Está procurando emprego? Saiba o que os sites especializados sugerem que você faça

Renda
Extra
Por Redacao PAN

Se você vai procurar emprego neste início de 2021, a palavra de ordem é persistência. Ninguém sabe ao certo o que vai acontecer com a economia nestes tempos de pandemia. O certo é que muita gente está desempregada.

Segundo o Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), a taxa de desemprego alcançou 14,3% no Brasil. Isto significa que mais de 14 milhões de pessoas terminaram 2020 sem trabalho. É bem verdade que o problema do desemprego é mundial. No Reino Unido, com economia muito mais forte do que a nossa, a taxa de desemprego bateu 5%. Ok, é bem menor que a brasileira, mas ainda assim é alta para os padrões britânicos.

Nada disso muda o fato de que se você for buscar uma vaga no mercado de trabalho, vai precisar seguir as dicas de especialistas. Mas que dicas são essas?

Consultamos fontes especializadas em carreiras, como Robert Ralph, Catho, Guia da Carreira e IBC, e extraímos cinco dicas muito frequentes para quem está procurando recolocação. Aqui vão elas.

1. Objetivos

Cuidado para não cair na tentação de sair se candidatando a tudo que é vaga. Isso pode parecer uma solução boa porque, em tese, você aumenta a chance de encontrar uma vaga em algum lugar por aí. Mas não é. Atirar para todos os lados é sinal de desespero e mostra falta de foco.

Você vai desperdiçar energia se não focar em uma área que seja mais a sua cara — ou em que você tenha mais experiência ou uma formação mais sólida.

Por exemplo, uma pessoa experiente em ciências contábeis vai ter muito mais chance de trabalho se buscar vagas em empresas ou departamentos de contabilidade do que em qualquer outra área. Afinal, se ela for disputar uma vaga na área de logística, vai acabar concorrendo com pessoas que têm um currículo muito mais forte nessa especialidade. Portanto, ter um objetivo claro é fundamental.

2. Networking

O desemprego não é motivo de vergonha para ninguém. Como mostram as estatísticas do início deste post, cerca de 14% das pessoas no Brasil estão desempregadas. Ou seja, um em cada sete adultos está nessa situação.

Por isso, converse com as pessoas com quem você já trabalhou, além de amigos e parentes, para que elas saibam que você está à procura de uma oportunidade ou recolocação. A indicação é uma forma muito eficiente de contratação. Para que alguém indique você, é necessário que se lembrem de você.

3. Vida financeira

O período de desemprego pode bagunçar, sim, as suas finanças. Então, tenha o máximo de organização e contenção de despesas para não entrar no “modo desespero”.

Se isso acontecer, você vai acabar fazendo péssimas escolhas na busca pelo emprego. Pode perder oportunidades, se comportar mal numa entrevista ou até se precipitar ao aceitar um emprego ruim em vez de esperar por aquele que seria o ideal para você. Então, muito controle nessa hora.

Eventualmente, você pode aceitar uma oportunidade de emprego temporário para equilibrar as contas enquanto continua procurando o emprego que realmente quer.

4. Ferramentas

Existem várias maneiras de você se oferecer para as empresas. Muitas delas têm uma página de “trabalhe conosco” para você colocar o seu currículo. Existem também os sites para você se candidatar a vagas abertas. O mais popular deles é o LinkedIn. Mas há outros especializados em recrutamento.

Mantenha seu currículo atualizado em todas essas plataformas digitais. Ele vai ser um instrumento importante.

Cuidado com serviços pagos que prometem fazer a recolocação profissional. Muitas vezes, eles cobram, levam o seu dinheiro e não dão o resultado esperado.

5. Entrevista

Conseguiu uma entrevista de emprego? Então, prepare-se para dar o seu melhor. Isso significa mostrar os seus pontos fortes e entender como você pode ser útil para a empresa.

Mas cuidado: não exagere e muito menos minta na hora da entrevista. Fale a verdade, por exemplo, sobre como foi a experiência nas empresas anteriores. Muitos especialistas experientes em RH conseguem perceber quando os candidatos estão mentindo. Se houver um assunto desagradável, como uma demissão indesejada, basta você falar pouco, com elegância e sem ressentimentos. Existem muitas maneiras de falar a mesma coisa. É só você saber abordar o assunto com leveza.