque se ele tiver dúvida, vai buscar no concorrente.
  2. Capriche nas fotos. Não coloque qualquer imagem porque as pessoas usam muito as imagens para decidir o que vão comer. Na hora de pedir pelo aplicativo, elas não estão olhando a mesa ao lado nem sentindo o cheiro que vem da cozinha, como acontece num restaurante. Então, a única ideia que elas têm do seu prato é pela foto. Por isso, capriche. Se tiver condições, contrate um fotógrafo ou um designer para criar essas imagens. De acordo com o site Brandwatch, 3,2 bilhões de imagens são compartilhadas todos os dias em redes sociais. Se as pessoas não dessem importância para imagens, não haveria tantas delas rodando por aí, concorda?

Onde vender?

Existem mais aplicativos do que você imagina. Alguns são mais famosos, outros menos, mas convém analisar quais estão disponíveis na sua região. Algumas pessoas optam por se cadastrar em todos para poder vender para o maior número possível de clientes. Outros preferem selecionar alguns para ficar mais fácil de gerenciá-los.

O que você pode fazer é ir testando um por um para ver quais funcionam melhor.
Abaixo, você encontra uma lista de opções, começando pelos três mais populares no Brasil.