O que é um investimento de renda fixa e quais os tipos

O investimento de renda fixa é, muitas vezes, o começo de quem deseja investir ou diversificar

Renda
Extra
Por Redacao PAN

 

Um investimento em renda fixa pode ser o pontapé inicial de quem quer fazer o dinheiro virar mais dinheiro por meio de aplicações financeiras. Além disso, é uma alternativa para diversificar investimentos (ou seja, colocar grana em diferentes tipos de aplicações.

Em geral, as aplicações de renda fixa são mais estáveis do que outros tipos de investimento, especialmente aqueles de renda variável, como ações.  

Dá pra investir em renda fixa com pouco dinheiro e, com isso, começar a fazer a grana trabalhar para você. Afinal, investimentos rendem juros para quem investe. Com isso, você coloca dinheiro em uma aplicação que pode te devolver o valor investido acrescido de juros. 

O que é investimento de renda fixa

 

 

ilustração mostra pessoa ao lado de celular grande, que mostra na tela o texto “rendimento previsto 2 mil reais” e um botão para investir. A pessoa da ilustração é negra, tem cabelo e barba cinzas e veste roupa laranja e cinza, e está diante de fundo azul com ícones de moedas e notas de dinheiro.

Os ativos (investimentos) de renda fixa são aqueles que informam de maneira prévia qual será a rentabilidade de um determinado título. Ou seja, antes mesmo de colocar dinheiro, é possível ter ideia do quanto o dinheiro investido vai render.

De forma ampla, investimentos assim são de baixo risco. Afinal eles não são atingidos de maneira direta por oscilações do mercado financeiro ou de empresas, como pode acontecer no mercado de ações ou títulos ligados a setores econômicos, por exemplo.

Vale reforçar que isso não significa que quem investir em renda fixa estará imune a perdas, pois são vários fatores que podem influenciar em ativos desse tipo. Porém, em comparação com as aplicações de renda variável, os que possuem rentabilidade fixada trazem menos surpresas.

Existem 3 tipos de rentabilidade que são usadas em investimentos de renda fixa. 

  • prefixada, mostrando antes mesmo da aplicação qual será o percentual de rendimento

  • pós-fixada, usada em investimentos cuja rentabilidade está ligada a indicadores financeiros que variam ao longo do tempo

  • híbrida, que é mais raro e mistura os dois tipos, por exemplo: um investimento com 5% de juros ao ano + variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

infográfico traz trechos do texto sobre o que é um investimento de renda fixa, com ilustrações de pessoas e ícones de dinheiro.

Vantagens e desvantagens da renda fixa

Por um lado, a renda fixa tem a vantagem de ser mais segura e dar menos risco ao investidor de perder dinheiro. Mas, de outro lado, ela traz a desvantagem de ter um retorno menor do que outras aplicações mais arriscadas.

Isso acontece porque, no mercado de investimentos, quanto maior o risco, maior a possibilidade de obter retorno financeiro. Porém, mesmo com menores chances de perda, a renda fixa traz opções que podem ser boas para quem quer ver o dinheiro se multiplicar.

As aplicações da renda fixa são boas opções de investimento para iniciantes pela a previsão de rentabilidade e por renderem mais do que deixar o dinheiro parado ou aplicado na poupança. 

Além disso, outra vantagem é que boa parte dos investimentos de renda fixa conta com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). A entidade existe para proteger o dinheiro de investidores em algumas aplicações.

Quando o Banco Central decreta a liquidação ou intervenção de uma instituição financeira, o FGC garante que quem tem dinheiro investido receba o seu dinheiro de volta (inclusive com os juros). Mas há um limite: são R$ 250.000 por CPF, por banco.  

6 investimentos de renda fixa

foto destaca pessoa colocando moeda em porquinho. A pessoa só aparece do pescoço para baixo e usa camiseta amarela, e o porquinho está em cima de uma mesa.

Caderneta de poupança

A poupança é uma aplicação em conta aberta no banco com o objetivo de juntar dinheiro. Não há cobrança de taxas para manutenção de uma conta poupança e não há cobrança de Imposto de Renda nesse tipo de investimento.

Na poupança, existe o aniversário de cada aplicação no dia do mês em que um depósito foi feito. Por exemplo: quem aplicou R$ 100 no dia 10 de um mês terá retorno de juros no dia 10 do mês seguinte. Se o dinheiro for tirado da conta antes, não haverá rendimentos.

A poupança tem liquidez diária, o que significa que quem tem essa aplicação pode tirar a grana do investimento a qualquer momento. Além disso, essa aplicação tem garantia do FGC.

O rendimento da poupança está ligado à taxa Selic. Quando a Selic é igual ou menor que 8,5%, a poupança terá rendimento de 70% da Selic além da Taxa Referencial (TR), que é uma taxa calculada pelo Banco Central e serve de base para outras taxas.

Quando a Selic é maior que 8,5%, a poupança passa a pagar de rendimento 0,5% ao mês, acrescidos da Taxa Referencial.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB é um título emitido por bancos e instituições financeiras que desejam obter recursos para suas atividades. As empresas usam o dinheiro para operações de melhorias ou mesmo financeiras.

Quem compra um título CDB pode conferir a rentabilidade dele (prefixada ou pós-fixada) e investir. O dinheiro do CDB fica investido por um tempo determinado e, no fim, (chamado de vencimento), o valor volta para quem fez a aplicação, com o acréscimo de juros.

Há cobrança de Imposto de Renda no resgate do CDB, mas, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menor será a alíquota.  

O CDB tem prazo de vencimento que define uma data pra resgatar o valor aplicado. Quem tira o dinheiro antes pode receber menos do que receberia se esperasse o fim do vencimento, pois será retirado apenas o valor com os rendimentos até a retirada.

Por fim, o CDB é coberto pelo FGC.

LCA (Letra de Crédito do Agronegócio)

A LCA é um título emitido por instituições financeiras e bancos que estão captando recursos para empresas ou projetos do agronegócio O objetivo é receber dinheiro de pessoas que investem nesses títulos e dar retorno por meio de juros para quem aplicou no título.

Com a LCA, empresas do agronegócio conseguem levantar recursos para expandir suas atividades. Ao mesmo tempo, quem coloca seu dinheiro  nesse tipo de aplicação espera rentabilidade. No fim do contrato, quem investiu recebe o dinheiro de volta, além de juros.

Não há cobrança de IOF na LCA se o investimento for mantido por mais de 30 dias. Além disso, não há cobrança de Imposto de Renda. A aplicação também é protegida pelo FGC. 

LCI (Letra de Crédito Imobiliário)

Se a LCA visa captar recursos para projetos que são do agronegócio, a LCI faz algo muito similar, porém voltado ao mercado imobiliário. Dessa maneira, quem investe em títulos LCI está emprestando dinheiro para companhias que atuam no mercado de imóveis.

A lógica é a mesma: companhias que desejam expandir suas atividades procuram instituições financeiras que emitem títulos LCI para conseguir dinheiro emprestado. E quem empresta, ao final do investimento, recebe o valor acrescido de juros.

Não há cobrança de IOF na LCI se o valor não for retirado em menos de 30 dias. Não há cobrança de Imposto de Renda e a aplicação também é protegida pelo FGC. 

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa de investimento em que a pessoa compra títulos da dívida pública federal por meio do Tesouro Nacional. 

Funciona como uma maneira do poder público captar recursos. Sendo assim, quem compra títulos do Tesouro empresta dinheiro para o governo.

Esse empréstimo dura um tempo e, quando termina, o Tesouro Nacional devolve o dinheiro a quem investiu, acrescido de juros. Eles podem ser tanto prefixados como pós-fixados. Entre as opções de título, estão o Tesouro Selic, Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado.

Debêntures

foto mostra homem olhando com atenção para tablet diante de mesa com notebook e com fundo de escritório aberto. O homem é branco, tem cabelo e bigode pretos e usa camisa social cinza claro.

As debêntures são títulos de empresas. Eles funcionam como o Tesouro Direto, mas no lugar do dinheiro das aplicações ir para o governo, ele será destinado a empresas que querem expandir suas atividades. Em troca, os investidores recebem juros.

As debêntures são tributadas e pagam IR de acordo com a mesma regra do CDB. Porém, alguns tipos, como as debêntures incentivadas, têm isenção fiscal. Esses títulos não possuem proteção do FGC e, em geral, não possuem carência.

Todas as condições de carência, prazos de vencimento, resgate, rendimento e liquidez dos investimentos de renda fixa estarão no contrato do investimento. Leia atentamente para saber se a aplicação atende às suas necessidades.

Depois de entender o que é um investimento de renda fixa, chegou o momento de descobrir o que é verdade ou exagero quanto o assunto é fazer seu dinheiro render mais. Descubra 7 mitos e verdades sobre investimentos!