Valor da cesta básica em São Paulo supera salário mínimo

Levantamento do Procon-SP e do Dieese mostra que custo médio dos itens foi de R$ 1,226.12 em maio

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

O salário mínimo já não é suficiente nem para comprar uma cesta básica em São Paulo. 

É isso o que aponta uma pesquisa mensal do Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos). 

A variação da cesta básica foi de 1,36% na passagem de abril para maio. O preço médio subiu de R$ 1,209.71 para R$ 1,226.12, ou seja, mais que os R$ 1.212,00 do salário mínimo no país.

Entre os motivos para o aumento da cesta básica de abril para maio estão: 

  • problemas climáticos

  • questões sazonais

  • excesso ou escassez de oferta ou demanda pelos produtos

  • preços das commodities (como barril do petróleo, por exemplo)

  • variações cambiais (valorização do dólar em relação ao real, por exemplo)

  • formação de estoques

  • desonerações de tributos

  • Leia também: Como economizar dinheiro nas compras do supermercado

Saiba os itens que mais impactaram na cesta básica

Um homem branco de camisa social azul, manga dobrada na altura do cotovelo, segura com a mão direita um carrinho de compras num corredor de supermercado

Veja abaixo a lista de alguns itens da cesta básica e suas oscilações

Café em pó: o valor médio do pacote caiu de R$ 15,31 para R$ 15,10 (-1,37%). Mas não se engane: no ano, a variação foi de 21,87%, porque o preço do pacote de 500 gramas era de R$ 12,39 em dezembro de 2021. 

Nos últimos 12 meses, o café ainda figura como o item da cesta que mais subiu (95,60%). Em maio de 2021, custava em média R$ 7,72.

Batata: outro produto que tem puxado a alta da cesta básica. Nos últimos 12 meses, o quilo teve aumento de 70,04%. Em maio de 2021, custava em média R$ 4,64. Um ano depois, R$ 7,89. 

Biscoito Água e Sal: a alta acumulada nos últimos 12 meses do pacote de 200g foi de 48,84%. O valor médio de maio de 2021 era de R$ 2,15 e passou para R$ 3,20 no mesmo mês de 2022. 

É o terceiro item que mais subiu de preço no período. Isso porque a farinha é importante insumo dos biscoitos. Um dos grandes problemas tem sido a guerra entre Rússia e Ucrânia, importantes exportadores do grão. 

Cebola: de abril a maio de 2022, subiu de R$ 5,11 para R$ 6,73. A alta foi de 31,70%. A variação acumulada, nos primeiros cinco meses do ano, foi de 69,10%; em dezembro de 2021, o item custava R$ 3,98.

Salsicha: em abril de 2022, o quilo da salsicha custava, em média, R$ 13,11, mas passou para R$ 13,94, em maio. Aumento foi de 6,33%. No ano, porém, o embutido acumulou retração de -2,11%. Em dezembro de 2021, o valor médio era R$ 14,24.

Queijo muçarela: aumento médio de 5,55%; em abril de 2022, custava R$ 45,77, mas subiu para R$ 48,31, no mês seguinte. No ano, a alta é de 18,41%, porque o valor em dezembro de 2021 era de R$ 40,80.

Leite UHT: de abril para maio de 2022, o preço médio do litro de leite UHT passou de R$ 4,72 para R$ 4,95. A variação foi de 4,87%. No ano, a alta é de 33,42%, já que o valor em dezembro de 2021 foi de R$ 3,71. 

Farinha de mandioca: o pacote de 500 gramas custava, em média, R$ 5,09, em abril. Aumentou para R$ 5,34, no mês seguinte. A alta foi de 4,91%. O aumento acumulado, em 2022, é de 12,66%. O preço médio, em dezembro de 2021 era de R$ 4,74.

Pão francês: em abril de 2022, o quilo custava R$ 15,13 e, em maio de 2022, subiu para R$ 15,48. Alta de 2,31%. No ano, o aumento é de 13,24%. O valor era de R$ 13,67.

Carnes de 1ª e de 2ª: em abril, os valores do quilo eram, respectivamente, R$ 46,18 e R$ 34,88. Aumentaram para R$ 46,52 (0,74%) e R$ 35,33 (1,29%) em maio.

No ano, a variação acumulada da carne de 1ª foi de 8,46%. Em dezembro de 2021, o preço médio era R$ 42,89. Já a alta acumulada do corte de 2ª foi de 5,06%, porque o valor do quilo, em dezembro de 2021, era de R$ 33,63.

Biscoito recheado: em abril de 2022, o pacote custava, em média, R$ 2,20, mas diminuiu para R$ 2,07, em maio. A queda foi de -5,91%. No ano, porém, houve alta de 8,38%, já que em dezembro de 2021, o preço médio era R$ 1,91.

Frango: de abril a maio de 2022, o preço médio do quilo do frango passou de R$ 11,86 para R$ 11,67. Queda de -1,60%. No ano, a alta é de 2,10%. Em dezembro, o custo era de R$ 11,43.

Agora que você já viu o valor de cada item da cesta básica em São Paulo, é bom que você saiba também sobre outro assunto que impacta o bolso dos brasileiros: a energia elétrica. 

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) reajustou em até 64% o valor das bandeiras tarifárias. A conta de luz não vai aumentar para já, mas é bom que você tenha na cabeça algumas dicas para poupar uma grana com energia.