Você sabe como limpar o nome?

Confira algumas dicas para tirar o seu CPF dos órgãos de serviço de proteção ao crédito

Zero
Dívida
Por Redacao PAN

Ter o CPF negativado ou, como falamos popularmente, ficar com o “nome sujo”, é uma situação desconfortável. Quando o CPF de uma pessoa está negativado nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC ou Serasa, alguns serviços ficam mais difíceis ou caros, como empréstimos, crediários em lojas, cartões de crédito, financiamentos, entre outros. 

Uma pesquisa do Serasa mostrou que, até abril de 2021, 63 milhões de brasileiros estavam com dívidas atrasadas

Se você faz parte dessa realidade, vamos te dar algumas dicas de como limpar o nome e ficar no azul novamente.  

O que significa ter o nome sujo? 

Explicando de forma simples, ter o “nome sujo” significa que alguém comprou e não pagou. Antigamente, as grandes redes de lojas costumavam utilizar o termo “nome sujo na praça” para se referir a clientes inadimplentes. 

Com o passar do tempo, o termo foi encurtado e, atualmente, é mais comum ouvir apenas “nome sujo”.  

Existem diversas situações que podem levar uma pessoa à inadimplência, como perda da renda ou descontrole com gastos no cartão de crédito. 

O que acontece quando alguém tem o nome sujo?

Quem está com o nome sujo terá mais dificuldade para obter alguma modalidade de crédito, seja ele em lojas, bancos ou operadoras de cartão. Além disso, outros serviços também podem ficar indisponíveis, como aluguel de imóveis ou abertura de conta corrente.  

Quando você vai fazer a solicitação de algum pedido de crédito, é muito comum que a instituição realize não apenas uma análise de seu CPF, mas confira o seu score de crédito

Isso significa que ela vai verificar sua pontuação nos órgãos de proteção ao crédito para entender qual é o risco em aprovar a solicitação. A partir desse resultado é que as condições do empréstimo e as taxas de juros serão estipuladas. 

Por isso, quem está com o “nome sujo” pode pagar taxas mais altas do que outra pessoa que não esteja com essa restrição.

Outra consequência é ter os limites de crédito reduzidos. Quem está nessa situação e tem cartões de crédito, por exemplo, pode ter o limite reduzido pela operadora, que também tende a reprovar possíveis pedidos de aumento. 

Essa medida serve para evitar novos gastos no cartão, aumentando ainda mais o endividamento. 

Como limpar o nome?

Mulher segurando um celular com a mão direita, olhando diretamente para a tela. Com a mão esquerda ela segura um talher que está dentro de uma tigela. Na imagem também aparece um copo com suco

  1. Consultar o CPF

A primeira atitude para limpar o nome é consultar o próprio cadastro e descobrir quais dívidas estão provocando a restrição.  

Muitas pessoas estão com o crédito negativado e não fazem ideia.  Isso acontece, por exemplo, quando a pessoa muda de endereço e esquece de atualizar o cadastro em alguma empresa. Isso pode fazer com que um boleto de cobrança não chegue até essa pessoa. 

Como não sabia da dívida, ela não pagou e, assim, foi parar no cadastro de restrição dos órgãos de proteção ao crédito.

O site do Serasa Consumidor oferece consulta gratuita de CPF.

  1. Entre em contato com a empresa

Após realizar a consulta do CPF e identificar as dívidas em atraso, entre em contato com a empresa credora para realizar uma negociação. Verifique quais são os valores atualizados, com correção de juros, e entenda qual é a melhor forma para quitar a sua dívida. 

  1. Faça a sua proposta

Faça os seus cálculos e descubra qual é a melhor opção para o seu bolso. Tenha em vista suas despesas e receitas e veja quanto você pode pagar por mês. Em seguida, envie a proposta para a empresa e aguarde o retorno. 

Boa parte das empresas está aberta à negociação. Para elas, o importante é que a dívida seja paga. Se a proposta for aprovada, é só seguir com o novo contrato. 

  1. CPF sai do negativo

Assim que você fizer o pagamento da primeira parcela da sua renegociação, seu nome já será retirado dos órgãos de proteção ao crédito. A empresa credora terá até 5 dias úteis para realizar essa ação. Contudo, seu nome voltará ao cadastro se as demais parcelas não forem pagas. 

Planejamento é crucial

Mulher sentada em frente a um computador realizando cálculos, segurando um lápis e escrevendo em um caderno. Próximo a ela está uma calculadora.

Um dos pontos mais importantes a se levar em consideração na hora de limpar o nome é o planejamento financeiro. Organize suas contas fixas, aquelas que são pagas mensalmente, como luz, água, condomínio, telefone, gás, entre outras, e entenda como o novo valor irá afetar as suas finanças. 

Depois de fazer as contas, encaixar o novo valor em seu orçamento mensal e fechar o contrato da renegociação, mantenha o foco em pagar o acordo. Evite fazer novas dívidas até que suas parcelas sejam pagas. 

Se precisar de um novo empréstimo nesse período, faça bem as contas para entender como encaixar essas novas prestações em seu orçamento.

Cuidado com a dívida “caducada”

É muito comum ouvir: a dívida caduca depois de alguns anos.

De fato, a dívida para de constar nos cadastros de crédito após esse período. No entanto, a empresa credora pode abrir um processo judicial para a quitação desse débito. 

Então, a situação fica ainda pior.  

Empréstimo consignado para negativados

Na imagem aparece um conjunto de notas de 50 reais, uma modela de 1 real e um conjunto de notas de 100 reais.

O empréstimo consignado pode ser uma boa alternativa para quitar dívidas e limpar o nome. 

Como as parcelas são debitadas diretamente de seu salário, a instituição já sabe que receberá o pagamento. Com isso, as taxas de juros em geral são menores para negativados nessa modalidade do que em outros tipos de empréstimo pessoal.

Gostou das dicas? Veja agora um vídeo que o Matheus, do Matheus Matando a Grito, fez para o canal Pra Fazer Mais, do PAN, sobre esse assunto.