Fraudes são feitas com notificações falsas usando nome do LinkedIn. Saiba como identificar

Fraudadores fingem estar interessados em fazer negócios com usuários da rede social para buscar dados pessoais

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Imagine a seguinte situação: você está em busca de oportunidades para fazer negócios ou até uma vaga de emprego e recebe uma mensagem animadora de alguém que diz ser ou ter encontrado você pelo LinkedIn (rede social voltada para o mercado profissional) com a promessa de uma vantagem econômica. 

No entanto, a alegria dura pouco e vira uma grande dor de cabeça. Trata-se de um golpe.

Isso é o que está acontecendo com alguns usuários dessa rede social, segundo estudo feito pela Kaspersky, empresa especializada em segurança digital. 

Na análise dos especialistas da empresa, os golpistas estão se aproveitando da busca crescente por chances de fazer negócio ou oportunidades melhores de trabalho para fazer vítimas usando o nome do LinkedIn e até imagens parecidas com as do site. 

Segundo a Kaspersky, os golpistas usam diferentes meios para aplicar as fraudes nas vítimas usando o nome dessa rede social.

Uma delas é se aproveitar das notificações que seus usuários costumam deixar ativas. Isso porque, quando se trata de oportunidades de negócios, muitas pessoas costumam deixar as notificações ativas para serem constantemente atualizadas.

Veja abaixo alguns casos comuns de notificações nesta rede social que são falsificados por golpistas tentando fazer vítimas, de acordo com análise da Kaspersky.

Fraudes mais comuns usando o nome do LinkedIn
Imagem mostra um ambiente escuro e as mãos de uma pessoa digitando num laptop. As mãos estão iluminadas apenas pelas luzes azuladas do monitor 

Segundo a Kaspersky, os golpistas usam diferentes estratégias para se aproximar de usuários do LinkedIn. Veja algumas argumentações usadas por eles, de acordo com a identificação da empresa. 

  1. “Sou um empresário interessado em fazer negócios com você”

É comum que usuários do LinkedIn recebam notificações desse tipo na caixa de entrada do e-mail, como se fosse uma mensagem originalmente enviada na rede social. 

A mensagem se parece com o conteúdo enviado no LinkedIn. Há logomarca da rede social e foto de perfil de um “usuário”, que na verdade é um golpista. 

Essas mensagens contêm links que levam a um outro site. Parece a página de login do próprio LinkedIn, mas se trata de um ambiente em que, ao inserir suas informações de acesso, os golpistas roubam seus dados.  

É preciso ter atenção com o endereço URL para o qual você está sendo direcionado. Ao olhar com atenção no seu navegador, você deve checar se o endereço realmente corresponde ao LinkedIn. 

  1. “Por favor, me envie um orçamento”

Também é comum que os usuários do LinkedIn recebam pedidos de orçamento, por exemplo. Há golpistas que se passam por pessoas interessadas em comprar determinado produto ou contratar algum serviço.

Para isso, enviam e-mails para a caixa de entrada de algum prestador, que, sem tanta atenção, acaba clicando nos links dessa mensagem. A prática é muito parecida com o item anterior.  

O que acontece em ambos os casos é que golpistas se passam por pessoas interessadas em comprar ou contratar determinado produto ou serviço. 

Eles enviam mensagens com links maliciosos que direcionam essas vítimas para outros sites. Tudo se parece com o ambiente do próprio LinkedIn. No entanto, trata-se de uma forma de “pescar” os dados pessoais e bancários desses usuários. 

  1. “2 pessoas notaram o seu perfil nesta semana”

Em mais um caso muito comum, golpistas simulam uma mensagem que o LinkedIn constantemente manda para a caixa de entrada de quem está cadastrado na rede social.

No caso, golpistas enviam uma mensagem praticamente idêntica, mas a partir de e-mails que não são os oficiais do LinkedIn. 

Por isso, é importante que os usuários da rede social fiquem bem atentos a eventuais erros ortográficos. É muito comum que os e-mails usados pelos golpistas sejam parecidos com aqueles usados pelo próprio LinkedIn. 

Mas os golpistas usam letras duplicadas, como, por exemplo, “Linkediin”, em vez de “LinkedIn”. Desse jeito, quem lê com um pouco mais de pressa acaba não enxergando a diferença e tem mais chances de ser uma vítima desse tipo de golpe. 

Saiba como evitar esse tipo de golpe
Um homem com uma camisa de manga comprida amarela está sentado e segurando um celular. Ele olha para o aparelho com o queixo apoiado numa das mãos, cujo cotovelo está sobre a perna

Embora os golpistas estejam cada vez mais criativos com fraudes, é possível seguir algumas dicas para evitar cair nesses golpes. 

Veja abaixo algumas dessas dicas, de acordo com a Kaspersky, para não cair em golpes que usam o nome do LinkedIn indevidamente. 

  • Fique atento a mensagens inesperadas de empresas conhecidas;

  • Procure inconsistências nos nomes e endereços dos remetentes, bem como erros de digitação nos links, no assunto e no corpo do e-mail;

  • Verifique as notificações usando aplicativos ou sites oficiais e, neste último caso, digite o endereço manualmente ou abra-o nos favoritos;

  • Insira informações de contato, números de cartão ou credenciais de login somente depois de verificar se você está no site real;

Todos esses golpes feitos usando o nome do LinkedIn lembram muitos outros tipos de fraudes. Na prática, os golpes acabam sendo muito semelhantes em seus mecanismos. 

Dê uma olhada em como as técnicas se parecem vendo golpes usando a série Round 6, que é um sucesso na Netflix, como isca.