Sete perguntas que vão te convencer a ter uma reserva de emergência

Zero
Dívida
Por Rodrigo Chiodi
Reserva de emergência, como o próprio nome sugere, é aquele dinheiro que você deixa guardado para ser usado nos momentos que você não esperava que fossem acontecer.

Pode ser a perda do emprego, um cano que estourou em casa, um acidente de carro ou qualquer outra coisa que não estava nos planos. Geralmente, essas coisas não são muito agradáveis.

Listamos, então, sete dúvidas comuns que as pessoas têm sobre a reserva de emergência.

1. Por que eu deveria fazer uma reserva de emergência?

Imprevistos acontecem. E acontecem sem você esperar — é justamente por isso que têm esse nome. Se você não tiver uma reserva de emergência, você corre o risco de ter de pedir dinheiro emprestado a um banco, entrar no cheque especial ou usar qualquer outro recurso que cobre juros. Então, não vale a pena.

2. Quanto dinheiro devo deixar na reserva de emergência?

Não existe um valor exato porque cada pessoa tem um orçamento diferente. No entanto, muitos especialistas em finanças pessoais recomendam o equivalente a seis meses de orçamento familiar. O que significa isso? É simples: some todas as contas da casa. Suponha que elas resultem em, por exemplo, R$ 3 mil. Multiplique, então, esse valor por 6. O ideal, neste exemplo, é que a reserva seja de R$ 18 mil.

3. Mas por que seis meses?

Os especialistas que recomendam esse período preveem que, no caso de você perder o emprego, tendo seis meses de reserva, dá para se segurar enquanto busca um novo emprego. Mas, como já foi dito, não existe uma regra rígida para o valor da reserva.

4. Trabalho como CLT. Para que fazer reserva de emergência se já tenho o meu Fundo de Garantia?

Sem dúvida, o FGTS é uma segurança para quem tem carteira assinada. Acontece que ele só serve para casos específicos, como a perda de emprego. Não cobre outras emergências. Sem contar que, se você tiver usado o FGTS para a compra ou quitação de um imóvel, o valor será bem mais baixo. Portanto, mesmo que você seja CLT, vale a pena fazer a reserva de emergência.

5. Posso deixar a reserva de emergência junto com a minha conta corrente e apenas lembrar que uma parte daquilo não pode ser usada no dia a dia?

Poder, pode. Mas não é recomendável. Afinal, fica muito difícil você fazer o controle com clareza. O ideal é você ter uma conta ou aplicação separada, onde você veja com muita clareza qual o valor da sua reserva de emergência. Assim, fica mais fácil fazer o seu controle.

6. Devo me preocupar com a correção da reserva? Ou seja, o valor precisa aumentar ao longo do tempo?

Sim, sem dúvida. A reserva de emergência costuma durar muito tempo porque ela existe para não ser usada. Então, o ideal é que você consiga fazer com que ela tenha um rendimento igual ou maior do que a inflação.

7. Posso criar uma aplicação e deixar a minha reserva de emergência lá?

Pode e deve. Justamente pelo que foi respondido na pergunta 6. Escolher um investimento de baixo risco pode ser uma boa ideia. Assim, você vai guardando o seu dinheiro e ele também vai render.