Sabia que uma vida minimalista pode te dar mais tranquilidade financeira?

Mais crédito
para você
Por Redacao PAN

Alguma vez passou pela sua cabeça a ideia de ter uma vida com menos coisas guardadas na sua casa, menos roupas no guarda-roupas, menos panelas no armário da cozinha, menos louças, menos copos, menos talheres, menos roupas, menos lençóis, menos eletrônicos, menos tralhas?

A vida fica mais simples e mais barata sem você deixar a felicidade de lado. Isso tem nome: minimalismo.

Em design e na arte, minimalismo é definido como “usar elementos mais simples e em menor quantidade para criar o máximo de efeito”.

Entendeu a ideia?

Às vezes, um designer consegue enfeitar uma sala colocando apenas dois ou três enfeites nela — e fica linda. Não precisa colocar 20 ou 30, como a maioria faria. Isso é o minimalismo.

As pessoas minimalistas fazem mais ou menos o mesmo com as vidas delas. Elas se programam para ser felizes tendo menos coisas.

Isso, aliás, não é nenhuma modinha. Segundo o site americano The Oprah Magazine, essa ideia começou no século passado com escritores, fotógrafos, beatniks, arquitetos e, principalmente, artistas.

Nos últimos anos, vem ganhando a simpatia das pessoas no Brasil e, o que é mais importante, ajudando a organizar a vida financeira. Não poderia ser diferente: quando você é minimalista, compra muito menos, gasta menos e, assim, sobra mais dinheiro.

Mas como ser minimalista?

Se você gostou da ideia, saiba que precisa primeiro praticar o difícil hábito de se desapegar das coisas.

A influenciadora Ana Bochi fez um vídeo para o canal Pra Fazer Mais, do PAN, contando como foi a sua aventura ao se tornar minimalista. Ela foi experimentando, cortando as coisas que eram desnecessárias. Chegou a exagerar e cortar o shampoo e aí percebeu que já era demais. O shampoo não dá para cortar. Acabou, enfim, achando a medida certa e hoje vive bem, preferindo comprar com qualidade em vez de quantidade.

Existem algumas dicas para quem quiser ser minimalista. O site americano Be More With Less listou sete passos para ser um bom minimalista. Aliás, o próprio nome do site já dá a dica. “Be More With Less” significa “Seja Mais Com Menos” em português.

As dicas são:

1. Anote

Faça uma lista com todos os motivos que levam você a querer viver de forma mais simples. Se você se cansou das dívidas, coloque isso na lista. Se o fato de nunca ter tempo para ficar com a família, anote isso também. O mesmo vale para a dificuldade de dormir à noite ou para o fato de ter um chefe chato. Estes são os seus motivos para quando achar que é muito difícil praticar o minimalismo, você querer seguir em frente. Seus motivos o ajudarão a lembrar o que é importante na sua vida e a querer guardar mais dinheiro para ter mais liberdade.

2. Repetidos

Ande pela sua casa com uma caixa e coloque nela tudo o que for repetido. Por exemplo, se você tiver duas jarras iguais, coloque uma delas na caixa. Tem dois exemplares do mesmo livro? Um deles vai para a caixa. Jogos de toalhas de mesa duplicados? Você só precisa de um. Depois de lotar a caixa, escreva nela: “itens repetidos” e coloque-a num lugar que você não possa ver por 30 dias. Se você não sentir falta de nada que está nela, doe tudo.

3. Zona livre

Declare uma zona livre de bagunça. Ou seja, lá nunca vai ter bagunça nenhuma e vai ser bem clean. Essa área da casa pode ser a mesa da cozinha, a cabeceira da sua cama, uma bancada, uma gaveta ou o que você quiser. Use essa zona livre de bagunça como inspiração para viver com menos. Se você gosta desse ambiente limpo e claro, expanda-o um pouco a cada dia. Uma bancada sem bagunça pode se tornar um cômodo sem bagunça. E um cômodo sem bagunça pode se tornar uma casa sem bagunça — e minimalista.

4. Viaje sem peso

Viajar pode nutrir o seu amor pelo minimalismo e por uma vida simples. Na próxima vez que você viajar, faça as malas como se fosse ficar fora a metade do tempo. Por exemplo, se você for viajar por quatro dias, faça as malas para uma viagem de dois dias. Você pode lavar as roupas enquanto estiver fora ou, quem sabe, usar as mesmas roupas duas vezes — desde que sejam peças que permitam fazer isso (como casaco, calçados e outros) por uma questão de higiene, é claro. A ideia é carregar menos bagagem.

5. Vista-se com menos

Você já ouviu falar no “Projeto 333”? É assim: vista-se com apenas 33 itens por 3 meses (roupas, sapatos, joias, acessórios). Parece extremo, mas milhares de pessoas sabem que isso realmente torna a vida mais fácil em vez de mais desafiadora.

6. Coma refeições parecidas

Quando você pensa em quanto tempo passa definindo o que vai comer no almoço, preparar para a sua família no jantar ou o que você precisa comprar no supermercado, fica claro que comprar comida nem sempre é uma tarefa simples. Experimente comer o mesmo café da manhã e almoço durante toda a semana e tenha duas ou três opções de jantar que variam ao longo da semana. Se sua família reclamar, diga que é uma experiência e converse sobre isso no fim da semana.

7. Economize R$ 1.000,00

Uma reserva de emergência simplifica tudo. Se você estiver pagando dívidas, gaste apenas o mínimo até que consiga economizar R$ 1.000,00. Se você não estiver com dívida, mas ainda gasta o que tem, reserve dinheiro todos os dias ou todas as semanas até chegar a R$ 1.000,00. Experimente o “desafio do dinheiro de 52 semanas” e, em 45 semanas, você economizará mais de R$ 1.000,00 sem nunca contribuir com mais de R$ 45,00 em uma semana. A reserva de emergência reduz o estresse e as próprias emergências.