OPINIÃO: Educação financeira: uma jornada constante com destino à tranquilidade

Por Redacao PAN

02_Mobile.png

Se você quer ter uma vida com menos preocupações financeiras, te convido a começar uma jornada de constantes aprendizados e práticas que vai te acompanhar por toda a vida. 

Uma vida é muito tempo, eu sei. Mas o meu convite é para que você comece a encarar o cuidado com o dinheiro da mesma forma que encara outros temas como, por exemplo, a sua saúde. 

A sua vida financeira também precisa de equilíbrio, então eu sugiro que você respire fundo, pois para seguir nessa jornada você vai precisar de muito mais do que força de vontade. Vai precisar de estudo, organização, disciplina e mudança de hábitos.   

Sabe aquele ditado “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”? É uma expressão popular que tem o significado relacionado à persistência e foco para conquistar um objetivo. Quando a gente sabe aonde quer chegar, fica mais fácil dedicar tempo para construir esse caminho.

Por isso, o primeiro passo prático dessa jornada é definir objetivos. Todos nós temos sonhos, que podem ser desde programar a aposentadoria, comprar um imóvel ou até mesmo fazer uma viagem desejada. Os sonhos e objetivos são, portanto, grandes motivadores para a manutenção da sua disciplina na sua jornada para uma vida financeira mais equilibrada. 

Mas o que vai fazer a diferença para você conquistar seus objetivos em mais ou menos tempo é a sua capacidade de se planejar financeiramente, o que é o mesmo que dizer que você precisa saber o quanto ganha, como gasta e se consegue guardar dinheiro. 

Pessoa faz contas em uma calculadora branca que está sobre a mesa, e segura um lápis com a mesma mão. Não aparece o rosto dela

O planejamento financeiro nada mais é que uma ferramenta que facilita o equilíbrio das contas para você conquistar seus objetivos. 

Um bom começo é fazer um diagnóstico do orçamento mensal da família. A partir da comparação das receitas e despesas, você logo vai perceber as oportunidades de economia, onde consegue economizar para investir em sonhos futuros. 

Você pode fazer isso anotando todo o dinheiro que entra e que sai num caderno, numa planilha (nesse caso recomendo a disponível no Hub de Educação Financeira da B3), ou usando um dos diversos aplicativos disponíveis hoje para organizar as finanças. Mas atenção: pesquise antes se o aplicativo escolhido é confiável.

Algumas dicas são universais e valem para todos: pesquise preços, peça descontos, negocie tarifas e anuidades de cartões de crédito, planos de celular, de academia, leve sempre uma lista de compras ao supermercado, reavalie assinaturas, e evite fazer muitas refeições fora ou por delivery. 

Pode parecer bobagem, mas na prática isso vai trazer alguns bons resultados para o controle das suas finanças.

Você pode dividir os seus gastos em “3 potes” imaginários: 

1 – Essencial / Despesas fixas – entre 50% e 60%;

2 – Diversão / Lazer – até 30%;

3 – Reserva de emergência, investimentos e seguros – entre 10% e 20%.

É importante acompanhar periodicamente o andamento dos gastos para verificar se essa divisão está sendo cumprida e balanceá-las sempre que for preciso. 

À medida que o seu dinheiro for sendo poupado e investido, os seus sonhos e objetivos ficam mais próximos.

Como sair das dívidas 

Foto tirada de cima mostra homem de camisa vermelha e óculos olhando para papel que segura na mão direita e, à sua frente na mesa, uma calculadora e um laptop

Caso você esteja endividado, e não conseguiu se enxergar em nenhum parágrafo da primeira parte desse texto, saiba que o planejamento financeiro também vai ajudar numa melhor gestão das suas dívidas.

Fazer uma relação de todas as dívidas, com os valores totais, vencimentos e as taxas de juros cobradas vai te ajudar a entender quais são as mais caras e que, portanto, mais te distanciam dos seus sonhos. 

Elas devem estar no seu foco de resolução (lembrou dos objetivos?). Concentre-se em quitá-las, mas, se estiver difícil manter o pagamento em dia, procure os credores e negocie as parcelas em atraso. Alguns feirões, que colocam credores e devedores frente a frente, chegam a oferecer 90% de desconto.

O rotativo do cartão de crédito e o cheque especial, por exemplo, têm taxas de juros caríssimas. Em setembro de 2021, estavam em 336,1% e 124,9% ao ano, respectivamente e, se você precisava de um bom motivo para começar a pensar em eliminar esses pagamentos, esses números podem ser um.

Desse modo, pesquise quais outras linhas de crédito oferecem juros menores. Pode valer a pena pagar uma dívida do cheque especial ou do rotativo do cartão de crédito usando o dinheiro de um empréstimo consignado, por exemplo, se o juro for menor.

No entanto, se você já cumpriu as principais práticas de educação financeira e ainda assim o dinheiro segue faltando, o caminho é tentar buscar uma nova fonte de renda para a família.

Educação financeira: ferramentas e por onde começar 

Homem e mulher sentados lado a lado olham para tela de laptop com atenção. Ela segura um papel nas mãos

Vencida a etapa de organização das finanças, ao sobrar dinheiro você deve começar a pensar em como guardá-lo adequadamente sem que ele perca o poder de compra. 

É aí que você vai precisar entender mais sobre as alternativas de investimento. Vamos falar mais sobre o tema nas próximas colunas, mas, se você quiser adiantar o seu aprendizado, saiba que há diversos cursos para se aprofundar no assunto.

Você viu quanta coisa podemos começar fazendo hoje pela boa saúde do nosso dinheiro. E eu convido você a conhecer o Hub de Educação da B3

O Hub oferece conteúdos gratuitos sobre educação financeira e investimentos produzidos pela B3, a bolsa do Brasil, e por empresas e instituições parceiras: todos estes conteúdos são validados pelo nosso time de especialistas. 

Portanto, continue sempre se aperfeiçoando e lembre que o estudo é parte contínua da sua jornada de aprendizagem sobre educação financeira. 

LinkedIn -  Christianne Bariquelli

 

 

*Esse artigo é de autoria da colunista Christianne Bariquelli e não reflete necessariamente a opinião do Banco PAN.