Veja como fazer uma renda extra com venda de coisas usadas que você não usa mais

Sites especializados ajudam na venda dos artigos que não servem mais para você; conheça as regras

Renda
Extra
Por Redacao PAN

A internet facilita a vida de quem quer fazer renda extra com a venda de usados. Há muitas plataformas que facilitam a comercialização de objetos de segunda mão de vários tipos, de roupas a livros e itens de cozinha.

Fazer com que seu produto seja visualizado por muitos usuários e encontrar rapidamente um comprador para o que você quer vender são vantagens de recorrer a sites especializados.

Ao site UOL, o economista e professor do Ibmec/Rio Gilberto Braga disse que a compra e venda de usados foi favorecida na pandemia, pois, ao ficar mais em casa, as pessoas sentiram necessidade de abrir espaço nos lares e notaram que precisavam de outros itens.  

Como vender produtos usados

O isolamento social fez com que mais pessoas passassem a fazer compras online, segundo uma pesquisa recente da Fecomercio SP

E a tendência deve continuar nos próximos anos, como apontou uma pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria).

Tendo isso em vista, a melhor forma para vender produtos usados é usar a internet. Além dos sites especializados, as redes sociais têm também grupos em que as pessoas oferecem mercadorias.

Mas, como tudo na vida, é necessário ter cuidado. Mesmo que for expor um produto, não divulgue muitas informações pessoais. Há pessoas mal-intencionadas que buscam esse tipo de anúncio para obter dados. 

Além disso, tenha atenção na negociação, especialmente se for direta com o comprador, sem a intermediação de uma plataforma especializada.

O que vender para ter renda extra?

02_Mobile_vendas-de-usados.png

Dá para vender qualquer objeto usado para ter uma renda extra. Vale livros, roupas, sapatos, móveis, itens de decoração, brinquedos, eletrodomésticos, CDs e discos, enfim, o que você não usa mais pode ser colocado à venda.

Mas é essencial que o estado de conservação do item seja esclarecido. O melhor é que ele esteja praticamente perfeito. Quanto melhor a mercadoria estiver, maior será o valor que você pode cobrar. 

Se tiver algum defeito, é importante contar no anúncio que for fazer. E, claro, esse defeito não pode impedir o uso do objeto. Mas itens com avarias valem, claro, menos do que aqueles em melhor conservação.

Leia também: 7 dicas para vender produtos pelo Instagram

Como calcular o valor de um produto

Para saber quanto pode cobrar pelo produto que você vai vender, vale fazer uma pesquisa em sites de venda de usados por itens iguais ou semelhantes. Aí você já terá uma base sobre quanto ele vale.

Cheque o estado de conservação dessas mercadorias e compare com aquele que você vai oferecer. Veja eventuais comentários que pessoas interessadas fazem, se for um grupo em redes sociais.

Se for um produto que tem garantia de fábrica ou estendida e ainda estiver no prazo dela, ele terá um valor maior. Isso porque, se tiver algum defeito depois que você o vender, o comprador poderá usar esse benefício. Mas, para isso, é importante ter a nota fiscal da compra que você fez.

Alguns sites de venda de usados ajudam na hora de determinar um preço para o produto que será oferecido.

5 sites para vender usados

03_Mobile_vendas-de-usados.png

A maioria dos sites especializados em compra e venda trabalham com anúncios e comissionamento. 

A pessoa interessada em vender prepara um anúncio com foto e descrição detalhada do produto. A plataforma se encarrega de divulgá-lo a quem navega por ela em busca de uma infinidade de produtos.

Mas é necessário ler atentamente os termos de uso dos sites para entender as vantagens que eles oferecem, os tipos de comissionamento e taxas cobradas, se há intermediação financeira para garantir a segurança dos pagamentos etc.

Leia também: Como saber se um site é seguro? 

Confira abaixo alguns sites pelos quais você pode vender seus objetos usados. Veja as condições que cada um oferece para saber qual é o melhor para o seu caso.

1)   Mercado Livre

Tem 211 milhões de usuários e mais de 10 milhões de vendedores. Segundo a empresa, a cada segundo que passa nove vendas são realizadas no site.

Você pode comprar e vender de tudo: móveis, roupas, eletrodomésticos, acessórios e até carros e serviços. A ferramenta também permite avaliar compradores e vendedores.

A maioria dos usuários que acessa o site busca por produtos novos, porém há páginas dedicadas a quem quer fazer renda extra com a venda de usados. 

Quando são artigos usados, o vendedor só pagará pelo anúncio quando superar 20 vendas pelo período de um ano. 

Há também opções para turbinar as vendas com as modalidades de anúncio Clássico e Premium, que cobram uma taxa sobre as vendas de acordo com o tipo de produto, seguindo a tabela disponibilizada pelo site.

2) OLX

O site de classificados aproxima pessoas que queiram vender e comprar produtos novos, seminovos e usados, ou anunciar serviços. O anúncio é gratuito e exibido para várias regiões do Brasil, o que aumenta as chances de venda. A plataforma também oferece filtros de geolocalização para facilitar a transação entre pessoas que estão próximas.

O site oferece alguns serviços pagos para quem quer destacar ou profissionalizar o anúncio. Os detalhes e preços estão descritos nos termos de uso da plataforma.

A empresa não cobra comissão sobre as vendas, mas também não atua como intermediadora das negociações. Ou seja, acordos e pagamentos são feitos diretamente entre compradores e vendedores.

3) Enjoei

Embora seja possível comercializar itens variados, o forte do Enjoei são roupas, sapatos e acessórios. É como um brechó online. 

Os anúncios são gratuitos, mas a plataforma cobra uma comissão de 13% sobre os produtos vendidos e mais uma taxa fixa, que varia conforme tabela apresentada no site oficial.

A plataforma faz a intermediação das vendas e fica responsável por garantir a segurança das operações financeiras, o que confere mais segurança às comercializações. 

A ferramenta oferece uma série de descontos para incentivar o fluxo de compras e vendas. A pessoa disposta a negociar tem mais chances de concretizar as vendas.

E, para quem tem muitas roupas e sapatos acumulando no armário e não quer ter trabalho com negociações, é possível juntar as peças usadas e enviar ao Enjoei, que fica responsável por fotografar os produtos, criar e operar os anúncios e mediar as vendas.

Para isso, cobra uma taxa fixa de R$ 5 mais a comissão de 45% sobre as vendas de até R$ 100 e 35% para vendas a partir de R$ 101. Mais detalhes você encontra no site oficial da empresa.

4) Estante virtual

A plataforma é especializada em compra e venda de livros. Além de leitores dispostos a desapegar de seus livros, há também sebos e livrarias, o que faz dela um grande marketplace para os amantes de literatura.

Para cadastrar as obras na Estante Virtual, é obrigatório preencher informações específicas, como título, editora, estado de conservação e foto de capa.

Há três planos mensais para os vendedores: Prateleira, Estante e Catálogo, que variam de acordo com a quantidade de produtos que serão anunciados. Os valores e os detalhes de cada um estão descritos nos termos de uso da plataforma.

5) Ficou Pequeno

Bebês e crianças crescem rapidamente e acabam deixando para trás roupas e sapatos com pouco tempo de uso. Gestantes compram roupas que dificilmente serão usadas novamente após o nascimento do bebê. 

Pensando nisso, a plataforma Ficou Pequeno foi criada para ajudar as famílias a fazerem uma renda extra com a venda de usados que estão acumulando no guarda-roupa, além de oferecer aos compradores produtos de qualidade com preços mais acessíveis.

Você não paga nada para anunciar as peças. Quando vende, o site cuida da intermediação do pagamento e fica com uma comissão de 20%. Nos pedidos a partir de R$ 25, também é descontada uma tarifa de R$ 2,50.

O site dá dicas sobre como precificar os seus itens. Os tipos de produtos que podem ser vendidos e os critérios para fazer bons anúncios estão descritos no site.

Quer mais dicas para ganhar uma grana? Veja como ganhar dinheiro extra aos fins de semanas.