Teve o celular roubado ou furtado? Confira os 5 passos para proteger os seus dados

Para diminuir o prejuízo do roubo, é fundamental apagar os dados do aparelho e tomar outras medidas

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Ter um celular roubado ou furtado traz uma grande dor de cabeça não apenas pelo momento do crime em si, mas também pela perda de um item precioso e fundamental para o dia a dia. Além disso, boa parte das pessoas carrega “a vida” no bolso por meio do smartphone. 

O aparelho carrega aplicativos de bancos, redes sociais, e-mail e vários outros que usamos diariamente. Caso sejam acessados por criminosos, podem aumentar os danos da vítima do roubo. 

O problema é sério e atinge milhares de pessoas. Talvez você conheça alguém ou mesmo já tenha sido vítima de roubo de celular alguma vez na vida. 

Hoje em dia, o celular é usado para pagar contas, fazer compras, falar com amigos e guardar diversas informações pessoais. Tudo isso é importante demais e, em mãos erradas, pode trazer dores de cabeça. Logo, é fundamental saber o que fazer em caso de roubo. 

5 ações para tomar em caso de celular roubado 

Ilustração com figura de uma mulher com coque em frente a um laptop traz balões com dicas para o que fazer se celular for roubado: trocar senhas, avisar o banco, apagar dados, boletim de ocorrência e bloquear chip

Quem teve o celular roubado precisa agir rápido não apenas para apagar dados, mas também para impedir o acesso de criminosos a aplicativos, especialmente os bancários ou financeiros.

Em uma situação assim, também é importante seguir uma ordem de protocolos e, se possível, realizar alguns deles ao mesmo tempo. Não é recomendável ações como rastrear ou tentar recuperar o aparelho em casos envolvendo crime. 

A própria Febraban (Federação Brasileira de Bancos) traz em seu site recomendações sobre como proceder em situações do tipo.

Veja outras ações para tomar.

  1. Apagar os dados do celular de forma remota

É possível limpar os dados do smartphone à distância. Assim, fica mais difícil que acessem suas informações pessoais. É importante fazer essa etapa antes de bloquear o aparelho, pois, depois do bloqueio, não é mais possível acessar o celular de maneira remota.

Se o aparelho for Android, você pode fazer isso de 4 maneiras:

Vale reforçar que, em caso de roubo, não é recomendável rastrear ou ir atrás do celular roubado: assim você preserva a sua integridade física. Todas essas opções permitem limpar os dados do dispositivo, caso ele não esteja bloqueado.

Quem possui iPhone pode fazer o mesmo procedimento pela página https://www.icloud.com/find ou pelo aplicativo Buscar, que é nativo dos aparelhos iOS e pode ser usado em outro aparelho. Alguns fabricantes também oferecem o recurso de limpar dados remotamente.

  1. Fazer o Boletim de Ocorrência

O Boletim de Ocorrência é essencial para seguir as próximas etapas, especialmente no caso do contato com operadoras de telefonia e bancos. Geralmente, o B.O. é exigido para que bloqueios sejam feitos, impedindo criminosos de usarem o smartphone.

É possível fazer boletins de forma online em caso de furto: basta procurar o site da Polícia Civil ou Militar do seu estado. No caso de roubo de celular, é preciso buscar a Delegacia de Polícia mais próxima para registrar a ocorrência.

  1. Avisar a operadora e bloquear o aparelho e chip

É essencial avisar a operadora de telefonia, que faz o bloqueio do aparelho e também do chip. Com isso, é mais difícil criminosos conseguirem usar o celular. Para fazer isso, é preciso do código IMEI, que todo smartphone possui.

É uma sequência de 15 a 17 números que pode ser obtida na caixa do aparelho, perto do código de barras, ou na nota fiscal de compra do produto. 

Além disso, dá pra saber o código IMEI no próprio celular, digitando a sequência *#06# no teclado de ligações. Porém, essa opção só pode ser usada com o celular em mãos. Por isso, é bom guardar caixas, notas fiscais ou anotar o IMEI ao comprar o celular.

Ligue para a operadora do celular, escolha a opção de bloqueio e informe o roubo. Nesse momento, poderão ser solicitados dados pessoais, número IMEI e o Boletim de Ocorrência. Depois do bloqueio, o aparelho ficará inutilizado.

  1. Comunicar bancos com apps instalados no celular

O próximo passo é procurar o banco para informar o roubo, principalmente se foram levados também itens como cartões de crédito ou débito. É necessário bloquear esses cartões, bem como evitar o uso de apps financeiros.

Além disso, é importante avisar o banco para que transações suspeitas sejam bloqueadas. Isso porque os criminosos podem utilizar aplicativos para enviar dinheiro das contas da vítima para outras contas.

Veja nesse vídeo do canal do Banco PAN no YouTube como bloquear um cartão do PAN. 

 

 

 

 

Troque as senhas de acesso de redes sociais, aplicativos de bancos, e-mails e outras, como de cartões caso o roubo tenha sido de outros objetos além do celular. Isso pode dificultar o acesso dos criminosos aos seus perfis.

Isso pode ser feito de um computador ou mesmo de outro aparelho celular. É possível acessar as configurações e finalizar o acesso aos apps que estão ativos no seu smartphone.

Por exemplo: é possível abrir o Facebook pelo computador, acessar a parte de configurações e finalizar a sessão em outros aparelhos. Assim, o app no smartphone roubado exigirá os dados de acesso novamente e não dará liberação ao seu perfil.

Medidas de redução de danos para roubo de celular

Foto mostra mulher sentada em frente a mesa, com os pés em cima dela, olhando para celular que segura em sua mão esquerda. Há um laptop aberto em cima da mesa

Nem sempre é possível evitar o roubo do smartphone, mas algumas medidas ajudam a reduzir os danos caso isso aconteça e auxiliam nas ações que listamos acima:

  • configure o celular para ser acessado sempre com senha, biometria ou outros recursos de proteção

  • estabeleça um tempo curto para a tela ser bloqueada (30 segundos, por exemplo)

  • use autenticação de dois fatores para acesso a aplicativos, como o WhatsApp ou redes sociais

  • ative os recursos de localização do aparelho ou opções para encontrar o dispositivo, para que seja mais fácil limpar os dados à distância

  • sempre use os recursos de login e autenticação de senha para acessar os aplicativos do celular, principalmente os financeiros

  • guarde a caixa, nota fiscal e anote o código IMEI do aparelho assim que comprá-lo

  • mantenha o sistema operacional e os aplicativos sempre atualizados, pois isso permite que eles continuem seguros.

Um seguro também pode ser uma boa medida que ajuda a lidar com o prejuízo do roubo de um celular. Além disso, essa proteção pode ser útil diante de outras situações. Entenda para que serve um seguro.