Cifrão ($): o que é e como surgiu o símbolo associado ao dinheiro

Apesar da origem incerta, o cifrão é um símbolo reconhecido ao redor do mundo

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

O cifrão faz parte da vida do brasileiro. Seja enquanto lê textos que incluem valores monetários, realiza transferências bancárias ou simplesmente utiliza um emoji ou um meme, o símbolo “$” sempre marca presença.

Quem não se lembra dos olhos brilhantes do Tio Patinhas ao observar uma sacola na qual foi rascunhado o cifrão? Ou precisou enviar uma mensagem e se esforçar para lembrar onde se posiciona no teclado do notebook ou celular? Ou, quem sabe, viu um anúncio ou peça publicitária onde ele era estampado?

Pois é, em algum momento o sinal passará pela sua rotina, mesmo que você não perceba. 

No entanto, algumas dúvidas ainda pairam sobre sua existência. Por exemplo: 

  • Qual é o seu propósito?

  • Como surgiu?

  • Por que se tornou um dos mais populares marcadores de moeda?

Se você quer saber mais sobre a história do cifrão, sua origem e funcionalidade, continue a leitura. No texto a seguir, descubra todas as informações necessárias sobre esse símbolo tão conhecido. 

Antes de tudo, o que é o cifrão?

Mão segurando notas de dinheiro, enquanto cifrões flutuam ao redor do cenário.

O cifrão ($) é considerado o símbolo universal do dinheiro. Acompanha uma sigla abreviada ao padrão monetário de um determinado local (como no caso do R$, que simboliza o real), mas ganhou outras referências ao longo do tempo, geralmente ligadas ao consumismo. 

É um dos mais famosos símbolos do mundo, reconhecido em quase todo o globo. Ficou popularmente conhecido como “sinal do dólar” (dollar sign) nos Estados Unidos. 

Uma cifra é, de maneira geral, uma forma de criptografia, uma codificação. É utilizada em diversos campos de estudo, como a matemática, a música ou a programação. O cifrão é o desenho escolhido para representar na economia uma moeda (ou unidade de conta).

Apesar de sua função prática, ganhou outras funcionalidades na cultura popular, como  a associação a manifestações de poder. Isso pode ser notado em marcas de roupas, acessórios ou até mesmo nomes artísticos e nicknames de jogadores de esportes eletrônicos. 

Mas a participação do cifrão na sociedade vai muito além disso. Ele está representado em faturas, linguagens de computação, emojis, memes, desenhos animados, peças de publicidade etc, sempre relacionado ao dinheiro. 

Como o cifrão é utilizado oficialmente?

O cifrão é utilizado oficialmente como um símbolo monetário simples, assim como o € (euro), o ¥ (iene) e o £ (libra esterlina). 

No entanto, também pode ser agrupado em um símbolo monetário composto, constituído por duas partes: 

  • Uma abreviação para o padrão monetário (R para real, Mex para peso mexicano ou NZ para dólar neozelandês)

  • O cifrão (representado pelo símbolo “$”).

Como resultado final, temos a representação gráfica de uma moeda: R$, Mex$ ou NZ$. 

Como funciona o cifrão do real? E o que significa o símbolo R$?
Moeda de um real no primeiro plano e diversas outras moedas ao fundo.

A abreviatura do real é o R$. O R representa de qual moeda se trata - real - e o cifrão indica que é uma moeda. 

  • Exemplo: R$ 56,90.

E quanto ao cifrão do dólar?

A abreviatura do dólar é o US$. A sigla é formada pelas letras US - abreviação de United States, ou Estados Unidos em inglês - e pelo símbolo $ e leva à interpretação do significado “dinheiro dos Estados Unidos” . No entanto, é comum vê-lo representado apenas pelo $. 

  • Exemplo: US$ 150,00 ou $ 150,00. 

Como surgiu o sinal de cifrão?

Homem de óculos tomando um café enquanto lê um livro do qual saem sinais de cifrão, sugerindo um livro sobre educação financeira.

As perguntas sobre a origem do cifrão não chegam a uma única resposta. Existem diferentes versões da história e, portanto, não há consenso acerca de seu surgimento. 

De acordo com a Casa da Moeda do Brasil, etimologicamente o símbolo vem do árabe cifr. O primeiro registro data de 711, ano em que a Península Ibérica foi conquistada pelo general Táriq-ibn-Ziyád, anteriormente ocupada pelos visigodos. 

Em comemoração à vitória, ele teria mandado gravar uma linha sinuosa em algumas moedas, idealizando um S. O formato seria uma referência ao tortuoso caminho percorrido para alcançar a Europa. Além disso, foram adicionadas duas linhas verticais paralelas, representando as Colunas de Hércules: a força, o poder e a perseverança. 

Já conforme divulgado pelo Departamento do Tesouro Americano, a história mais aceita é um pouco menos interessante. O símbolo se originaria do uso sobreposto das letras “P” e “S”, abreviando a palavra “peso”, moeda usada antes da independência do país nas negociações entre a América Hispânica e a América Inglesa. 

Outra versão se popularizou por meio da escritora Ayn Rand no livro ficcional “A Revolta de Atlas”. Ela defende que a sobreposição seria referente a outras duas letras: o “U” e o “S”, referentes a United States (Estados Unidos). Porém, trata-se de um erro histórico, dado o fato de que os registros do cifrão antecedem a criação daquele país. 

Uma das teorias mais obscuras nos leva à antiga Boêmia, onde foi criada a moeda conhecida como táler, utilizada na Europa por mais de 400 anos. 

Seu símbolo era representado por uma cobra em uma cruz cristã, uma alusão à história de Moisés que enrolou uma cobra de bronze em um poste para curar aqueles que foram mordidos. Nesse caso, ela teria servido como inspiração para o símbolo “$”. 

A história sobre a origem do cifrão nos deixa com mais dúvidas do que certezas. O que sabemos, de fato, é que esse símbolo é facilmente reconhecido em qualquer parte do mundo, sendo um dos mais notáveis exemplos da universalidade da comunicação humana, historicamente falando. 

Se você gostou do texto, é possível que também se interesse pelos apelidos do dinheiro. Nesse caso, acesse o artigo no blog e descubra alguns dos nomes pelos quais é chamado no Brasil.