Como abrir uma empresa no Brasil... e fazer com que ela sobreviva

Além de entender como abrir uma empresa no Brasil, é importante se preocupar em mantê-la viva!

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Quem está com vontade de entrar no mundo do empreendedorismo precisa entender como abrir uma empresa no Brasil.

É um processo que  envolve algumas decisões importantes, como escolher a atividade econômica apropriada para a sua ideia. 

Além de saber como funciona o processo de abertura de empresa, é fundamental entender que o mercado tem seus riscos e que, por isso, muitos negócios acabam fechando. 

A pesquisa “Mapas de Empresas”, do Ministério da Economia, traz um retrato disso:

  • Foram abertas 3.359.750 empresas no Brasil em 2020 (alta de 6% em relação a 2019);

  • Em 2020, eram 19.907.733 empresas ativas no Brasil.

Os números mostram que o mundo do empreendedorismo é grande e desafiador. É essencial entender  como abrir uma empresa no Brasil e garantir que ela sobreviva a todos os obstáculos que podem surgir no seu caminho rumo ao sucesso.  

Quanto custa abrir empresa

É importante pensar também nos custos financeiros de abrir uma empresa, afinal é preciso pagar taxas e, dependendo do tipo de empresa, também contar com o auxílio de profissionais de Contabilidade. 

De acordo com a pesquisa da Firjan Quanto custa abrir uma empresa no Brasil?, para criar uma empresa gasta-se, em média, 2.038 reais. 

Esse valor vai variar de acordo com os valores cobrados pelo contador contratado e também de acordo com o estado no qual o negócio estará. A mesma pesquisa mostra que o valor médio para abrir negócio na Paraíba é de 963 reais, enquanto que quem está em Sergipe e quer empreender precisa desembolsar 3.597 reais.

Por isso, é bom se preparar para ter algum capital na hora de abrir a empresa. Assim você evita surpresas e não precisa parar no meio do processo porque faltou dinheiro. 

mulher aponta lápis para uma data em um calendário. A mulher é branca, aparece do tórax para baixo, usa camiseta bege e calça jeans

Quanto tempo demora para abrir empresa

De acordo com o Mapa de Empresas do Brasil, do Ministério da Economia, a média de tempo de abertura de uma empresa no país é de 2 dias e 13 horas. 

Vale lembrar que a pandemia pode impactar esse tempo: no auge do isolamento social, em maio, o tempo subiu para 4 dias e 7 horas.

O tempo também varia de acordo com o estado em que você deseja abrir a empresa. Goiás, por exemplo, tem o menor tempo para abertura de um negócio: 1 dia e 2 horas. Já a Bahia é o estado com o maior tempo médio para abrir empresas, com 6 dias e 20 horas. 

Ainda existem diferenças em relação às cidades para abrir negócio: nas capitais, em média, você levará 22 horas para criar sua empresa em Curitiba (PR), mas o tempo sobe para 8 dias e 17 horas se estiver em Salvador (BA).

Além disso, o tempo pode aumentar ou baixar de acordo com a rapidez no levantamento da documentação necessária, além de outras variáveis como a escolha dos profissionais que ajudarão você nesse processo.

Como abrir uma empresa no Brasil em 7 passos

Fale ou contrate um contador

O profissional de Contabilidade não é exigido para quem quer abrir uma empresa na modalidade de MEI (Microempreendedor Individual). Nas demais modalidades, é obrigatório contratar um contador, por isso é importante verificar o tipo de empresa que deseja abrir.

Além disso, o contador vai tirar todas as dúvidas e ser grande aliado durante todo o processo de criação do seu negócio, inclusive se você quiser ser MEI. 

Esse profissional auxilia na análise e envio de documentos da futura empresa, além de realizar todos os trâmites antes, durante e depois da criação do negócio.

Faça uma pesquisa sobre nomes

Imagina começar todo o trabalho para abrir uma empresa e descobrir no fim que tem outra com o nome igual ou muito parecido? O nome é importante, tanto para evitar processos de propriedade intelectual quanto para que o seu negócio possa ser conhecido. 

Por isso, vale pesquisar por aí, começando pela internet, se alguém já teve a mesma ideia de nome empresarial que você. Além disso, ainda dá consultar a Junta Comercial do seu estado para ver se o nome pensado para a sua empresa é viável.

Elabore contrato social e registre na Junta Comercial

Com o contador e o nome da empresa já definidos, é hora de fazer o contrato social do negócio. É o documento que cria a empresa, pois tem dados como o objetivo, ramo de atuação, composição do negócio, sistema de tributação e várias outras. 

O contador pode ajudar nesse processo, mas também é possível ter ajuda de um advogado. Depois, leve o contrato para a Junta Comercial do seu estado, além da cópia de documentos como RG, CPF e outros.

Comerciante abre as portas de estabelecimento, convidando quem olha a imagem para entrar. O comerciante é branco, veste camisa social cinza claro e avental com listras brancas e azuis, e ao fundo aparece ambiente de restaurante ou cafeteria

Obtenha o CNPJ da empresa

Depois de entregar toda a papelada para a Junta Comercial, ela vai gerar o Nire  (Número de Identificação de Registro de Empresa). Com esse código, é hora de obter o número da sua empresa no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, a partir do site da Receita Federal.

De novo: o contato ajuda em todo esse processo, e muitas vezes é esse profissional que cuida do envio de documentos e cadastro junto às entidades públicas.

Providencie o alvará de funcionamento

Mesmo que a sua atividade comercial não envolva diretamente um espaço físico (como profissional de áreas de comunicação e marketing, por exemplo), você precisa de um alvará de funcionamento. 

Ele é obtido na prefeitura ou administração regional da cidade na qual a empresa será sediada. 

Para sair com o alvará, é preciso preencher um formulário da prefeitura, além de providenciar a cópia do CNPJ, contrato social, aprovação prévia do endereço e laudos de vistoria (caso a atividade precise de local físico). 

O contador pode tirar todas as dúvidas nesse momento e seguir os trâmites necessários.

Além disso, dependendo da atividade da empresa é preciso obter licenças dos órgãos de regulação. Caso a empresa seja do ramo têxtil, químico ou atividades industriais, pode ser necessária a licença ambiental, por exemplo.

Faça a inscrição estadual

Você ainda precisa fazer a inscrição junto à Secretaria da Fazenda do seu estado, pois ele é necessário para o recolhimento de impostos estaduais. 

Uma série de documentos deve ser disponibilizada para a secretaria, como cópia autenticada de documentos relacionados aos sócios da empresa (ou seus documentos, se não houver sócios), cópia do CNPJ, documentos do contador, entre outros.

É possível, dependendo do estado da empresa, que a inscrição estadual na Secretaria de Fazenda seja obtida ao mesmo tempo da obtenção do CNPJ, com um cadastro único. Também pode acontecer da inscrição precisar ser obtida antes do alvará de funcionamento. Para esse momento, aproveite o conhecimento técnico do contador.

Registre-se na Previdência

Isso vale mesmo que a empresa não tenha funcionários, afinal existem tributos que devem ser pagos para a Previdência Social. Por isso, depois de finalizar a etapa da inscrição estadual, obtenha o registro da empresa perante a Previdência.

Providencie a autorização para emissão de notas fiscais

A nota fiscal é o comprovante de execução de serviços ou de vendas da sua empresa. Por isso, para registrar as atividades comerciais do seu negócio, é preciso emitir nota. Para isso, a empresa deve obter uma certificação digital. 

infográfico com trechos do texto e ilustrações

Como manter a sua empresa aberta

Como vimos no começo do texto, milhares de empresas fecham todo ano no Brasil. Os motivos  vão desde problemas econômicos a até mesmo má gestão. 

Por isso, para que a sua empresa permaneça aberta, além de formalizar o negócio, é muito importante observar os seguintes aspectos para continuar com a empresa funcionando:

  • Registre os custos da empresa: não perca o controle dos gastos da sua empresa, seja com despesas fixas (contas de aluguel, luz, etc) seja com gastos eventuais (investimento em maquinário, reparos de emergência, entre outras;

  • Organize os ganhos e receitas: por mais que você ache que os ganhos da empresa estejam indo bem, é importante registrar tudo, para você saber exatamente qual é o faturamento do negócio;

  • Tenha um bom controle financeiro: planilhas, sistemas de controle financeiro e até mesmo alguém contratado para controlar entradas e saídas da empresa são ótimas maneiras de manter o controle sobre os recursos que entram e saem da empresa;

  • Guarde e invista dinheiro: a reserva de emergência não vale apenas para pessoas físicas: ela também ajuda empresas a lidarem com imprevistos. Além disso, dá para investir parte dos lucros do negócio e transformar o dinheiro em mais dinheiro;

  • Peça ajuda: sempre que precisar, peça ajuda para não deixar a peteca cair. A sua empresa pode ser ajudada tanto por instituições como o Sebrae, especializada em auxiliar pequenas e médias empresas, quanto por bancos, por meio de empréstimos.

infográfico com trechos do texto e ilustrações

Você também pode ver essas 3 dicas valiosas para fazer o seu negócio render mesmo na crise para ajudar ainda mais a administrar sua empresa!