Consumidores com tarifa social pagarão bandeira de energia vermelha patamar 2 em outubro

Para os demais consumidores, taxa extra na conta de luz será a da bandeira de escassez hídrica, segundo a Aneel

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

 

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou que a bandeira tarifária de outubro será vermelha de patamar 2 para consumidores cadastrados na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE). 

Portanto, esses consumidores não terão que pagar a nova bandeira tarifária, chamada de “Escassez Hídrica”, instituída pela agência no dia 31 de agosto.

Também não pagam a bandeira de escassez hídrica “os moradores de áreas não conectadas ao Sistema Interligado Nacional (como os de Roraima e de áreas remotas), que não pagam bandeira tarifária”, segundo a Aneel. 

Na bandeira vermelha de patamar 2, a pessoa paga R$ 9,49 a mais em sua conta de luz a cada 100 kWh consumidos. 

Já a bandeira de escassez hídrica prevê o pagamento de R$ 14,20 a cada 100 kWh. O reajuste é de 49,59% na taxa extra, que passou a vigorar no dia 1º de setembro e vai até o final de abril de 2022. 

Como funciona o sistema de bandeiras tarifárias
Um homem de barba e óculos, em pé, mexe com a mão direita no laptop que está sobre a mesa enquanto segura com a mão esquerda um boleto. Há outros boletos sobre a mesa, assim como uma xícara e uma calculadora

As bandeiras tarifárias são adotadas para sinalizar o custo da energia elétrica. Elas ajudam o consumidor a saber em que pé está o valor da conta de luz.

Existem bandeiras tarifárias nas cores verde, amarela e vermelha, esta última em patamar 1 e 2. Elas indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Veja como funciona o sistema de bandeiras tarifárias:

Quadro explica as diferenças entre as bandeiras tarifárias de energia

Quem tem direito à tarifa social de energia

A tarifa social de energia é destinada a famílias de baixa renda. Veja abaixo quais são os requisitos para ter direito:

  • inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico);

  • ter renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo (R$ 550) ou ter entre os moradores uma pessoa que receba o benefício de prestação continuada da assistência social (BPC).

Por que a conta de luz está mais cara?
Imagem mostra a seca num reservatório, com solo rachado e uma pequena poça d’água

A bandeira tarifária tem ficado mais cara ao longo do ano por causa da pior crise hídrica dos últimos 91 anos. Em junho, a cobrança extra (bandeira tarifária vermelha patamar 2) passou de R$ 6,24 para R$ 9,492 a cada 100 kWh consumidos. A alta foi de 52%.

A seca reduz o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas, que são a principal fonte de geração de energia no Brasil. Com o potencial de geração de energia reduzido, é necessário acionar as usinas térmicas, cujo custo é mais elevado. Assim, aumenta o preço geral da energia.

Vale lembrar que não adianta chover num lugar e não chover nos outros, porque o sistema de transmissão de energia no Brasil é quase todo interligado. Se falta num lugar, falta em todos.

Num momento de alta dos preços, em especial de reajustes sucessivos nas bandeiras tarifárias de energia elétrica, é bom saber como poupar uma grana. 

Para muita gente, saber economizar na conta de luz é a única forma de fechar as contas do mês. Dê uma olhada em 11 dicas sobre como economizar energia.