Cinco cuidados na hora de fazer compras pelo celular

Controle
Seus Gastos
Por Rodrigo Chiodi
Metade dos brasileiros usa o celular para fazer compras regularmente. Em 2013 eram 15% dos consumidores e, em 2019, eles já passavam de 50% de acordo com estudo da consultoria PwC.

Acontece que fazer compras na internet exige alguns cuidados para você não sofrer com fraudes online. Vamos, então, listar cinco precauções que você deve tomar na hora das compras.

1. Wi-fi aberto

O wi-fi pode ser mais inseguro que a sua rede 4G. Mais gente usa o mesmo wi-fi e, dependendo de qual rede você está usando, pode ser que criminosos estejam ali de olho nos seus dados pessoais — cartão de crédito, inclusive.

Evite, então, redes wi-fi públicas para realizar suas compras online, pois elas são mais fáceis de ser hackeadas, colocando em risco os seus dados particulares, como informações financeiras e senhas.

Nos Estados Unidos, inclusive, o FBI (que é o serviço de inteligência do governo) fez recentemente um alerta aos turistas quando estiverem em hotéis, aeroportos e outros locais públicos. "Não permita que seu telefone, computador, tablet ou outro aparelho se conecte automaticamente a uma rede sem fio gratuita quando você estiver fora de casa. Este é um convite para criminosos acessarem o seu aparelho. Eles podem roubar senhas e PINs, ou até mesmo controlar à distância o seus contatos e a sua câmera", avisou a agência.

Por isso, quando for fazer compra, transferência bancária ou qualquer outra operação que exija que você digite senhas no seu celular, usar o 4G é mais seguro. Afinal, o 4G é uma rede que você não compartilha com pessoas que você não conhece.

2. Vendedor online

Cuidado com os sites e lojas virtuais de quem você compra. O fato de estar na internet não significa que o site seja confiável. Pelo contrário: a internet é o lugar onde as fraudes mais acontecem. No Brasil, então, nem se fala. São tantas fraudes no e-commerce no País que existe até um ranking para mostrar onde elas acontecem com mais frequência. Ele se chama Censo da Fraude. Até a metade de 2020, por exemplo, 35% das tentativas do ano aconteceram no estado de São Paulo, 10% no Rio de Janeiro, 8% em Minas Gerais e 7% na Bahia.

Plataformas dos bancos são mais seguras na hora de fazer a compra e o pagamento. Elas evitam que você dê seus dados de presente a criminosos.

3. WhatsApp clonado

Cuidado com bate-papo pelo WhatsApp. Muitas vezes, você tira a dúvida sobre o produto ou serviço com o vendedor. Mas preste atenção a duas coisas: passar dados pessoais pelo WhatsApp é muito perigoso. Clicar em links que chegam até você também é bem arriscado.

Muitas vezes, criminosos clonam contas de amigos e enviam mensagens para essas duas finalidades: fingir que são vendedores ou, então, enviar links para lojas falsas.

Em 2018, milhares de brasileiros caíram no golpe de uma famosa marca de cosméticos. Funcionava assim: as pessoas recebiam um link que dizia que elas tinham ganhado um brinde da marca. Quando clicavam, caíam num site falso, que parecia ser da empresa. Resultado: acabavam deixando seus dados pessoais, como nome, telefone, CPF, email e cartão de crédito, que depois eram usados para cometer crimes virtuais.

4. Código de barras adulterado

Confira sempre se o código de barras bate com os números que aparecem nos boletos. É comum criminosos mandarem boletos com o código adulterado. Ou seja, você pensa que está pagando um boleto, mas na realidade está pagando outro.

O próprio Jus Brasil, site especializado em Direito, registra casos assim. São pessoas que pagaram um boleto pensando que fosse outro. Houve até caso de gente que chegou a ter seu nome negativado no SPC. Ela deixou de pagar o boleto de uma prestação porque pagou um boleto falso no lugar dele.

5. Apps inseguros

Alguns apps permitem mudar as configurações de fábrica do aparelho. Isso parece ótimo para quem quer fazer coisas que originalmente não poderia, como acessar apps que são bloqueados no Brasil, usar um IP estrangeiro e coisas do tipo. Mas cuidado: isso tem um preço.

Alguns apps deixam o aparelho vulnerável para invasão. Você acaba tirando barreiras de segurança e fazendo um convite a criminosos.

O site CanalTech, que é especializado em tecnologia, publicou um post que ensina como saber se um app é seguro. Vale a pena dar uma lida.

Este post em vídeo

O humorista Igor Guimarães gravou um vídeo para o canal Pra Fazer Mais, do Banco PAN, em que ele listou os mesmos cinco cuidados para compras com celular. Confira:



Ficou com mais alguma dúvida? Neste post também falamos mais sobre como você pode navegar e comprar pela internet de forma segura.