Veja 5 mitos e verdades sobre o PIX. Afinal, PIX é bom ou ruim?

O sistema de pagamentos instantâneo pode gerar dúvidas, por isso é bom saber o que é mito ou verdade sobre o PIX

Mais crédito
para você
Por Redacao PAN

O PIX ainda pode gerar algumas dúvidas, principalmente para quem não está acostumado a usar o sistema de pagamento instantâneo. Por isso, é importante esclarecer os mitos e verdades sobre o PIX para todo mundo entender como usar esse recurso.

Desde novembro de 2020, quando a tecnologia passou a ser utilizada, muitos boatos já foram criados a respeito do PIX. Mas a verdade é que ele facilitou a vida de pessoas, empresas, instituições e todo mundo que lida com dinheiro.

Afinal, uma série de preocupações do passado foram resolvidas com o PIX. Ao mesmo tempo, é bom entender o que é verdade ou não em relação ao recurso para não se enganar e, com isso, aproveitar o que o sistema tem de melhor a oferecer.

Entenda o que é PIX

O PIX é um meio de pagamento instantâneo e online criado no Brasil para ser mais uma opção entre os recursos que já existem. Esse novo jeito de fazer pagamentos, de enviar e receber dinheiro trouxe algumas vantagens importantes, como por exemplo:

  • fazer pagamentos de maneira instantânea, pois o dinheiro sai de uma conta e cai na outra na mesma hora

  • realizar transferências de modo online, 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem precisar aguardar dia útil ou horário de expediente bancário

  • usar poucas informações bancárias para transferências, como dados pessoais (CPF, e-mail ou número de celular, por exemplo)

  • pagar a partir de QR Code ou de um código único para a transação, conhecido como PIX Copia e Cola

  • para empresas, a possibilidade de gerar QR Code para receber pagamento de faturas, compras ou contas, com recurso chamado de PIX Cobrança.

5 mitos e verdades sobre o PIX

infográfico mostra trechos do texto sobre mitos e verdades sobre o PIX, em tópicos, com ícones para cada um dos itens.

  1. O PIX substitui o DOC e o TED

Mito. O novo meio de pagamento é mais um meio de transferência de dinheiro, que pode ser uma excelente alternativa ao DOC e TED. Afinal, esses dois tipos cobram taxas por transação, o que acaba pesando no bolso. 

Além disso, fazer PIX é bem mais fácil, principalmente se houver chave PIX, que facilita o preenchimento das informações necessárias para mandar grana a uma conta.

Porém, o PIX não substitui o DOC e o TED. Isso é mito. Por mais popular que o PIX possa ser, os outros métodos para enviar e receber recursos continuam valendo. É só mais uma alternativa para clientes usarem e não vai ficar no lugar de nenhum outro meio.

  1. PIX só pode ser usado entre pessoas

Mito. O sistema de pagamento instantâneo foi criado para facilitar a vida de todo mundo, e não apenas de pessoas físicas que desejam mandar ou receber recursos via PIX.

O BACEN (Banco Central) traz uma lista sobre como o PIX pode ser utilizado para:

  • transferências entre pessoas

  • pagamento em estabelecimentos como lojas físicas e comércio eletrônico

  • pagamento de prestadores de serviços

  • pagamento entre empresas, como fornecedores

  • recolhimento de receitas como taxas, multas

  • pagamento de cobranças

  • pagamento de serviços públicos, como energia elétrica, telefone celular, internet, TV a cabo, água

Dá para usar o PIX inclusive para pagar com PIX em aplicativos de entrega e de transporte. Logo, o uso do sistema vai muito além do uso por pessoas físicas.

  1. Não é preciso de chave PIX para usar o recurso

foto mostra mulher sorrindo enquanto usa celular em meio a corredor de galeria de compras. A mulher é negra, tem cabelos cacheados e usa camiseta vermelha.

Verdade. Para usar o PIX, é possível informar os dados bancários, assim como seria em um DOC ou TED. Dá pra usar o sistema e mandar recursos a alguém com informações como nome, CPF, número de agência e conta e valor.

Porém, a chave PIX facilita na hora de fazer transações. Isso porque não é mais necessário usar todos os dados da conta bancária: basta inserir a chave PIX que os dados relacionados à conta da chave aparecem na hora.

A chave PIX pode ser:

  • CPF/CNPJ

  • E-mail

  • Número de celular

  • Chave aleatória, sequência gerada de forma automática pelo sistema.

Logo, por mais que a chave PIX seja um identificador que ajuda no momento de preencher os dados bancários de uma conta de destino, ela não é o único jeito de fazer PIX.

  1. As pessoas precisam pagar para usar PIX

Mito. Mas no caso de pessoas físicas que utilizam o PIX para mandar dinheiro a alguém, receber recursos de uma conta ou fazer pagamentos para estabelecimentos como lojas, supermercados, aplicativos de delivery e transporte e outros similares.

As únicas situações listadas pelo BACEN para possibilidade de cobrança de tarifa no PIX são:

  • Quem fizer PIX usando canal de atendimento presencial ou pessoal da instituição financeira, como um telefone, caso o banco tenha esse recurso

  • Quem receber PIX como pagamento por produto ou serviço.

  • O PIX é seguro

foto destaca mãos de uma pessoa branca usando smartphone. Em cima da imagem, ícones gráficos de escudos para simbolizar segurança do PIX

Com certeza! É verdade que o PIX é seguro, pois o sistema usa tecnologias como a criptografia, os marcadores de fraude, que emitem alertas para instituições sobre potenciais ações ilegais, e também diretrizes estabelecidas pelo BACEN sobre segurança.

Além disso, é preciso de autenticação digital para validar transações de envio de recursos via PIX, o que pode ser feito com senha, token, digital, reconhecimento facial e qualquer outra tecnologia que o banco oferecer aos clientes.

Ao mesmo tempo, o sistema do PIX não está na internet, pois ele funciona na Rede do Sistema Financeiro Nacional, operada pelo BACEN.

Depois de conhecer mitos e verdades do PIX, é hora de saber se há limites de transações para fazer diariamente. Entenda quantos PIX se pode fazer por dia!