Como se prevenir de golpes na Black Friday

Fuja do golpe com dicas que ajudam a não cair em fraudes na Black Friday nem em descontos falsos ou propaganda enganosa

Controle
Seus Gastos
Por Rodrigo Chiodi

*Texto atualizado em 18.11.2021

A Black Friday é uma data que aquece o varejo e a economia do país. Em 2020, a data atingiu R$ 5,1 bilhões em faturamento, alta de 31% em relação ao ano anterior, de acordo com o Relatório “Black Friday 2020”, preparado pela NeoTrust / Compre&Confie.

Já em 2021, 72% dos consumidores pretendem comprar online, segundo a empresa Conversion. Muita gente tem intenção de comprar, mas é preciso ter atenção para maneiras de prevenir golpes na Black Friday.

A data é uma boa oportunidade de compras e, neste ano, será no dia 26 de novembro. Porém, é essencial evitar golpes que tornem a experiência em uma verdadeira “black fraude”, assim ninguém corre o risco de sair no prejuízo.

Os golpes mais comuns na Black Friday

  1. Metade do dobro

Pode acontecer de você encontrar na Black Friday a oferta de um desconto agressivo de um determinado produto. De cara, parece que é uma excelente oportunidade e que você precisa comprar o item na mesma hora.

Só que aí está o problema: tem loja que, semanas ou dias antes da Black Friday, aumenta o valor dos produtos. Em seguida, quando chega a última sexta-feira de novembro, ela anuncia um desconto incrível que, na verdade, só devolveu ao item o preço original.

Ou seja, é o famoso “metade do dobro”, quando o desconto da promoção não passa de um truque para que consumidores paguem pelo produto o mesmo valor que pagaria em qualquer outra época do ano.

Para evitar cair nessa armadilha, acompanhe a oscilação de preços ao longo das semanas. Em vez de pesquisar o que quer comprar só no dia da Black Friday, veja como os valores dos itens que você quer se alteram nas semanas e dias anteriores.

Existem sites como Zoom, Buscapé e Bondfaro que ajudam a saber o histórico de preços e facilitam saber se aquele descontão é uma fraude de Black Friday ou é mesmo uma oferta imperdível.

  1. Ofertas falsas que são golpes na Black Friday

Na Black Friday, fraudes com disparo de e-mails se passando por lojas confiáveis podem acontecer. O objetivo é que você clique em falsos anúncios e, depois, acabe compartilhando dados pessoais ou seja direcionado a uma página falsa.

Por isso, é importante sempre dar uma olhada no endereço do site, desconfiar quando o remetente é desconhecido ou quando a página não é a oficial. Além disso, também suspeite de mensagens enviadas via SMS ou redes sociais de perfis desconhecidos.

  1. Site falso

foto de tela de computador com seta branca de mouse próxima ao endereço eletrônico de uma página, que mostra o começo da URL com o trecho https://www.

A dica anterior pode ser complementada com essa: sempre que visitar um site, seja via busca pela internet ou pelo link que apareceu em redes sociais ou que alguém te mandou, dê uma olhada com atenção no endereço da página, para ver se é verdadeiro.

Quem não tomar esse cuidado pode fornecer dados pessoais e do próprio cartão de crédito para criminosos, que vão usar essas informações para fazer compras de forma ilegal. 

Eles também podem usar o site falso para obter seus dados de acesso a sites verdadeiros e, com isso, fazer compras em seu nome, utilizando informações que estiverem salvas de maneira automática na verdadeira loja online.

É possível que a Black Friday tenha ótimas oportunidades, mas é bom duvidar de tudo o que parecer bom demais para ser verdade. Nesse ponto, a pesquisa de preços ao longo das semanas ajuda a ter noção do real valor dos produtos que você quer comprar.

Se por acaso alguma oferta apresentar valor extremamente baixo, desconfie. Pode ser uma fraude utilizada por golpistas. Eles usam esse recurso para chamar a atenção de clientes que, sem prestar atenção, podem repassar dinheiro ou dados aos criminosos.

  1. Wi-fi público

Redes públicas, como de aeroportos e hotéis, podem ser úteis para navegar, checar alguma informação ou acessar as redes sociais. Mas cuidado: elas são portas de entrada para golpes, principalmente em datas que envolvem dinheiro, como a Black Friday.

Por isso, nunca utilize essas redes de wi-fi público para fornecer dados pessoais, bancários ou fazer transações financeiras como compras. Deixe para usar sites de comércio eletrônico em locais com acesso particular, como na sua casa.

Se não estiver em casa e precisar muito fazer uma compra ou fazer uma transação financeira, é melhor desativar o wi-fi e se conectar à internet por meio da rede 4G do seu celular. Isso traz menos chances de alguém invadir sua conexão e acessar seus dados.

  1. Boleto fake

Existem ofertas que dão descontos especiais para quem fizer pagamentos por boleto. Porém, esse recurso também pode ser uma tentativa de golpistas receberem o seu dinheiro quando você fizer o pagamento desse documento.

Por isso, sempre confira as informações do boleto com cuidado, especialmente se ele for acessado via e-mail. Além de olhar o remetente, veja se os dados do recebedor (ou seja, da loja) e o valor do boleto estão corretos e de acordo com o que foi comprado na Black Friday.

  1. Valor do check-out

O check-out é o momento em que uma compra está quase sendo finalizada. Nessa etapa, são mostrados todos os dados da transação, como o valor real do produto, valor de frete, cupons de desconto e forma de pagamento.

Muita gente fica surpresa nessa hora porque o preço do produto pode aumentar e ser diferente do que estava na oferta. Isso acontece em situações como preço à vista no anúncio e pagamento parcelado no cartão, que pode aplicar juros na compra.

Além disso, existem casos em que o frete é tão caro ou mesmo supera o valor do produto. Com isso, o valor que sairá do bolso do consumidor será mais alto do que parecia no começo da compra. Tudo isso anula os descontos oferecidos na Black Friday. 

Confira esse vídeo do canal do Banco PAN do YouTube que traz dicas para evitar golpes nessa época.

 

Como evitar a “Black Fraude”?
foto mostra etiquetas laranjas com texto -15% coladas em prateleiras de supermercado, em corredor que aparece desfocado ao fundo da imagem.

O termo “Black Fraude” surgiu para se referir a fraudes ou propagandas enganosas durante o período de promoções. Algumas medidas ajudam a evitar cair em fraudes na Black Friday:

  • Sempre acompanhe o preço dos produtos ao longo do tempo, e não só no dia da promoção. Veja o histórico de valores e qual é a média cobrada por uma mercadoria, para saber se o desconto na Black Friday é real ou não;

  • Não clique em links recebidos de remetentes desconhecidos que mandam mensagens no seu e-mail ou via redes sociais. Também verifique se o site da compra é seguro e se é realmente a página oficial da loja do seu interesse;

  • Desconfie de anúncios que prometem descontos incríveis ou ofertas irrecusáveis que estão fora da realidade. Confira ainda se o preço do produto com desconto só vale para pagamento à vista e qual o impacto do frete no valor final da compra;

  • Procure por avaliações positivas na loja, recomendações e outras informações que ajudem a saber se ela já vendeu para outras pessoas e se existem reclamações. Sites como Reclame Aqui e PROTESTE podem ajudar com esses registros;

  • Observe se o boleto de pagamento é mesmo da loja e referente ao produto adquirido. É preferível pagar as compras da Black Friday com cartão de crédito, principalmente se ele for virtual.

Como agir ao cair em um golpe na Black Friday?

Infelizmente, existe a chance de que golpes na Black Friday sejam bem-sucedidos. Se esse for o seu caso, é fundamental agir rápido para evitar problemas. 

Observe se criminosos tentaram fazer transações usando seus cartões e acione o banco para estornar os valores e, se for preciso, bloquear os cartões.

Além disso, é importante trocar senhas de acesso usadas nos sites de compras. Ao mesmo tempo, entre em contato com a loja verdadeira para informar que existem golpistas utilizando a marca para aplicar fraudes.

Também é importante fazer registros das telas que exibem os anúncios a partir dos quais o golpe foi realizado. Tudo isso será material que ajudará a comprovar que você foi vítima de um golpe.

Por fim, registre um boletim de ocorrência (B.O.) relatando o caso. Isso pode ser feito pela internet, a partir do site da delegacia eletrônica do seu estado, como por exemplo para quem está em São Paulo.

Como denunciar fraudes na Black Friday?
foto de um homem que fala ao telefone enquanto olha com expressão preocupada para tela de notebook que está usando. O homem é negro, tem cabelo curto e veste camisa cinza e está diante de mesa com papeís. Ao fundo, uma janela ampla.

Além do B.O. para denunciar fraudes na Black Friday dá para fazer avaliações nas lojas online e, também, registrar reclamações em sites como o Reclame Aqui e a PROTESTE. 

Isso vale também para situações de propaganda enganosa, quando uma oferta promete algo que não vai cumprir. É o caso de produtos vendidos que, no anúncio, pareciam ter uma qualidade superior à verdadeira e o cliente só descobriu isso ao receber o produto em casa.

Depois de saber como fugir de golpes na Black Friday, que tal aproveitar ofertas e descontos agora mesmo? Não espere novembro: a Loja PAN traz descontos em centenas de produtos. E o melhor: cliente PAN ganha cashback de 5% em todo o site. Acesse agora!