Veja como reduzir os efeitos da inflação em seu negócio

Sebrae reúne recomendações para que empreendedores diminuam o impacto da alta de preços nas empresas

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Você é empreendedor e tem um negócio próprio, mesmo que individual? Então já deve ter percebido que, assim como na vida pessoal, a inflação tem efeito e impacto sobre seus negócios.

Os aumentos de preços das contas de luz, de água, de gás, os reajustes nos valores dos combustíveis, a alta do custo da alimentação e dos aluguéis - em geral, reajustados pelo IGP-M - pressionam os custos de produtos e serviços oferecidos por micro e pequenos empresários.

Pensando nisso, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) reuniu algumas orientações para os empreendedores lidarem com o aumento de preços e diminuir o impacto nos negócios.

A ideia é ajudar os empresários a controlarem os gastos, buscarem formas de driblar alguns reajustes e, ainda, como evitar repassar os custos para os clientes, com risco de perder vendas.

Maneiras para o empreendedor lidar com preços em alta

Imagem mostra diversos recibos sobre a mesa e as mãos de uma pessoa digitando numa calculadora, que está sobre um desses recibos 

Veja abaixo algumas dicas do Sebrae para empreendedores lidarem com o aumento dos preços.

Controle seus gastos

Um controle cuidadoso e detalhado dos seus gastos é super importante para saber onde, exatamente, diminuir as despesas. 

Saiba negociar 

Esta é outra dica importante. Ao negociar bem as compras de matérias-primas para seus produtos, assim como os contratos com clientes e fornecedores, o empreendedor sai ganhando. 

Analise a situação da empresa

Uma análise criteriosa da empresa permite ao empreendedor fazer melhores negociações. Assim, consegue negociar dívidas, preços com fornecedores, aluguéis, taxas e financiamentos com instituições financeiras e o que mais pesar no orçamento da empresa.

Atenção à inflação 

Outra dica importante é ficar atento aos indicadores, como a inflação. Também é importante prestar atenção em tendências do mercado para estimar melhor os custos, receitas no futuro e evitar o repasse de custos ao consumidor.

Analise bem seus investimentos

Como a economia ainda está se recuperando e o cenário é de incertezas para o empreendedores, é necessário planejar bem onde investir. Tenha em consideração que os investimentos têm um prazo de maturação para que passem a dar retorno. 

Além das 5 dicas acima, o empreendedor também deve ter cuidado para não repassar, imediatamente, o aumento de preços ao consumidor.

Esse é mais um motivo para ter na ponta do lápis os gastos e receitas, além de saber negociar, de acordo com o analista de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae Giovanni Beviláqua.

“Para que o repasse não seja de imediato é muito importante que haja um controle cuidadoso da gestão financeira em relação aos custos e sobre as receitas”, afirmou o analista num comunicado do Sebrae.

Inflação no ano é de 4,76%

Imagem mostra um fogão ligado ao lado de um medidor de uso de energia 

Até julho, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a inflação oficial do país, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), está em 4,76%.

Só no mês de julho, o indicador registrou que os preços aumentaram em 0,96% no Brasil. Foi a maior variação para este mês desde 2002. No acumulado dos 12 meses terminados em julho, a inflação é de 8,99%.

A tarifa de energia elétrica, que aumentou 7,88% em julho, tem causado forte impacto na inflação. Esse item faz parte do grupo Habitação, o que mais subiu (3,1%), de acordo com o IBGE.

Além da energia, também impactaram o grupo Habitação as altas constatadas nos preços do gás de botijão (4,17%) e do gás encanado (0,48%).