Como evitar que clonem o seu cartão de crédito?

Zero
Dívida
Por Redacao PAN
Uma pesquisa feita pela Axur em 2020 mostrou que mais da metade dos vazamentos de dados de cartões de crédito e débito no mundo acontecem no Brasil. De cada 100 fraudes com esses tipos de cartão, 54 vêm do nosso país. Em segundo lugar, aparecem os Estados Unidos, com 34.

Então, precisa tomar muito cuidado para as pessoas não clonarem o seu cartão. Porque tudo o que elas precisam fazer é copiar os números e os dados que aparecem na frente e no verso dele. Isso basta para que elas saiam fazendo compras por aí em seu nome.

Mas aqui vem a boa notícia: é relativamente fácil evitar ter o cartão clonado. Basta tomar algumas precauções. Então, aqui vão cinco dicas.
 

1. Cartão em mãos alheias

Parece óbvio, mas não deixe ninguém ficar com o seu cartão. Os golpistas podem oferecer ajuda na fila do caixa eletrônico ou em outros lugares fingindo ser funcionários, por exemplo. Muito cuidado.
O que eles vão querer é dar uma rápida olhada no seu cartão para tirar uma foto dele. Ou mesmo para passar em alguma máquina que tire uma cópia física do número, nome, mês e ano de validade e do código CVV.
 

2. Sites clonados

Muitas vezes, quadrilhas clonam sites e fazem de tudo para você pensar que está num site verdadeiro — como uma loja online, por exemplo. No fim, você coloca os dados do seu cartão para fazer uma compra, mas está dando as informações de bandeja para os bandidos. Já publicamos, inclusive, um post com 7 dicas de como fazer uma compra segura pela internet. Vale a pena dar uma lida para se proteger melhor.

Tome muito cuidado porque a quantidade de crimes na internet, que já era grande, cresceu ainda mais durante a pandemia, segundo dados de uma instituição chamada Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America. Só no Brasil, foram 2,6 bilhões de ataques de todo tipo (incluindo roubo de dados de cartão de crédito) de janeiro a junho de 2020).
 

3. Wi-fi público

Cuidado com o acesso público à internet, como o wi-fi da escola, trabalho, shopping, hotel, lanchonete, lan house ou qualquer outro lugar em que muita gente consiga acessar — mesmo que elas peçam senha. Se você entrar na sua conta bancária ou no seu app de cartão de crédito por esse tipo de rede, está dando a chance para os criminosos que usam essas mesmas redes terem acesso às suas informações.
Então, na hora de consultar os dados do seu cartão de crédito pelo computador ou mesmo pelo celular, só use um wi-fi seguro, como o da sua casa — ou então o 4G do seu celular, que é ainda mais protegido.
 

4. Caixa falso

Pode parecer coisa de filme, mas existem caixas eletrônicos clonados. Quando você for fazer uma operação num caixa eletrônico, verifique se aquele compartimento onde você enfia o cartão está fixo. Ou seja, tente puxá-lo sem fazer muita força.

Por quê? Bem, a dica é da própria Polícia Federal, que descobriu em 2020 que algumas quadrilhas instalam frentes falsas. Por trás dela, fica um computador. Ou seja, a tela que você enxerga é na realidade a do computador dos bandidos, mas a frente falsa faz você pensar que é a do caixa. E a parte onde você enfia o cartão também tem uma maquininha de leitura de cartões instalada pela quadrilha (e conectada ao computador deles).

Daí, você entra, coloca a sua senha, mas o computador dos bandidos está programado para dar uma mensagem de erro e nunca completar a operação. O problema é que ele captura todas as suas senhas e registra todos os dados do seu cartão.

Daí a dica: tentar puxar levemente aquele compartimento porque os bandidos não chegam a colar ou parafusar aquela engenhoca que eles criam. Eles precisam que tudo fique solto para fugirem depois que tiverem clonado alguns cartões.

Por isso, se aquela frente falsa que eles colocaram estiver solta, saia discretamente da agência bancária e, para não chamar a atenção da quadrilha (que pode estar ali por perto), avise a polícia quando estiver em um local seguro.
 

5. Alerta SMS

Muitos cartões oferecem a opção de você receber um alerta de SMS no celular cada vez que uma operação de compra for feita. Vale a pena ativar essa opção. Afinal, se alguma compra for feita sem o seu conhecimento, você vai receber o aviso e vai poder tomar as providências na mesma hora.
 

O que fazer se for vítima?

 
Se você tiver o cartão clonado, o Serasa recomenda seguir os seguintes passos:

1. Comunique a operadora de cartão de crédito ou banco imediatamente. Você pode fazer isso por telefone ou, em muitos casos, pelo próprio app. Muitas empresas oferecem essa opção, como é o caso dos próprios cartões do PAN. Quanto mais cedo você fizer o bloqueio, melhor.
2. Identifique quais são as compras que você não reconhece.
3. Dica extra: anote o protocolo para dar continuidade ao seu atendimento no futuro sem precisar repetir toda a sua história.
4. Faça um boletim de ocorrência (B.O.). Isso é importante porque se no futuro chegar um protesto em seu nome, você vai ter um documento provando que foi vítima de clonagem de cartão. Na maioria dos estados brasileiros, você pode fazer o B.O. pelo site da Polícia Civil.

O youtuber Matheus, do canal Matando Matheus a Grito, gravou um vídeo falando um pouco mais de clonagem de cartão. Confira!