Renda do trabalhador autônomo cresce 19,5% no 2º trimestre, diz pesquisa

Estudo do Ipea mostra ainda que 46 milhões de brasileiros viviam em lares sem renda no mesmo período

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgou nesta sexta-feira (17) um estudo que mostra que a renda efetiva do trabalhador por conta própria cresceu 19,5% no 2º trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020.

Porém, apesar do aumento, no 2º trimestre deste ano esses trabalhadores por conta própria (autônomos) receberam 76% do habitual. 

Os trabalhadores com carteira do setor privado tiveram aumento de 2% na renda efetiva. Já para os trabalhadores sem carteira, a alta foi de 6,9%.

No estudo, o Ipea ressalta que o período dos meses de abril, maio e junho do ano passado representou “o pior momento do mercado de trabalho durante a pandemia”. 

Confira abaixo alguns outros pontos importantes que o levantamento do Ipea mostra:

  • 46 milhões de brasileiros vivem em lares sem renda no país no segundo trimestre;

  • A renda das mulheres aumentou 3 vezes mais do que o do homens no 2º trimestre em comparação a mesmo período de 2020; 

  • Rendimento dos trabalhadores ocupados com mais de 60 anos cresceu 1,3% no segundo trimestre;

  • Rendimento dos trabalhadores de 25 a 39 anos teve queda de 3,2% dos rendimentos efetivos reais médios no segundo trimestre;

  • Forte queda nas horas efetivamentes trabalhadas, com destaque para trabalhadores autônomos, que trabalharam apenas 73% do habitual;

“A análise mostra que, apesar da melhora nos rendimentos no 2º trimestre deste ano, a recuperação ainda é lenta. O afastamento da ocupação atinge 16,26% dos trabalhadores, afetando mais de 13,5 milhões”, escreveu, em nota, o pesquisador do Ipea e autor do estudo, Sandro Sacchet.

Renda habitual do trabalhador cai -6,6%
Imagem mostra as mãos de um homem tirando uma cédula de uma carteira

Se por um lado houve aumento de 0,9% da renda efetiva dos trabalhadores, por outro houve queda significativa da renda habitual (-6,6%). Esses números também são uma comparação com o segundo trimestre de 2020. 

O estudo do Ipea toma como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada no dia 31 de agosto. 

O Ipea também apontou que ainda é grande o número de lares sem renda do trabalho no segundo trimestre de 2021, apesar da redução de 29,3% para 28,5%, em comparação com o segundo trimestre de 2020. No total, são 46 milhões de brasileiros nesta condição.

Nesses casos, a renda pode vir, por exemplo, de programas sociais com transferência de recursos. É o caso, por exemplo, do auxílio emergencial 

Essa pequena redução dos lares sem renda mostra a “lenta recuperação no nível de ocupação aos patamares anteriores à pandemia para as famílias de renda mais baixa”, de acordo com o instituto.

Aproveitando esse momento, o que você acha de fazer uma renda extra na pandemia? Veja algumas dicas.