Conta de luz da tarifa social terá bandeira amarela em novembro

Assim, cobrança adicional passa de R$ 9,49 para R$ 1,87 a cada 100 kWh ao longo deste mês

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na última sexta-feira (29) que consumidores inscritos na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) pagarão bandeira tarifária amarela em novembro.

Até então, esses consumidores estavam pagando bandeira tarifária vermelha no mês de outubro. E essa determinação já havia sido um benefício para eles, pois os demais consumidores estão, desde o mês passado, pagando a bandeira tarifária de escassez hídrica.

Na prática, o anúncio da Aneel reduz de R$ 9,49 mensais a cada 100 kWh adicionais na conta de luz da bandeira tarifária vermelha para R$ 1,87 mensais a cada 100 kWh para quem tem tarifa social.

Já os outros consumidores brasileiros que não estão inscritos na TSEE continuam a pagar normalmente a bandeira tarifária de escassez hídrica, cujo valor adicional é de R$ 14,20 mensais a cada 100 kWh.

A bandeira de escassez hídrica é a mais cara de todas e foi criada no fim de agosto. Começou a valer em setembro e tem duração programada até o fim de abril de 2022.

O objetivo dessa bandeira tarifária é contornar os custos adicionais da geração de energia no país, por causa da maior seca dos últimos 91 anos.

Como funciona o sistema de bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias são adotadas para sinalizar o custo da energia elétrica. Elas ajudam o consumidor a saber em que pé está o valor da conta de luz.

Existem bandeiras tarifárias nas cores verde, amarela e vermelha, esta última em patamar 1 e 2. Elas indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Veja como funciona o sistema de bandeiras tarifárias:

Quadro explica quando cada bandeira tarifária é adotada

 

 

 

No caso da bandeira verde, o consumidor paga apenas pelo consumo de luz em sua conta. A partir da bandeira amarela, há taxas extras a serem pagas a cada 100 kWh consumidos.

Quem tem direito à tarifa social de energia?

A tarifa social de energia é destinada a famílias de baixa renda. Veja abaixo quais são os requisitos para ter direito:

  • inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico);

  • ter renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo (R$ 550) ou ter entre os moradores uma pessoa que receba o benefício de prestação continuada da assistência social (BPC).

Por que a conta de luz está mais cara?

Foto mostra torneira pingando

O aumento do preço da energia ocorre por causa do baixo nível dos reservatórios (o motivo disso são as fortes secas para o período). Esse nível mais baixo sinaliza uma capacidade reduzida para gerar energia hidrelétrica.

Por sua vez, a baixa capacidade hidrelétrica faz aumentar a necessidade de acionar os recursos termelétricos, outra forma de produzir energia. Assim, pressiona os preços.

Na ponta da linha, o aumento da tarifa da bandeira vai pesar no seu bolso. É esta a principal consequência da chamada “crise hídrica” pela qual o Brasil está passando. Ou seja, está faltando chuva.

Por causa desse cenário de seca, o próprio setor elétrico lançou uma campanha para consumo consciente chamada “Energia elétrica: se desperdiçar, vai faltar. São várias dicas para poupar uma grana na conta de luz. Mas você pode ver ainda essas outras 11 dicas de como economizar energia.