Você acessa wi-fi pública? Confira quais cuidados a tomar

Maior parte dos brasileiros conecta-se à internet pelo celular, mas é necessário tomar cuidados em redes públicas

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

É um alívio encontrar wi-fi grátis em estabelecimentos comerciais, praças e outros lugares. Porém, é preciso ter cuidados ao acessar uma rede pública de wi-fi. O preço dessa conveniência é se deparar com golpistas.

Ao se conectar numa rede de wi-fi pública que não seja segura, você pode ter seus dados roubados, de acordo com a empresa de segurança digital Kaspersky. Podem ser informações financeiras e pessoais, documentos, histórico de conversas e credenciais de login em sites ou e-mail.

Segundo a empresa, golpistas podem usar essas informações para se passar por você em conversas com seus amigos ou fazer compras com seus dados financeiros, por exemplo, caso usem seus acessos.

7 dicas de segurança para wi-fi pública

Imagem mostra as mãos de uma pessoa mexendo num celular

Por esses motivos, é importante tomar cuidado ao acessar uma rede de wi-fi pública. Assim, você dificulta a ação de golpistas.

Veja abaixo algumas dicas de segurança da Kaspersky, empresa especializada em segurança digital, para acessar uma rede wi-fi pública:

1. Seja cauteloso ao usar wi-fi público

A primeira dica é tomar cuidado. Mesmo que uma rede tenha senha, não significa que ela seja segura. Então, evite entrar o tempo todo em redes públicas.

2. Verifique os nomes dos pontos de acesso

Em vez de se conectar a redes públicas de wi-fi, muitas vezes os golpistas criam as próprias redes. Para dar mais credibilidade à rede, colocam nomes semelhantes a estabelecimentos comerciais. 

Por isso, fique atento à grafia dos nomes dos pontos de acesso e sempre cheque antes se a rede realmente tem o nome que você acha que ela tem.

3. Desative a conexão automática com o wi-fi

Aparelhos modernos são muitas vezes configurados para se conectar automaticamente a redes de wi-fi. Desative essa função.

4. Evite wi-fi não confiável para serviços que requerem autenticação

Se precisar acessar serviços com senha, como bancos e outros que tenham dados mais privados, dê preferência a redes particulares. É melhor fazer login e inserir suas senhas em redes privadas ou de confiança do que em redes públicas.

Acesso à internet no Brasil: maior parte é por celular

Imagem mostra um roteador de internet em cima de uma mesa. Ao fundo, distorcido, uma pessoa com fone de ouvido olha para um tablet que está em seu colo

O acesso à internet nas casas brasileiras cresceu de 71% em 2019 para 83% em 2020, de acordo com a pesquisa TIC Domicílios, divulgada na última quarta-feira (18).

O crescimento do acesso à internet acontece desde 2014. De 2019 para 2020, o acesso na classe C saltou de 81% para 91%. Já o acesso para a classe D/E subiu de 50% para 64%. 

A preocupação com a segurança numa rede pública de wi-fi faz ainda mais sentido se pararmos para pensar que a maior parte dos acessos à internet ocorre no celular.

Isso quer dizer que é muito comum que as pessoas estejam em deslocamento (na rua, em cafés, bares, restaurantes) e busquem formas de se conectar. 

A pesquisa TIC Domicílios  mostrou que apenas metade (50%) das pessoas da classe C têm computador em casa. Nas classes D e E, a quantidade de pessoas com um computador em casa cai para 13%. 

O levantamento mostrou que quase 6 a cada 10 brasileiros (58%), em média, conectam-se à internet só pelo celular. Essa fatia é maior nas classes D/E, nas quais 90% se conectam à internet só pelo celular. 

É bom frisar que, apesar de haver riscos para usar redes públicas de wi-fi, ninguém precisa abolir essas redes para o resto da vida. Mas é importante tomar bastante cuidado ao usá-las. Principalmente sendo tão difundido o acesso via celular.

Aliás, há diversos aplicativos de celular que você pode usar para fazer compras em supermercados, rever amigos que estão morando longe ou até cuidar das finanças pessoais. Não deixe de conferir!