Gestão financeira para pequenas empresas: descubra como fazer e manter seu negócio rentável

A saúde financeira do seu negócio, de qualquer tamanho, depende de uma boa administração dos recursos

Renda
Extra
Por Redacao PAN

Para que a sua empresa cresça de forma saudável e próspera, é importante cuidar bem das finanças e evitar que gastos desnecessários atrapalhem suas metas. Por isso, vamos mostrar aqui como a gestão financeira para pequenas empresas é um passo importante rumo ao sucesso. 

A gestão financeira reúne planejamento, execução, análise e controle de todas as entradas e saídas. Com ela é possível definir as metas e entender o que precisa ser ajustado para que a empresa comece a ter lucro - ou continue nesse caminho.

O que é gestão financeira para pequenas empresas?

Uma das primeiras coisas que você precisa entender para garantir que o seu negócio tenha uma boa saúde financeira é que o dinheiro utilizado para cobrir os gastos da empresa não deve ser o mesmo dinheiro com o qual você paga suas contas pessoais.  

Para evitar esse tipo de confusão, defina um salário mensal. Por exemplo: você decidiu que seu salário será de R$ 4 mil. Então, para que os rendimentos não sejam prejudicados, é só incluir esse valor no seu controle de gastos, assim, saberá que existe aquela previsão de saída todos os meses. 

Ah! Mas é importante que, mesmo que a empresa tenha lucros, você só retire o valor de seu salário. Caso queira “ganhar mais”, refaça o seu planejamento para incluir o aumento. 

Alguns gastos que podem aparecer no controle financeiro de sua empresa: 

  • Contas do consumo (água, luz, telefone e internet);

  • Fornecedores;

  • Materiais;

  • Folha de pagamento dos funcionários;

  • Aluguel e condomínio. 

Para que a gestão financeira da sua empresa seja feita de forma correta, leve em consideração alguns pontos, como controle diário de caixa, investimentos e gestão de crise. 

Vamos explicar cada um deles para que você compreenda como fazer a gestão financeira de forma assertiva. 

Conheça as entradas e saída de seu caixa

Imagem mostra homem branco de perfil olhando para computador com tabelas na tela. Ele usa camiseta branca, óculos preto e tem cabelos e barba pretos. Sua mão esquerda está apoiada no queixo. À direita na imagem, uma janela

Quando você tem plena consciência de como andam as finanças da sua empresa, as chances de seu negócio se manter competitivo e saudável são maiores. 

Engana-se quem acha que apenas médias e grandes empresas controlam o fluxo de caixa. 

Imagine que se você não souber o quanto de dinheiro entra e sai em sua empresa, nunca terá uma noção real de como está indo e, assim, não será possível traçar estratégias para focar no crescimento. 

Entenda que essa etapa precisa ser feita com calma e muita atenção. Tudo precisa ser contabilizado. Até mesmo os pequenos gastos. Por exemplo: precisou de dinheiro para comprar tinta de impressora? Inclua no seu controle de caixa. 

Se o seu negócio vende alguma coisa, é importante entender se existem gargalos. Se alguma venda não for registrada, o valor irá sobrar no caixa e, ainda, terá diferença no estoque.

Esse descontrole também pode dar a impressão de lucro, quando na verdade, o dinheiro que está sobrando é consequência de vendas não contabilizadas. Essa situação pode gerar prejuízos financeiros no futuro.  

Saiba quais são os seus pagamentos futuros

Se você deseja realizar vendas parceladas, seu caixa precisa estar bem estruturado. Assim, é possível se planejar para receber as parcelas com tranquilidade, sem afetar as finanças da empresa.

Além disso, no controle de caixa diário, é preciso que esteja previsto que aqueles valores são recebimentos futuros. Assim, para as previsões dos próximos meses, você já sabe o quanto terá a mais e assim poderá controlar melhor o seu orçamento. 

Veja o exemplo:

Você vendeu um produto que custava R$ 300,00 em 5 vezes. Isso significa que o valor de R$ 300,00 não constará em seu caixa no final do dia, segundo a previsão de lançamentos futuros, você deverá receber R$ 60,00 nos próximos cinco meses. 

Planeje os investimentos com cuidado para não se enrolar 

Chega um momento em toda empresa que realizar investimentos é necessário. Alguns deles já são iniciais, por exemplo, se a sua empresa comercializa camisetas estampadas, será necessário comprar os materiais e máquinas para iniciar a produção. Isso já conta como um investimento.

Além disso, você pode precisar alugar um espaço para realizar a produção e contratar um ou dois funcionários para ajudar na operação. Pronto! A sua empresa já tomou forma e investimentos iniciais já foram feitos. 

Tudo isso precisa ser contabilizado em sua gestão financeira para entender o quanto foi gasto e em quanto tempo você passará a ter lucros. 

Nessa etapa é importante que você saiba exatamente como vai cobrir os investimentos realizados. Se quiser aumentar a sua capacidade de produção e incluir mais máquinas, cuidado ao tirar o valor dos lucros obtidos pela empresa no decorrer dos meses. 

Investir o lucro da empresa em melhorias pode ser um bom caminho, porém, você pode ficar sem capital de giro. Então, avalie quais são as opções com cuidado.

Gerenciar crises de forma assertiva ajuda a sua empresa sobreviver

Ilustração de fundo azul mostra mulher e homem negros conservsando. Ela usa blusa cinza e ele, blusa preta com gravata azul. À frente de cada um, um balão branco indicado fala com ícones com cifrão laranja

É comum que uma empresa enfrente crise financeira em algum momento. É nessas horas que fazer uma boa gestão financeira irá ajudar o seu negócio a se manter para passar pelo momento da melhor forma. 

O primeiro passo é encontrar a origem do seu problema. As vendas estão baixas? Os custos aumentaram? 

Depois de encontrar o que está causando problemas financeiros a sua empresa, defina estratégias para superar a situação. 

Se algumas contas atrasaram nesse período, dê preferência para aquelas que têm os juros mais altos. Também é possível negociar com seus fornecedores e pedir novos prazos para pagamento. 

Renegocie suas linhas de crédito com as melhores condições para a sua situação e tente reduzir seus custos. Ajuste seus gastos e controle seus rendimentos até que sua empresa recupere a estabilidade financeira. 

Lembre-se: toda crise, quando bem administrada, é passageira. 

Se precisar entender mais sobre a gestão financeira para pequenas empresas, o Sebrae oferece cursos gratuitos de curta duração que podem te trazer uma visão melhor sobre esse período.

E caso você tenha o desejo de empreender, mas não sabe por onde começar, mostramos aqui  como empreender e ganhar dinheiro sem sair de casa.