Pesquisa mostra recuo no total de famílias inadimplentes no país

Estudo da Confederação Nacional do Comércio mostra alta na parcela de famílias com dívidas. Confira dicas para planejar o pagamento de empréstimos

Zero
Dívida
Por Redacao PAN

A inadimplência dos consumidores teve uma ligeira queda em setembro, na comparação com o mês imediatamente anterior (agosto). A redução foi de 25,6% para 25,5%, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Em agosto, o patamar de famílias inadimplentes foi mantido igual ao mês de julho: 25,6%. Antes, a inadimplência aumentava: eram 25,1% em junho e 24,3% em maio, segundo a CNC. 

Veja abaixo a série histórica das famílias brasileiras inadimplentes nos últimos 5 meses, de acordo com a pesquisa da CNC:

  • Setembro: 25,5%

  • Agosto: 25,6%

  • Julho: 25,6%

  • Junho: 25,1%

  • Maio: 24,3%

A pesquisa da CNC também mostra que há menos famílias inadimplentes em setembro de 2021 do que havia no mesmo mês do ano passado. Agora, são 25,5%. Antes eram 26,5%. 

Os números da pesquisa também revelam que há menos famílias em setembro que dizem que continuarão sem conseguir pagar as contas. 

Em agosto, 10,7% das famílias diziam que continuariam inadimplentes. Agora são 10,3%. Em setembro do ano passado, eram 12%.

Logo, há menos famílias que dizem que continuarão inadimplentes tanto em relação ao mês anterior quanto na comparação com o mesmo mês de 2020.

Como equilibrar as contas e conseguir sair da inadimplência

Uma mulher sentada, sorrindo, mexe no laptop sobre a mesa, enquanto um jovem se debruça entre ela e um homem de óculos que está ao lado segurando uma folha de papel. A mulher e o homem parecem ser pais desse jovem

Para evitar uma situação de inadimplência, há diversas dicas que você pode seguir para organizar sua vida financeira. 

Veja abaixo algumas dessas dicas de planejamento financeiro, que podem te ajudar a conquistar objetivos pessoais, como economizar uma grana ou realizar uma viagem de fim de ano:

Elimine gastos extras

A partir do momento que você perceber que o seu orçamento está desequilibrado, não perca tempo e comece a priorizar e eliminar os gastos que não são essenciais na sua vida.

Isso vai exigir um pouco mais de disciplina e atenção de você porque será preciso analisar tudo aquilo que pode ser cortado como, por exemplo: compras desnecessárias no supermercado, gastos com comida pronta, TV por assinatura, muito gasto com energia ou água, dentre outros casos.

Controle o consumo

Sabe aquelas promoções imperdíveis que aparecem na televisão ou nas redes sociais? Apesar de serem atraentes, você precisa resistir a este tipo de tentação porque, geralmente, pode mais atrapalhar do que contribuir no planejamento financeiro que você elaborou.

Defina metas e objetivos financeiros 

Agora que você já cuidou dos gastos extras, é hora de se concentrar e definir suas metas e objetivos financeiros daqui pra frente. Além disso, pense em como você vai fazer para conseguir alcançá-los, determinando valores, prazos e formas de pagamento. O importante ao definir estes itens é manter a atenção, persistência e sempre ajustá-los quando for preciso.

Outra boa solução para sair de uma situação de inadimplência pode ser um empréstimo. Veja aqui o que considerar na hora de fazer um.

Cresce parcela de famílias com dívidas

Imagem fica nas mãos de uma mulher e de um homem. Ambos seguram folhas de papel que parecem ser boletos, sendo que o homem aponta para a folha que está segurando

Outra constatação da pesquisa da CNC é que o total de brasileiros endividados chegou a 74% em setembro. Antes, em agosto, eram 72,9%. A quantidade de endividados era de 71,4% em julho. Em junho, 69,7%. 

Os números representam recorde.  Mas é importante lembrar que nem toda dívida é algo ruim. Quando cabe no seu orçamento, o crédito pode ser uma forma de aumentar seu patrimônio ou financiar compras que você precisa, mas não tem o dinheiro à vista.

O problema é quando as pessoas não têm dinheiro para quitar as contas, que é a inadimplência. 

Aliás, vale a pena você dar uma olhada no que são os “birôs de crédito”, empresas que fazem gestão de uma série de dados relacionados a pagamentos. É interessante que você saiba como eles funcionam. Dê uma olhada aqui!