Afinal, ser pão-duro é vantajoso ou perigoso?

Controle
Seus Gastos
Por Rodrigo Chiodi
Sim, é vantajoso ser uma pessoa econômica, gastando menos do que o necessário. Querer economizar para comprar alguma coisa, investir ou simplesmente para ter um sono mais tranquilo é sempre bom.

Em princípio, não deve existir grande motivo para preocupação. Pelo contrário. Você talvez faça parte do grupo de pessoas econômicas. Há pouco mais de dez anos, três pesquisadores americanos chamados Scott Rick, Cynthia Cryder e George Loewenstein se reuniram para fazer um estudo interessante. Durante três anos, eles colheram dados de 13.327 pessoas de várias idades e classes sociais nos Estados Unidos e no Canadá para saber seus hábitos de gastos.

No final, eles concluíram que 60% das pessoas são normais. Ou seja, gastam quando precisam, sem grandes exageros. Nas outras pessoas é que está o problema: para cada três pães-duros existem dois gastadores compulsivos.

Você não precisa fazer muito esforço para entender o que é um gastador. É aquele que abre a carteira e compra por impulso. É fácil uma loja convencê-lo a comprar o que ele quer e, às vezes, até o que ele não quer.

O pão-duro é o contrário. Pensa mil vezes antes de tirar o dinheiro do bolso. Como já mencionamos, isso na maioria das vezes é bom. Pode ser vantajoso se você souber usar a cautela a seu favor para não desperdiçar o dinheiro que guardou com tanto esforço.

Existe um limite para o mão-de-vaca

O problema começa quando o pão-duro sofre na hora de gastar qualquer centavo e até os amigos e a família começam a reclamar.

Uma reportagem de 2013 da revista Superinteressante tratou desse assunto explicando que os pães-duros mais radicais têm uma enorme necessidade de guardar cada vez mais e só começam a perceber que viraram gananciosos extremistas quando as pessoas ao seu redor passam a reclamar das suas atitudes. E ele próprio não enxerga o problema. Daí, começam as brigas e os conflitos. Muitas vezes, os casos precisam da ajuda profissional, explica a revista.

A reportagem conta que, dos pacientes com esse tipo de comportamento que contatam o consultório de Patrícia de Rezende, psicóloga e orientadora em finanças pessoais, a maioria chega por insistência da família ou por recomendação médica. Os próprios pacientes não admitem ter um problema. Dizem apenas que são esbanjadores, que gastam muito dinheiro no dia a dia e que não conseguem mais manter tantos gastos. Só que não é bem assim. “Essa escassez financeira, na verdade, esconde o real problema. O dinheiro está guardado e há uma dificuldade imensa em gastá-lo”, desmente Patrícia à Superinteressante.

Portanto, esse é um sinal de alerta: se o hábito de poupar estiver trazendo sofrimento, cuidado, pode ser que você esteja passando do limite. No mais, se você for apenas aquele sujeito que economiza aqui ou acolá, não se preocupe: você é um pão-duro nível light.

Aliás, por que “pão-duro”?

Você sabe o porquê do nome “pão-duro”? Ele vem de uma peça teatral do início do século passado. Conta a história de um mendigo que teria vivido no Rio de Janeiro e pedia esmolas sempre dizendo: “me dá qualquer coisa, nem que seja um pedaço de pão duro”. E ficou conhecido por essa frase.

Quando ele morreu, as pessoas descobriram que, na verdade, o tal mendigo era um homem que tinha um patrimônio respeitável, com um bom dinheiro no banco e alguns imóveis em seu nome. Daí, então, a peça fez o nome “pão-duro” ser associada a um sujeito sovina. E a ideia pegou.

Dez mandamentos do pão-duro

Se é para falar de coisas divertidas, ninguém melhor que o humorista Igor Guimarães, que gravou um vídeo especial para o canal Pra Fazer Mais, do PAN, com os dez mandamentos do pão-duro.



Os dez mandamentos, segundo Igor, são:

1. Adorarás o bolso cheio acima de todas as coisas;
2. Não usarás o dinheiro em vão;
3. Não emprestarás o dinheiro nem para a mãe e nem para o pai;
4. Não comprarás pizza no final de semana;
5. Não deixarás o troco para trás;
6. Estacionarás sempre na rua;
7. Comprarás roupas apenas diante de furos visíveis;
8. Pedirás desconto em qualquer coisa;
9. Não desperdiçarás nem um grão de arroz;
10. Assistirás ao canal Pra Fazer Mais.