Carro sem entrada: é possível financiar um veículo desta forma?

Se precisar comprar um carro e não tiver reserva, dá para financiar sem entrada, mas é bom saber que os juros podem ficar mais altos

Mais crédito
para você
Por Redacao PAN

Nem sempre dá para contar com uma grana reservada para comprar um carro próprio. Por isso, uma alternativa que pode ajudar nessa realização é financiar seu carro sem entrada.

O valor para a entrada pode representar uma barreira na realização do carro próprio: como mostra pesquisa da Webmotors com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) com 4.240 pessoas (1.000 delas sem carro):

  • Para 26% das pessoas que não possuem automóvel, o alto valor cobrado para a entrada do carro é uma barreira para a aquisição do veículo

  • Além disso, o alto preço dos carros impede 63% dos pesquisados sem carro de comprar um

  • Valores de taxas de juros são obstáculo para 37% dos sem-carro na compra de automóvel.

Segundo a mesma pesquisa, 80% das pessoas sem carro querem fechar negócio ainda em 2021. Já entre quem possui veículo, 73% estão a fim de trocar. Isso mostra que:

  • quem não tem carro quer ter;

  • e quem já tem, está pensando em trocar.

Mas dá para fazer isso sem dar entrada?  É possível, mas é bom observar algumas condições. Saiba como financiar carro sem entrada e como avaliar se é uma boa opção. Já saiba de antemão: os juros tendem a ser mais altos nessa modalidade.

Dá para financiar carro sem entrada?

02_Mobile_Financiamento_27_08.png

É possível, tanto para modelos 0 km quanto para carros usados. Então mesmo que você procure por um carro novo, ainda tem chances de encontrar uma oferta de financiamento que não exija nenhum sinal.

Só é importante lembrar que, mesmo sem entrada, ainda será preciso pagar o valor das prestações do carro, de acordo com o contrato de financiamento que for firmado entre comprador e loja de veículos, concessionária ou banco.

Importante destacar que, nos financiamentos sem entrada, a taxa de juros tende a ser maior, pois o valor do crédito que o banco vai liberar é maior do que nos casos em que o comprador dá uma entrada para adquirir o carro.

Além disso, mesmo que o financiamento seja feito sem entrada, continuam valendo algumas regras para a aquisição do carro com uso desse crédito:

  • Nas parcelas (que normalmente têm valor fixo até o fim do financiamento), serão cobrados taxas de juros,  tarifas e impostos como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) 

  • Quanto maior a quantidade de parcelas, maior a taxa de juros cobrada, em geral

  • O automóvel servirá como garantia do empréstimo

  • O banco vai fazer a análise de crédito para avaliar as condições do cliente em assumir uma dívida como o financiamento

  • O documento do carro fica em nome de quem compra, mas o automóvel só pode ser vendido depois que o financiamento for quitado

  • Se as parcelas não forem pagas e as tentativas de acordo do banco não derem certo, o carro pode ser apreendido para que a dívida seja quitada.

Por fim, a análise de crédito pode ser mais rigorosa no caso de financiamento de carro sem entrada, pois o banco precisa ter mais segurança de que receberá os valores.

Como fazer financiamento de carro sem entrada

03_Mobile_Financiamento_27_08.png

  • Financiamento com o Banco PAN

O financiamento de veículos do PAN permite que seja financiado até 100% do valor do carro, com prazo de pagamento de até 60 meses e ainda dão 45 dias para pagamento da 1ª parcela. 

Com vantagens assim, não apenas é possível adquirir um carro sem entrada por meio de financiamento, mas também dá para ficar um bom tempo sem precisar pagar nada. E quando começar a cobrança das parcelas, contar com até 5 anos para quitar tudo.

Como não há a quantia de entrada para ser abatido do custo total do automóvel, é bom olhar se o valor das parcelas não será maior por causa disso. Os juros ainda podem ser impactados devido a quantidade maior das prestações ou do valor maior a ser financiado.

  • Leasing

O leasing, também chamado de arrendamento mercantil, é uma maneira de conseguir carro sem dar nada de entrada. Essa modalidade de aquisição de veículos é como um contrato de aluguel que dá a opção de compra ao final do pagamento das prestações.

O banco compra o carro para revenda e aluga ao interessado em comprar. Enquanto o contrato valer, o cliente paga as parcelas e, no fim, é possível optar por 3 alternativas:

  • Renovar o aluguel do veículo;

  • Encerrar e não poder usar ou comprar o carro;

  • Comprar o carro.

Durante o contrato, a propriedade do automóvel fica em nome da arrendadora/locadora (que é o banco ou instituição financeira). Só depois de tudo ser pago é que o carro vai para o nome do comprador (arrendador).

Por fim, se o contrato for cancelado ou em caso de qualquer descumprimento das cláusulas que estão no documento, pode haver o pagamento de multas.

  • Consórcio

O consórcio é outra possibilidade para comprar carro sem entrada, só que é fundamental conferir as condições desse recurso. Ele funciona da seguinte maneira:

  1. Um grupo de pessoas busca uma empresa com autorização do Banco Central para ter um fundo de crédito;

  2. Essas pessoas pagam, todo mês, um valor que cria o fundo;

  3. Os integrantes podem ser sorteados para receber a carta de crédito, que permite comprar o carro à vista, ao longo do tempo em que o contrato valer. Quem é sorteado deve continuar pagando o consórcio até o final;

  4. Depois do prazo de contrato do consórcio, os integrantes que não foram sorteados recebem uma carta de crédito também.

Com o consórcio, o carro só vai para a garagem antes do fim do contrato  se você for sorteado com a carta de crédito ou se fizer um lance, quando integrantes do consórcio podem antecipar o pagamento de parcelas e quem antecipar mais parcelas, ganha a carta de crédito.

O que avaliar antes de financiar carro sem entrada

04_Mobile_Financiamento_27_08.png

A compra de carro sem entrada é uma possibilidade para quem não possui dinheiro para dar como sinal. Em alguns casos, é preciso ter por volta de 20% do valor do carro. Nesse caso, se um carro custa R$ 40.000,00, a entrada seria de R$ 8.000,00, por exemplo.

Mas é importante avaliar se há a necessidade imediata do financiamento. Se for possível esperar, vale a pena juntar dinheiro para dar uma entrada. Esse esforço pode resultar em economia para você. Nessa hora, um bom planejamento financeiro ajuda a fazer essa reserva.

A pessoa também olhar para a sua situação financeira e entender se o valor da prestação cabe no orçamento. Com entrada, ela deve ficar menor do que se o crédito for sem entrada.

Saiba evitar a inadimplênciaUma mulher morena, sentada, bliusa rosa, mão no queixo segurando uma caneta, analisa uma série de folhas esparramadas sobre a mesa

Ter as contas na ponta do lápis é importante para fugir da inadimplência, que é a incapacidade de honrar com as contas assumidas.

Sempre falamos aqui no Blog Amigo do Dinheiro que a dívida nã é necessariamente um problema. Ao decidir comprar um carro com prestações, por exemplo, você assume uma dívida.

Da mesma forma, ao decidir comprar um imóvel, você também está comprometendo uma parte do seu orçamento no futuro.

No entanto, esses dois exemplos não representam algo ruim. Pelo contrário. São duas maneiras pelas quais foi possível, via parcelamento, obter bens.

O grande problema é quando a pessoa perde a capacidade de pagamento e torna-se inadimplente. Por isso, é importante saber fugir dessa situação.

O melhor é ter saúde financeira e evitar a inadimplência. Porém, se você já estiver inadimplente, dá para agir e sair dessa situação ao adotar algumas medidas:

  • Priorize o pagamento de contas que são essenciais para o dia a dia e comece a se planejar para sobrar dinheiro suficiente para quitar o que está devendo;
  • Consulte os birôs de crédito para saber se o nome está negativado, qual o valor da dívida em aberto e qual empresa que solicitou a inclusão do nome na lista de inadimplência e que deve receber os valores;
  • Organize as finanças de forma a ter dinheiro para começar a pagar a dívida, ou seja, para sobrar valores suficientes para iniciar o pagamento;
  • Fale com a empresa que você precisa pagar e negocie o pagamento por valores que caibam no orçamento;
  • Conseguir um empréstimo para quitar dívidas pode ser uma alternativa, especialmente quando os juros da conta em aberto são maiores do que os juros do empréstimo.

Saiba economizar com combustívelUm mecânico branco, com cabelo preto curto e barba, caderno laranja na mão, macacão azul, analisa a roda de um carro suspenso com uma lanterna

Se depois de fazer as contas você entender que é possível pegar o financiamento sem entrada e for sua opção depois dessa avaliação, então pesquise a melhor oferta para você.

E, ao sair dirigindo com o carro, será bom saber economizar com combustível. Os preços não param de aumentar, e é importante que você consiga evitar deixar toda a grana no posto.

Veja abaixo algumas dicas para economizar:

Mantenha os pneus calibrados:

O fabricante do veículo em geral indica qual a pressão a ser mantida nos pneus do carro. Verificar se eles estão OK garante um melhor funcionamento do carro, sem “esforço” extra, que vai aumentar o consumo de combustível.

Prefira velocidades reduzidas:

Se você mantiver a velocidade reduzida, em especial nas cidades, consegue economizar não só combustível como também pastilha de freio. Quando acelera demais, gasta mais combustível e ainda pode precisar frear mais, gastando a pastilha.

Atenção com a manutenção do carro:

Manter velas, filtros de ar e de combustível e alinhamento em dia também colaboram para seu carro gastar menos gasolina, porque melhora o desempenho do veículo.

Reduza o uso do carro:

Sempre que puder, avalie não usar o carro. Fazer o deslocamento a pé ou de bicicleta, por exemplo, são alternativas para gastar menos combustível e ainda fazer exercício. A carona solidária também é uma alternativa.

Depois de entender as possibilidades de financiar carro sem entrada, evitar inadimplência e economizar uma grana na hora de abastecer, chegou o momento de se proteger de golpes na hora de conseguir um automóvel.

Por isso, veja dicas de financiamento de carros para não cair em golpes.