Salário mínimo agora é de R$ 1.100. O que isso muda na sua vida?

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

O salário mínimo subiu de R$ 1.045,00 para R$ 1.100,00. Este é o novo valor desde 1º de janeiro de 2021 e só deve ser alterado de novo em janeiro de 2022. O aumento foi de 5,26%.

Para definir o reajuste, o Governo Federal usa índices de inflação, como o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que calcula o aumento médio dos preços dos produtos e dos serviços no País no ano anterior.

Mas a grande pergunta é: o que esse aumento afeta a sua vida?

Talvez você pense que só vai afetar a vida de quem recebe um salário mínimo e agora recebeu aumento. Mas não é bem assim, não. Tem muitas coisas que são calculadas com base no salário mínimo e que agora são afetadas.

Por exemplo, benefícios do INSS são pagos com base no salário mínimo. Pense num idoso que recebe dois salários mínimos de aposentadoria. Se até o ano passado ele recebia R$ 2.090,00, agora passa a receber R$ 2.200,00.

Até na iniciativa privada existem cálculos que são feitos com contas parecidas. Por exemplo, é comum contadores cobrarem seus honorários com base no valor do salário mínimo.

Então, aqui vão alguns exemplos de valores que aumentam quando o salário mínimo é reajustado:

  • Parcelas do seguro-desemprego;

  • Diversos benefícios do INSS;

  • Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), pago pelo INSS a idosos com 65 anos ou mais — e também a pessoas com deficiência de baixa renda;

  • Ações na justiça que têm, por exemplo, indenização ou que são calculadas com base em salário mínimo;

  • Microempreendedores Individuais (MEIs), que devem pagar INSS de 5% sobre o valor do salário mínimo.

Histórico

Apenas por curiosidade, veja o valor do salário mínimo desde que o Plano Real foi criado no Brasil, no início de 1994. E perceba que, desde 2010, o reajuste é feito sempre em janeiro.

  • Março/1994: R$ 64,79;

  • Setembro/1994: R$ 70,00;

  • Maio/1995: R$ 100,00;

  • Maio/1996: R$ 112,00;

  • Maio/1997: R$ 120,00;

  • Maio/1998: R$ 130,00;

  • Maio/1999: R$ 136,00;

  • Abril/2000: R$ 151,00;

  • Abril/2001: R$ 180,00;

  • Abril/2002: R$ 200,00;

  • Abril/2003: R$ 240,00;

  • Maio/2004: R$ 260,00;

  • Maio/2005: R$ 300,00;

  • Abril/2006: R$ 350,00;

  • Abril/2007: R$ 380,00;

  • Março/2008: R$ 415,00;

  • Fevereiro/2009: R$ 465,00;

  • Janeiro/2010: R$ 510,00;

  • Janeiro/2011: R$ 545,00;

  • Janeiro/2012: R$ 622,00;

  • Janeiro/2013: R$ 678,00;

  • Janeiro/2014: R$ 724,00;

  • Janeiro/2015: R$ 788,00;

  • Janeiro/2016: R$ 880,00;

  • Janeiro/2017: R$ 937,00;

  • Janeiro/2018: R$ 954,00;

  • Janeiro/2019: R$ 998,00;

  • Janeiro/2020: R$ 1.039,00;

  • Fevereiro/2020: R$ 1.045,00;

  • Janeiro/2021: R$ 1.100,00.