Como conseguir um cartão de crédito?

As 7 perguntas mais frequentes

Mais crédito
para você
Por Juliane Assis
É muito difícil hoje viver sem um cartão de crédito. Você precisa dele para as coisas mais simples, como fazer uma compra pela internet, pedir um carro por aplicativo, reservar um hotel para a próxima viagem ou fazer uma compra parcelada numa loja, por exemplo.

As dúvidas sobre como conseguir um cartão de crédito são muitas porque os bancos oferecem limites diferentes para as pessoas. Sem contar que, em certos casos, os bancos recusam o cartão.

Vamos, então, esclarecer as sete dúvidas mais frequentes.

 

1. Eu preciso ter meu CPF limpo para conseguir um cartão de crédito?

Sim, você precisa ter o CPF limpo. Como regra de mercado, os bancos não liberam cartão de crédito para quem tem o nome sujo em SPC, Serasa e outras instituições desse tipo. Afinal, ter o nome limpo serve justamente para que as empresas saibam quem é bom pagador.

Então, se você quiser obter um cartão de crédito, é importante garantir que seu CPF esteja limpo. Se não estiver, organize-se para pagar as dívidas.

 

2. Eu devo ter uma idade mínima para conseguir um cartão de crédito?

Sim, você precisa ter 18 anos ou mais tanto para ser titular do cartão quanto para ter um cartão adicional. A regra geral do mercado é que só maiores de idade podem ter cartão de crédito.

No Banco PAN, qualquer pessoa com mais de 18 anos pode pedir um cartão de crédito com facilidade pela internet
em poucos minutos.

 

3. Eu tenho que ter salário alto para conseguir um cartão de crédito?

Não. Você precisa ter uma renda, que pode ser de um salário mínimo, por exemplo. O que acontece é que, quanto maior for a sua renda, maior vai ser o limite do seu cartão. Por exemplo, uma pessoa que ganha R$ 5.000,00 por mês normalmente vai ter um limite maior do que outra que ganha salário de R$ 900,00 mensais.

Na hora que você pede o cartão de crédito, alguns bancos pedem que você envie um comprovante de renda. Outros bancos, que são mais modernos, como é o caso do Banco PAN, não pedem isso. Estes usam inteligência artificial e conseguem definir o seu crédito pedindo apenas seus dados pessoais. Isso agiliza a aprovação do cartão, que é toda feita via internet em poucos minutos e sem burocracia.

 

4. Eu preciso ser correntista de um banco para conseguir um cartão de crédito?

Normalmente, não. Isto, porém, depende de como cada banco atua. No PAN, por exemplo, as coisas são sempre bem simples. Você não precisa ser correntista.
Isto é ótimo, não é verdade?

No PAN, todo o procedimento para fazer cartão de crédito é realizado pela internet em poucos minutos. Isso vale tanto para o cartão PAN Zero Anuidade — que, como o nome indica, é isento da anuidade — quanto para os cartões Internacional, Gold e Platinum, que rendem pontos no programa PAN Mais.

 

5. Eu devo estar empregado para conseguir um cartão de crédito?

Não necessariamente. Receber um salário fixo todo mês facilita na hora de pedir um cartão de crédito, mas outras fontes de renda também servem. Por exemplo, pode ser que você receba dinheiro de um imóvel seu que está alugado para outra pessoa. Ou, então, dinheiro que você recebe como aposentado, motorista de aplicativo, motoboy ou com qualquer outra atividade remunerada, mesmo que seja informal.

Isso só é possível porque os bancos conseguem consultar o Bacen (nome abreviado do Banco Central) e outras instituições como Serasa para ter uma ideia da sua movimentação bancária. Isso não quer dizer que eles invadem a sua privacidade e olham a sua movimentação. Não é isso. Eles apenas dão uma ideia aproximada da renda de cada pessoa.

 

6. Se eu já tiver outros cartões de crédito, tenho mais chance de conseguir um novo?

Depende de como o banco para quem você está pedindo o cartão faz a análise. Vamos imaginar duas situações diferentes.

Imagine que a Daniela tem um salário de R$ 2.000,00. Ela tem um único cartão de crédito no Banco A e o seu limite é de R$ 3.000,00. Agora ela vai pedir um novo cartão para o Banco B. Quando as pessoas que trabalham no Banco B consultarem o Bacen (Banco Central), elas vão ver que a Daniela tem um limite alto no Banco A. Isso é um bom sinal. Provavelmente, a Daniela é uma boa pagadora. O Banco B, então, tem bons motivos para conceder um cartão de crédito para a Daniela.

Agora imagine que a Jéssica ganha os mesmos R$ 2.000,00 de salário e também tem um cartão de R$ 3.000,00 no Banco A. Só que a Jéssica tem mais três cartões de crédito, todos com limites de R$ 1.000,00 cada um. E imagine que a Jéssica pediu, no mesmo dia, um cartão de crédito não apenas para o Banco B, mas também para o Banco C e para o Banco D. Se você trabalhasse no Banco B, você analisaria o caso da Jéssica de forma diferente do caso da Daniela, concorda?

Veja:
se a Jéssica usar o limite dos quatro cartões que ela já tem, ela terá de pagar R$ 6.000,00 no fim do mês. Essa quantia é muito maior do que o salário dela. Além disso, ela pediu mais três cartões no mesmo dia. Conclusão: aparentemente, há um risco enorme de a Jéssica se endividar num futuro próximo.

Por isso, o Banco B precisa analisar com muito mais atenção o caso da Jéssica para entender por que ela quer um cartão. Provavelmente, vai liberar um limite bem mais baixo. Ou mesmo recusar o cartão.

Essa análise que é feita no exemplo da Jéssica é chamada no mercado de “total risk” — que, em inglês, significa “risco total”. Os bancos analisam se uma pessoa tem condições de pagar os limites de crédito ou empréstimos que as pessoas tomam. Essa análise nunca é uma conta exata. Então, pode variar de banco para banco.

Se você tem dúvida sobre qual o seu caso, peça o seu cartão ao Banco PAN. Não custa nada e o processo é todo feito via internet. A resposta chega rapidamente.

 

7. A minha declaração de Imposto de Renda influencia na hora de conseguir um cartão de crédito?

Diretamente, não. Ou seja, tanto faz se você declara um patrimônio com muitos bens ou sem nenhum bem. Os bancos não consultam a Receita Federal para saber o que você declarou no seu Imposto de Renda na hora de analisar o seu pedido de cartão de crédito.

Mas, indiretamente, o seu pedido de cartão de crédito pode ser recusado por problemas gerados pelo Imposto de Renda. Isto pode acontecer se você tiver alguma restrição na Receita Federal, como cair na malha fina ou bloqueio no CPF, por exemplo. Mas não se trata de um bloqueio gerado pelo Imposto de Renda em si, e sim pela restrição no CPF, conforme explicado na pergunta #1 deste post.

Comentários

0 comentários