Sua conta de luz vai subir de novo em setembro: entenda por que

Aneel aumenta para R$ 14,20 por 100 kWh de consumo de energia o valor da taxa extra a ser cobrada, a bandeira tarifária de energia

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou na tarde desta terça-feira (31) uma nova bandeira tarifária de energia elétrica, chamada “bandeira de escassez hídrica”. O valor dela será de R$ 14,20 a cada 100 kWh de energia consumidos. Na prática, isso vai fazer a conta de luz ficar mais cara.

Essa será a bandeira adotada a partir desta quarta-feira, 1º de setembro, até o dia 30 de abril de 2022. O valor representa, na prática, um aumento de 49,59% na taxa extra que os consumidores estão pagando em suas contas de luz até o final de agosto. 

Esse valor não se aplica aos consumidores de Roraima e aos consumidores inscritos no programa da tarifa social do governo federal. 

Este não é o primeiro aumento do valor da bandeira tarifária. Em julho, o valor da bandeira vermelha de patamar 2 já tinha ficado mais alto: R$ 9,492 a cada 100 kWh de consumo. Esse era o valor válido até agora.

Governo cria ‘bandeira da escassez hídrica’

A diferença do último aumento para este é que houve agravamento da situação de seca. O Brasil precisará importar energia de países vizinhos, como a Argentina e o Uruguai, que se juntam ao Paraguai no fornecimento de energia aos brasileiros. 

Com isso, o Brasil terá um custo adicional de R$ 13,8 bilhões para financiar o abastecimento de energia. Por esse motivo, foi preciso criar uma nova bandeira tarifária chamada bandeira da escassez hídrica. 

O anúncio ocorre em meio à pior seca dos últimos 91 anos. Essa seca reduz o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas. Por isso, reduz o potencial de geração de energia.

Com esse potencial reduzido das hidrelétricas (que são a maior fonte de energia do país), é necessário acionar, por exemplo, as usinas termelétricas, cujo custo de produção é mais caro. 

Isso já se reflete na inflação oficial do país, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). A energia tem sido uma das principais responsáveis pelo aumento da inflação do país.

Como funciona o sistema de bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias são adotadas para sinalizar o custo da energia elétrica. Elas ajudam o consumidor a saber em que pé está o valor da conta de luz.

Existem bandeiras tarifárias nas cores verde, amarela e vermelha, esta última em patamar 1 e 2. Elas indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Veja como funciona o sistema de bandeiras tarifárias:

Infográfico mostra as bandeiras tarifárias de energia elétrica (verde, amarela e vermelha de patamar 1 e 2)

No caso da bandeira verde, o consumidor paga apenas pelo consumo de luz em sua conta. A partir da bandeira amarela, há taxas extras a serem pagas a cada 100 kWh consumidos.

Iniciativas para minimizar o impacto da falta de energia

Diante da situação crítica dos reservatórios de usinas hidrelétricas, várias iniciativas estão sendo tomadas para tentar reduzir o consumo e minimizar os impactos dessa situação.

O setor elétrico lançou uma campanha para consumo consciente chamada “Energia elétrica: se desperdiçar, vai faltar, em que trouxe dicas de economia de energia.

O Ministério de Minas e Energia anunciou, na última quarta-feira (25), que os consumidores atendidos por distribuidoras de energia elétrica vão ganhar descontos na conta se economizarem eletricidade.

No entanto, as condições para ganhar esse abatimento e de quanto ele será ainda não foi divulgado. 

Diante desse cenário, veja 11 dicas sobre como economizar energia.