São Paulo lança bolsa para auxiliar empreendedor e autônomo informais

Programa vai pagar R$ 1.000 em 2 parcelas a 100 mil pessoas. Veja quem pode participar e como fazer

Renda
Extra
Por Redacao PAN

O governo do estado de São Paulo lançou nesta sexta-feira (10) um programa para dar bolsa a empreendedores informais. Batizada de Bolsa Empreendedor, a iniciativa deve ajudar 100 mil trabalhadores informais em situação de vulnerabilidade, a partir da oferta de 100 mil bolsas.

Cada uma dessas 100 mil bolsas terá valor de R$ 1 mil, que serão pagas em 2 parcelas de R$ 500, cada. 

Não há informação sobre a data de início e do fim do pagamento nem como ele será feito. As inscrições, no entanto, ocorrem a partir desta sexta-feira (10) e vão até domingo da outra semana, dia 19 de setembro.

Ao todo, entre beneficiários diretos e indiretos, o Bolsa Empreendedor deve atingir cerca de 400 mil pessoas, segundo o governo estadual. A expectativa é impulsionar novos empreendimentos, incentivar pequenos negócios e tirar autônomos da informalidade. 

A iniciativa do governo estadual ocorre em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) de São Paulo.

Saiba quem pode se inscrever no Bolsa Empreendedor

 Um homem de óculos com armação azul, alargador na orelha, camisa branca e uma bolsa atravessada no tronco segura o celular com a mão direita e olha para o aparelho com atenção, enquanto segura o queixo com a mão esquerda e prende uma garrafa de água debaixo do braço direito. Ele está numa estação de trem

O Bolsa Empreendedor beneficiará milhares de trabalhadores informais em todos os 645 municípios do estado de São Paulo. No entanto, não é qualquer um que pode se inscrever.

Serão prioridade: mulheres, jovens (de 18 a 35 anos), pretos e pardos, indígenas e pessoas com deficiência. Essas pessoas também receberão qualificação para migrar para o mercado formal. 

Veja abaixo quais são os requisitos necessários para poder participar do Bolsa Empreendedor:

  • Para ter acesso ao Bolsa Empreendedor, os trabalhadores autônomos devem participar de um curso gratuito de empreendedorismo do programa Empreenda Rápido, com frequência mínima de 80% 

  • Todos também devem obter formalização como MEI (Microempreendedor Individual) ou outra natureza jurídica 

  • Precisa obedecer ainda a um desses requisitos: ser morador de um dos 645 municípios paulistas; estar desempregado ou ser trabalhador informal maior de 18 anos e sem inscrição de CNPJ como empresário, sócio ou administrador de pessoa jurídica.

O governo de São Paulo informou que pessoas formalizadas em 2021 também serão aceitas no programa.

Veja como se inscrever no Bolsa Empreendedor 

Imagem mostra as mãos de uma pessoa digitando num laptop sobre a mesa

Agora que você já sabe se está ou não elegível para participar, é hora de saber como se inscrever no Bolsa Empreendedor. Veja abaixo como se inscrever:

  • Qualquer pessoa que corresponda aos requisitos acima pode se inscrever; 

  • Para fazer a inscrição, é necessário acessar o portal do Bolsa do Povo

  • Ao descer um pouco a página, você encontrará uma série de benefícios, como Vale-Gás, Bolsa Talento Esportivo… e Bolsa Empreendedor;

  • É só clicar em “Bolsa Empreendedor” que aparecerá a opção “Se inscrever”;

A inscrição está aberta a partir desta sexta-feira (10) e vai até o domingo da outra semana , dia 19.

As 100 mil bolsas serão distribuídas entre as regiões administrativas do estado de forma proporcional à população vulnerável inscrita no Cadúnico até janeiro de 2021. 

Haverá ordem de prioridade, segundo os grupos prioritários, de acordo com a quantidade de vagas disponíveis em cada região.

A lista regionalizada das vagas está disponível aqui

Curso de capacitação será exigido   

Para receber a bolsa, a pessoa deverá participar de um curso gratuito de empreendedorismo do programa Empreenda Rápido, com frequência mínima de 80%. 

Os cursos do Empreenda Rápido são oferecidos pelo Estado em parceria com o Sebrae-SP. As capacitações ocorrem em formato presencial, com carga horária de 20 horas, ou com dez horas-aula online.

Nesses cursos, os alunos aprendem sobre temas como empreendedorismo, ideia de negócios, marketing, finanças e formalização, entre outros. 

Haverá 70 mil vagas presenciais e 30 mil vagas online em todo o estado, de acordo com o governo paulista. A primeira turma está prevista para 27 de setembro. 

Como os participantes deverão obter formalização, como MEI (Microempreendedor Individual) ou outra natureza jurídica, veja o passo a passo para formalizar uma empresa e, assim, poder participar do programa.