Petrobras anuncia redução no preço da gasolina para as distribuidoras

Valor será reduzido para as distribuidoras a partir desta quarta-feira (15). No entanto, redução não é necessariamente automática nos postos

Controle
Seus Gastos
Por Redacao PAN

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (14) a redução do preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras, de R$ 3,19 para R$ 3,09 por litro. A medida começa a valer a partir desta quarta (15).

“Considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina A para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço da gasolina na bomba passará a ser de R$ 2,26 a cada litro em média. Uma redução de R$ 0,07”, informou a estatal.

A Petrobras ainda informou que “esse ajuste reflete, em parte, a evolução dos preços internacionais e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina”.

A redução no valor das distribuidoras não é, necessariamente, uma queda automática no preço nas bombas, pago pelo consumidor. Isso porque a distribuidora, depois de comprar o combustível, o vende para os postos, que então o comercializam. Nesse caminho, há as margens tanto de distribuidoras quanto dos postos. 

Preço médio da gasolina caiu pela 3ª semana seguida

No período de 5 a 11 de dezembro, o valor médio do litro da gasolina comum cobrado no país caiu pela 4ª semana seguida, segundo pesquisa de preços de combustíveis da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

O levantamento, semanal, revela que o litro da gasolina chegou ao valor médio de R$ 6,752 em meados de novembro. De lá para cá, houve quedas sucessivas até chegar a R$ 6,708. 

Veja a evolução dos preços da gasolina nas últimas semanas.

Gráfico mostra evolução do preço médio do litro da gasolina comum pela pesquisa da ANP nas últimas semanas
A pesquisa da última semana foi feita em 4.696 postos em todo o país. O preço mínimo constatado foi de R$ 5,469, em Marília, em São Paulo. Já o preço máximo foi de R$ 7,962, em Bagé, no Rio Grande do Sul. 

Alta do preço da gasolina supera 50% em 12 meses
Mulher sentada no banco de motorista de um carro desfocada estende uma nota de R$ 50 para a janela, que está aberta

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a alta acumulada da gasolina nos 12 meses terminados em novembro de 2021 é de 50,78%. 

A constatação é feita na pesquisa realizada pelo instituto para calcular o  IPCA (ndice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do país. No mesmo período, o IPCA subiu 10,74%. 

Só em novembro, por exemplo, quando o IPCA subiu 0,95%, a gasolina teve alta de 7,38%. E não foi o único combustível a puxar o índice para cima.

Também aumentaram em novembro, segundo o IBGE, na pesquisa para o IPCA:

  • etanol: 10,53%;

  • óleo diesel: 7,48%;

  • gás veicular: 4,3%.

Para lidar melhor com o aumento geral dos preços, descubra quais aparelhos gastam muita energia elétrica na sua casa. Assim, você pode ter melhor controle da sua conta de luz.