Depósitos na poupança superam saques em R$ 72,6 milhões em maio

Banco Central mostra que tradicional investimento teve mais retiradas do que aplicações no acumulado de 2021

Renda
Extra
Por Rodrigo Chiodi

No mês de maio, a caderneta de poupança teve R$ 72,63 milhões de depósitos a mais  do que saques, de acordo com relatório divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira (7). Este é o 2º mês com saldo positivo do ano. 

Por outro lado, no acumulado do ano, a poupança teve R$ 23,62 bilhões em saques a mais que depósitos em 2021 - o termo técnico que os economistas usam para isso é retirada líquida. Esse resultado negativo no saldo da caderneta é fruto do que aconteceu nos 3 primeiros meses do ano (janeiro, fevereiro e março).

Em abril, único outro mês em que também houve saldo positivo na poupança, os depósitos superaram os saques em R$ 3,84 bilhões. 

O governo retomou o pagamento do auxílio emergencial, numa média de R$ 250 por mês em 4 parcelas, justamente naquele mês. Vale lembrar que os pagamentos do auxílio emergencial, realizados pela Caixa, foram feitos em contas de poupança digitais. 

Em maio do ano passado, a poupança bateu seu recorde histórico para qualquer mês, numa série que começou em 1995. A entrada líquida foi de R$ 37,2 bilhões.

Em todo o ano de 2020, a poupança teve R$ 166,31 bilhões a mais de depósitos do que de saques, um volume recorde. O ano foi marcado pela transferência de renda para os mais vulneráveis por meio do auxílio emergencial.

Rentabilidade da poupança

A caderneta de poupança é um investimento tradicional e muito buscado pelos brasileiros. Para depósitos feitos depois de maio de 2012, ela rende 70% da taxa básica de juros, a Selic. No momento, como a taxa está em 3,5% ao ano, o rendimento corresponde a 2,45% ao ano.

Com isso, a poupança está perdendo para a inflação oficial do país, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que, nos 12 meses terminados em em abril de 2021, , acumula variação de 6,76%.

Como guardar dinheiro?

Mulher sentada à frente de uma mesa branca de cabelos crespos curtos, óculos preto, brinco de argola nas orelhas e no nariz e blusa de alcinha branca olha para a câmera enquanto mexe no notebook que está sobre a mesa; atrás dela, há uma geladeira com porta dupla de inox e, à direita dela, ao fundo da imagem, um quadro negro 

Guardar dinheiro é um objetivo que nem todos conseguem. Uma boa maneira pode ser economizar todo mês, já que a maioria das pessoas recebe salário ou rendimento mensal. 

Assim, você já estabelece que, frequentemente, vai reservar parte do que ganha para formar o seu “colchão financeiro”, como também é chamada a reserva financeira. Recomenda-se que essa reserva seja de, no mínimo, 6 meses dos seus gastos mensais.

Por exemplo: se a sua família gasta todo mês R$ 4 mil, o colchão financeiro deve ser de R$ 24 mil, pois vocês conseguirão se manter durante 6 meses caso percam todas as suas fontes de renda.

Eis algumas dicas para poupar:

  1. Saiba exatamente quanto você possui de renda mensal;

  2. Tenha uma lista com todos os seus gastos;

  3. Comece a reduzir despesas;

  4. Busque maneiras de aumentar a sua renda;

  5. Tenha uma meta para guardar dinheiro;

  6. Renegocie dívidas que têm juros muito altos;

  7. Reveja os seus hábitos gastadores;

  8. Preste atenção nos recursos e formas de pagamento que for usar;

  9. Repense as suas prioridades de vida;

  10. Compartilhe o esforço de juntar dinheiro com outras pessoas;

  11. Busque investimentos que tragam rentabilidade.

Se você está começando a guardar suas economias, pode abrir uma conta digital no Banco PAN e ver sua grana render muito mais que a poupança. Conheça a PoupaPAN!