Os dez itens do orçamento de quem vai morar junto

Controle
Seus Gastos
Por Rodrigo Chiodi
Você está namorando há algum tempo e decidiu juntar as escovas de dentes? Ainda que algumas pessoas façam brincadeiras, como o escritor Millôr Fernandes, que dizia que “o pior casamento é o que dá certo”, saiba que isso é bobagem. Juntar os trapos é bom, sim. Um estudo feito pela Universidade de Michigan, dos Estados Unidos, mostra que as pessoas casadas são mais felizes no longo prazo.

 

Acontece que, no começo da vida do casal, a grande dificuldade para muita gente é financeira. A não ser que você tenha nascido em berço de ouro, no início de carreira é duro e pagar as contas. Listamos, então, os dez itens que vão compor o orçamento de um casal.

1. Moradia

Não é só aluguel ou prestação do imóvel que conta. Coloque na conta IPTU e, se você for morar em prédio ou vila de casas, o condomínio também. Se você for comprar um imóvel, os valores variam bastante de cidade para cidade, de bairro para bairro e de imóvel para imóvel. Em São Paulo, por exemplo, que é uma das cidades mais caras do País, o preço do metro quadrado varia quase quatro vezes. Uma reportagem do Estado de S. Paulo mostra que, em 2020, ele custa de R$ 12,92 a R$ 48,61 dependendo da localização. Por isso, pesquise bem.

2. Água, luz e gás

Contas básicas da casa têm uma agravante: elas variam ao longo do ano. A conta de luz, por exemplo, sobe no inverno não apenas por causa do consumo, mas também porque as bandeiras tarifárias mudam, como já explicamos neste post. Com luz e gás, o consumo também varia conforme o uso.

3. Alimentação

Considerando supermercado, restaurantes e outros lugares onde come, é neste item que você tende a gastar a maior parte do seu dinheiro. Um estudo feito pelo Cuponation em 2019 mostrou que quem não ganha salários muito altos gasta a maior parte da sua renda com comida. A dica é escolher os supermercados mais baratos, encontrar descontos e moderar nos restaurantes para ter controle das despesas com alimentação.

4. Telefone

O telefone fixo deixou de ser um item obrigatório, mas ninguém foge do celular. É verdade que os planos de celular são bem mais baixos do que já foram um dia e a própria opção do pré-pago ajuda a fugir desta despesa fixa. Acontece que você acaba de tempos em tempos gastando com o aparelho.

Segundo o IDC Brasil, os smartphones intermediários custam, em média, entre R$ 1.100 e R$ 1.199 — preços de setembro de 2020. Se você for uma pessoa que gosta de modelos mais top de linha, prepare o bolso para gastar bem mais do que isso.

5. Transporte

Mesmo que a pandemia tenha dado a possibilidade de muitas pessoas trabalharem de casa, a pandemia não vai durar para sempre. Você acaba gastando, então, não apenas com transportes públicos, mas também com aplicativos de carros compartilhados ou carona. Em média, o brasileiro gasta R$ 1.649 com esse tipo de serviço por ano. A informação é do Guia Bolso. Pode parecer bastante, mas ainda assim é muito menos do que o gasto com carro, que, segundo o Valor Econômico, varia de R$ 357 a R$ 2.091 por mês. Ou seja, R$ 4.284 a R$ 25.092 por ano.

6. Assinaturas

Até bem pouco tempo, este item seria chamado de “TV por assinatura”. Os hábitos mudaram. Muita gente ainda assina as TVs, mas cresce a preferência pelos serviços individuais de streaming, como Netflix, Amazon Prime, YouTube Premium, Spotify e muitos outros. Se você for ver o valor individual de cada um, não são muito altos. Mas, quando você soma, é uma quantia razoável. Então, cuidado. Escolha aqueles que realmente cabem no seu orçamento.

7. Internet fixa

Para navegar e ver streaming em casa, você vai precisar de internet wi-fi. Com o home office se popularizando, nem se fala. O gasto médio do brasileiro com banda larga era de R$ 87,91 em 2019 segundo uma reportagem da Teletime. Mas não se engane: esse é o gasto médio. Significa que, se você quiser uma internet mais rápida, vai pagar bem mais do que isso. E tem um dado preocupante: em um ano, o aumento foi de 34,3%. Novos aumentos sempre podem pintar por aí.

8. Limpeza

Pode ser que você queira fazer toda a faxina por conta própria seja porque quer economizar, seja porque tem esse hábito ou pelas duas coisas. Mas é muito comum contratar o serviço de diaristas. O valor cobrado por esse tipo de prestador de serviço varia muito de região para região. Lembre que sempre vai ter o custo do material de limpeza. Contratar uma pessoa para fazer a limpeza é opcional.

9. Lazer

Os gastos com lazer variam muito de acordo com a cidade, os interesses e o próprio estilo de vida de cada casal. Não há como fazer uma estimativa, mas é importante incluir todos os gastos que podem entrar nesta categoria por mês e por ano: cinema, teatro, baladas, viagens e tudo mais que possa servir para relaxar a cabeça.

10. Manutenção

Publicamos algum tempo atrás um post mostrando 11 despesas inesperadas que uma reserva de emergência pode salvar. O item número 5 diz respeito justamente a reparos na casa, como um cano que estoura, uma porta que emperra, uma janela que quebra ou um aparelho que estraga. Isso acontece a qualquer momento. Então, é preciso se preparar porque, cedo ou tarde, acontece. Manutenção é necessária — e às vezes uma pintura na casa é bem-vinda também. Ou mesmo a troca de móveis e aparelhos mais antigos.

Dicas de uma expert

A influenciadora Ana Bochi, que se casou aos 17 anos, e hoje continua firme e forte morando com seu marido, o José, dá algumas dicas num vídeo do canal Pra Fazer mais, do Banco PAN.