Como economizar quando você for morar sozinho

Controle
Seus Gastos
Por Rodrigo Chiodi
Deixar a casa dos pais e, pela primeira vez, ir morar sozinho é um passo que demonstra maturidade na vida de uma pessoa. É, sem dúvida, uma conquista. Mas tem, literalmente, um preço a se pagar.

Não basta apenas ter uma noção, você precisa saber exatamente quanto custa! Isso significa colocar todas as suas contas numa planilha (ou no papel) e depois somar.

Você não pode pensar somente em aluguel, condomínio (em caso de apartamento), água, luz e internet banda larga. Deve considerar também compras de supermercado, lazer (baladas, cinema e outras saídas), transporte, consertos na casa, educação (como cursos) e tudo mais que vai acabar chegando em forma de boleto ou na fatura do cartão de crédito. Uma dica é acessar o site Custo de Vida
, que usa informações de usuários para dar uma ideia de quanto cada item pode custar.

Quanto custa o aluguel?

O valor do aluguel varia conforme cidade, localização, tamanho e condições do imóvel.
Por exemplo, segundo o site Custo de Vida, o aluguel de uma quitinete numa região barata de São Paulo pode custar por volta de R$ 800,00. Já um apartamento de dois quartos num bairro mais caro dessa mesma cidade chega a custar mais de R$ 2.500,00.

Numa capital menor, como João Pessoa, os valores são bem mais em conta segundo o site. Uma quitinete num bairro modesto pode sair por menos de R$ 400,00 e o apartamento de dois quartos numa região badalada, por menos de R$ 1.300,00. É bem mais barato do que São Paulo.

Perceba, então, que você precisa pesquisar bastante na sua cidade para saber o custo da sua região e do bairro em que você deseja morar.

Dicas para quem mora sozinho

No vídeo abaixo, o youtuber Igão apresentou no canal #PraFazerMais, do PAN, dicas para quem pretende morar sozinho. Afinal, o próprio Igão já saiu da casa dos pais e hoje vive em Osasco (SP) por conta própria.



Tiramos do vídeo do Igão algumas dicas para você:
  • Lembre-se sempre disso: imprevistos custam caro. O valor que você ganha por mês precisa ser um pouco mais alto que a soma de todas as despesas. Porque sempre acontece um imprevisto. Por exemplo, se você ganha R$ 2.000,00 por mês, as suas despesas totais do mês não podem somar R$ 2.000,00. Precisa ter uma gordurinha porque sempre tem um imprevisto. É uma coisa que quebra, uma conta que vem mais alta sem você prever e coisas do tipo. Então, não pode ficar sempre no limite.
  • Já que vai alugar, muitas vezes você vai poder escolher a região onde vai morar. Então, pode escolher um lugar próximo do trabalho — desde que os aluguéis na região não sejam muito caros, é claro. Isso vai ajudar a economizar com transporte público ou gasolina.
  • Antes de mudar, visite o imóvel e faça uma boa vistoria para ver se está tudo em ordem: piso, paredes, encanamento, fiação e outros detalhes. Não deixe para descobrir os problemas depois que você mudar porque será tarde demais.
  • Na hora da mudança, você pode contratar um carreto ou mesmo empresas especializadas. São uma mão na roda, sem dúvida. Mas custam um dinheiro que você talvez não tenha agora. Sempre tem um amigo que tem uma picape ou um carro grande. Pois bem: amigo é para essas horas.
  • Deixe a timidez de lado e faça o chá de cozinha (ou chá de panela). Isso vai ajudar a montar a cozinha, com todos os utensílios. Cozinha é sempre um cômodo caro de se montar. Com cada amigo ajudando um pouco, você consegue se virar bem.
  • Cuidado com pequenas despesas perdulárias. São aqueles gastos que, quando você mora com os pais, não parecem caros. Mas quando você vai morar sozinho, fazem seu orçamento estourar. Pizza todo fim de semana é um exemplo.
  • Quando alguma coisa quebrar e precisar de conserto, você tem duas opções: a cara e a barata. A cara é chamar alguém para fazer o reparo — como eletricista ou encanador. A barata é você se virar. Como o momento é de conter despesas, a segunda opção é a que sobra para você. Os vídeos tutoriais na internet são a sua salvação.
  • Cuidado com a ideia de ter um pet. Cachorros, gatos e outros animais de estimação são adoráveis. Só que eles custam dinheiro. Se o orçamento está curto, e o seu tempo também, talvez seja melhor você esperar mais um pouco até adotar um.