O que é a indenização do seguro e quando é paga

Entenda quais as situações que preveem o pagamento da indenização do seguro

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

Quando você contrata um seguro para um determinado fim - contra roubo de carro, por exemplo - e aquele evento acontece, é necessário abrir junto à seguradora o que chamamos de sinistro, que por sua vez irá analisar o caso e, estando tudo dentro das regras do produto, pagará a indenização de seguro.

Por isso, é fundamental, ao contratar um seguro, prestar atenção no valor do capital segurado de cada cobertura, pois isso corresponderá à indenização.

Veja o que é a indenização e o que observar para não ser pego de surpresa ao acionar um sinistro. 

O que é indenização do seguro?

02_Mobile_Indenizacao_19_08.png

 

A Susep (Superintendência de Seguros Privados) define a indenização como “pagamento do prejuízo ao segurado, em caso de sinistro coberto, dentro do limite contratado para a cobertura e de acordo com as condições da apólice”.

A indenização é o valor que a empresa seguradora paga para quem contrata seu seguro caso ocorram prejuízos que estavam previstos na apólice, documento esse que traz todas as situações e exigências necessárias quando precisar abrir um sinistro.

Esse valor é o apoio financeiro que ajuda na recuperação dos danos em caso de sinistro. Assim, o planejamento financeiro do segurado não fica prejudicado, pois, em vez de tirar dinheiro do próprio bolso para lidar com uma eventualidade, a pessoa recebe a indenização.

Quando uma indenização é paga?

Uma indenização de seguro é paga sempre que acontece qualquer evento coberto previsto na apólice. 

O pagamento é feito assim que a documentação que comprova a ocorrência do evento for apresentada e analisada pela seguradora e respeitando o prazo estabelecido no contrato de seguro e nas condições gerais.

Vamos usar um exemplo sobre o pagamento de indenização de seguro de carro. Imagine uma pessoa que fez um financiamento de veículo e finalmente adquiriu o seu automóvel. Porém, depois de um tempo, esse carro infelizmente foi roubado.

Caso a pessoa tenha um seguro de carro que preveja indenização em caso de roubo, essa situação fica bem mais fácil de enfrentar. Afinal, existe a previsão na apólice de seguro que, caso o automóvel seja roubado, haverá indenização.

É necessário cumprir os requisitos da seguradora para ela pagar a indenização. Em geral, é exigida a apresentação de uma série de documentos pessoais e também relacionados ao seguro. Em casos envolvendo crimes, é preciso ter o Boletim de Ocorrência, por exemplo.

Os seguros são a proteção para prevenir ou auxiliar segurados em situações de perdas ou prejuízos financeiros. Dessa forma, a indenização existe para diferentes tipos de seguros, seja ele de automóveis, residenciais, bens materiais e também em casos de seguro de vida.

Em todos esses casos, a ideia é a mesma: em qualquer evento previsto na apólice, os segurados receberão a indenização. Esse pagamento pode acontecer em até 30 dias a partir da entrega dos documentos exigidos pela seguradora.

Porém, vale conferir os termos da apólice para entender qual é o prazo para que o dinheiro da indenização caia na sua conta. Leia principalmente as Condições Gerais do seguro, que é a base do contrato e traz detalhes como:

  • Coberturas;

  • Riscos cobertos;

  • Riscos que o seguro não cobre;

  • Direitos e obrigações de seguradora e segurados;

  • Valores do seguro, prêmio, franquias e indenizações;

  • Quais são os procedimentos necessários em caso de sinistro.

Como o valor é definido?

foto de notas de 100 reais enfileiradas, com destaque para o número 100 na primeira nota.

Ao contratar o seguro, ficam estabelecidas na apólice as coberturas do seguro e em quais situações poderá abrir um sinistro que, se acontecerem, vão gerar o pagamento de indenização.

Ao contratar um seguro, ficam definidas as coberturas e o valor do capital segurado (o valor máximo de indenização que será pago). Por exemplo: naquela situação do carro que foi roubado, se ele vale R$ 50.000,00 na tabela Fipe, e ela é a referência da cobertura, esse será o valor máximo de indenização.

Os valores também podem mudar de acordo com o tipo de evento, com o prêmio (valor pago para contratar o seguro), se o seguro possui franquia (valor pago caso seja necessário usar o seguro) e outras variáveis que estarão descritas na apólice.

No caso de seguros que possuem franquia, existem duas situações que impactam no valor da indenização:

  • Na franquia simples, segundo a Susep, a seguradora não é obrigada a arcar com valores menores do que a franquia. Porém, se os danos do sinistro superarem o valor, a empresa paga o valor total do sinistro;

  • Na franquia dedutível, a seguradora vai indenizar apenas o valor de prejuízo que for maior do que a franquia paga pelo segurado.

Imagine um automóvel que possui seguro contra danos que prevê indenização de R$ 8.000,00 e tenha franquia de R$ 1.000,00. Se houver um acidente que cause prejuízos de R$ 500,00, esse valor é pago pelo segurado, pois é menor do que a franquia.

Agora, se os prejuízos forem de R$ 8.000,00, serão duas possibilidades:

  1. Na franquia simples, a seguradora pagaria indenização total de R$ 8.000,00;

  2. Na franquia dedutível, a seguradora pagaria indenização de R$ 7.000,00 (e o segurado arcaria com R$ 1.000,00, que é o montante da franquia).

Como o valor da indenização do seguro pode ser utilizado?

foto que destaca papel sendo assinado por uma pessoa, à direita, com outra pessoa à esquerda. Apenas as mãos das duas pessoas aparecem.

O valor pode ser utilizado para diferentes fins, de acordo com o tipo de seguro. No caso do seguro de vida, a indenização pode servir para amparar familiares em casos de morte ou invalidez permanente, ou para tratamentos de doenças ou recuperação de acidentes.

No caso do seguro de automóveis, o valor de indenização pode ser utilizado tanto para a aquisição de um veículo novo, no caso de perda total, quanto para consertos ou reparos decorrentes de acidentes que estavam previstos na apólice.

Em seguros residenciais, a quantia recebida ajuda na realização de reparos decorrentes de fenômenos da natureza, incêndios ou na recuperação de bens perdidos em roubos, desde que essas situações estejam previstas no contrato do seguro.

Por fim, existe o seguro prestamista, que em caso de morte, invalidez ou perda de renda, ajuda o segurado na quitação de empréstimos, financiamentos ou fatura de cartão, por exemplo.

A indenização desse tipo de seguro pode ser usada justamente para quitar parte ou o saldo devedor total da dívida.

Depois de entender o que é a indenização do seguro e em quais situações os segurados recebem esse valor, conheça os tipos de seguros mais comuns!