Conheça as 10 atividades econômicas que mais abriram negócios na pandemia

Sebrae divulgou lista que inclui setores de vestuário, promoção de vendas, manicure e pedicure, por exemplo

Renda
Extra
Por Rodrigo Chiodi

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) divulgou nesta segunda-feira (7) um levantamento que identifica as 10 atividades econômicas que mais abriram negócios durante a pandemia da COVID-19.

Eis a lista: 

1. Comércio varejista de vestuário e acessórios – 56 mil 

2. Promoção de Vendas – 46 mil  

3. Cabeleireiro, manicure e pedicure – 36,5 mil  

4. Fornecimento de alimentos preparados para consumo domiciliar – 32,5 mil  

5. Obras de alvenaria – 32 mil  

6. Serviços de documentação e apoio administrativo – 29,5 mil  

7. Restaurantes – 28 mil  

8. Lanchonetes, casas de chá, sucos e similares – 24 mil  

9. Transporte de cargas – 22 mil  

10. Comércio Varejista de bebidas – 21 mil

Essas atividades foram as que mais chamaram a atenção dos empreendedores no Brasil. Ao todo, já foram criadas mais de 1 milhão de novas empresas em 2021. No ano passado, foram registrados cerca de 4 milhões de novos CNPJs. 

Dicas para seu negócio render

Mulher de máscara, macacão jeans e blusa clara de manga comprida faz anotações em um bloco que está sobre uma mesa à sua frente, onde há papéis com gráficos e um notebook; ao fundo, uma pessoa sentada em um banco branco e uma escada aparente

Olhando todo o cenário de pandemia, você, que empreende, talvez se faça a pergunta: “Já que eu não posso salvar a economia mundial, como é que eu posso pelo menos aliviar as contas do meu negócio?”. Eis algumas dicas:

1) Invista nas mídias sociais 

 

Aposte em comunicações via redes sociais para promover a sua empresa, produto ou serviço. Existem diferentes formas de fazer isso. Algumas empresas usam perfis de seus empreendedores para uma relação mais próxima com os clientes. Outras apostam em anúncios. Tudo depende do perfil e do tamanho da sua empresa.

2) E-commerce 

 

Na maioria das cidades brasileiras as lojas estão fechadas. A saída é comprar quase tudo pela internet e mandar entregar em casa. Sendo assim, se o seu negócio permitir que você faça delivery, não perca tempo: crie logo a estrutura para isso.

Aliás, pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) divulgada no último dia 26 apontou para o crescimento do comércio online.

De 23 categorias consideradas na pesquisa, o delivery de comida foi aquela que mais cresceu. Ao todo, 55% dos entrevistados disseram ter feito alguma compra do tipo, ante 30% do estudo anterior, registrado em 2019.

3) Serviços:

 

Se você não pode criar uma loja online porque nenhuma atividade sua se encaixa nas modalidades do item anterior, talvez exista uma oportunidade em “Serviços”. Algumas ofertas nesse sentido pintaram durante a pandemia, como aulas particulares de idiomas, música ou outra habilidade que você tenha.