Tipos de empréstimos: conheça todas as categorias e identifique a ideal para o seu perfil

É bom entender como funciona cada maneira de pedir crédito para ver qual a mais adequada à sua necessidade

Mais crédito
para você
Por Rodrigo Chiodi

  

*Texto atualizado em 01.10.2021 

Existem diversos tipos de empréstimos para quem está buscando dinheiro para realizar objetivos e sonhos. Cada um deles têm características diferentes que combinam com os mais diversos perfis e necessidades.

Além disso, alguns deles pedem garantias como imóveis, automóveis ou mesmo valores relacionados ao saldo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). 

Existem ainda empréstimos que só podem ser pedidos por um determinado público e, ainda, aqueles nos quais a grana deve ter finalidade específica.

Também é importante ter atenção para a cobrança de parcelas, juros e outros custos que envolvem empréstimos. Dessa forma, a parcela da dívida adquirida com eles não vai comprometer o orçamento. Um item essencial para fazer essa avaliação é o Custo Efetivo Total.  

Quadro traz categorias de empréstimos disponíveis para pessoas físicas, com explicação sobre cada uma delas: consignado, empréstimo pessoal, com garantia de FGTS, financiamento, refinanciamento, antecipação do 13º salário e da restituição do IR

 

 

 

  1. Empréstimo consignado

O empréstimo consignado é aquele que tem as parcelas da dívida descontadas na folha de pagamento, ou seja, diretamente do salário, aposentadoria ou benefício. 

Por esse motivo, essa modalidade oferece taxas de juros mais baixas quando comparada com outros tipos de empréstimo.

Ele pode ser solicitado por servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS e militares das Forças Armadas. Também está disponível para funcionários de empresas privadas que tenham convênio com instituição financeira para fazer o desconto das parcelas na folha de pagamento.

O valor de cada parcela é limitado a uma porcentagem do salário ou benefício. Esse limite é a margem consignável, que geralmente fica entre 30% e 35% da renda de quem pediu crédito consignado.

Foto mostra uma mulher com cabelos grisalhos e vestindo camisa verde, à esquerda, sendo atendida por outra mulher,  loira e cm canisa branca, à direita.  Ambas estão de máscaras e separadas por um balcão branco.

O empréstimo pessoal é um dos tipos de crédito mais comuns. Ele permite que a pessoa  consiga dinheiro emprestado após aprovação em análise de crédito por banco ou instituição financeira, chamada de credora.

Para contratar, é importante observar taxas de juros, que variam entre bancos. O CET  (Custo Efetivo Total) também deve ser comparado. Os valores podem ser usados da forma que o tomador (quem consegue o empréstimo) bem entender, como para quitar dívidas

  1. Antecipação do saque-aniversário do FGTS

O empréstimo com garantia do FGTS é um tipo de crédito que permite antecipar os valores do saque-aniversário do fundo de garantia. O Banco PAN foi o primeiro banco privado a liberar esse tipo de empréstimo de forma totalmente digital.

Qualquer pessoa com saldo no FGTS maior que R$ 400 pode pedir, até mesmo quem está com o nome negativado. O próprio dinheiro do fundo funciona como garantia e, por isso, esse crédito tem taxa geralmente menor do que outros tipos de crédito pessoal.

Quem pensa em pegar um empréstimo para comprar um automóvel ou uma casa encontra no financiamento uma boa alternativa de crédito específica para essa finalidade. Também é possível financiar carro sem entrada, se você precisar.

Após análise de crédito, é estabelecido um contrato entre quem precisa do dinheiro e uma instituição financeira que pode emprestar valores a serem usados na aquisição de bens como carro ou imóvel. O bem financiado será a garantia de pagamento da dívida.

Foto mostra um homem com olhar concentrado enquanto usa smartphone. Ele tem cabelo e barba curtos, usa camiseta manga curta azul e está em sala de estar, com sofá preto e janela ao fundo

O cheque especial também é uma forma de empréstimo. Chamada de limite especial no Banco PAN, é uma modalidade de crédito pré-aprovada. Não está disponível para todas as pessoas e, no PAN, quem pode ter o limite tem a opção de ativá-lo no momento da abertura da conta corrente.

Os valores são liberados como uma espécie de limite que pode ser usado caso o saldo na conta acabe. É possível fazer isso a qualquer momento, sem burocracia nem necessidade de contrato.

Só vale lembrar que há incidência de juros nesse tipo de empréstimo e que, se ele não for utilizado com cuidado e planejamento, pode resultar no crescimento da dívida e mais chances de inadimplência. E que em geral essas taxas são mais altas do que em outras modalidades de crédito.

  1. Crédito rotativo

O crédito rotativo do cartão de crédito é um tipo de empréstimo concedido quando clientes pagam um valor maior do que o mínimo da fatura, mas menor do que o valor total. Esse recurso só pode ser usado uma vez por mês.

Quando a fatura chega, caso o valor total não seja quitado até o vencimento, a diferença entre o valor pago e o valor total será considerada como crédito rotativo. Esse empréstimo tem juros que devem ser pagos na fatura do cartão seguinte, junto com o saldo devedor. 

  1. Empréstimo pessoal com garantia

O empréstimo com garantia exige um bem que assegura o pagamento da dívida. É possível usar veículo, imóvel ou saldo do FGTS, por exemplo. Devido à garantia, as taxas e juros são menores do que outras modalidades de crédito. 

Caso o pagamento das parcelas seja atrasado ou quem pegou o crédito fique inadimplente, corre-se o risco de perder o bem. A instituição financeira só buscará essa solução se não houver acordo para quitar o empréstimo.

  1. Antecipação da restituição do Imposto de Renda

Quem vai receber restituição do Imposto de Renda, mas precisa do recurso antes da liberação do dinheiro pela Receita Federal, consegue fazer isso por meio de um empréstimo. 

Para isso, é preciso ser correntista de um banco e indicar a instituição na declaração de IR. A dívida deve ser paga até o mês de dezembro do ano em que a restituição é depositada.

É uma alternativa para utilizar o dinheiro que, de toda forma, já seria pago na forma de restituição, mas sem precisar aguardar o lote de pagamentos da Receita Federal. Com isso, é possível obter a grana de forma antecipada.

Com funcionamento semelhante ao tipo de empréstimo anterior, a antecipação do 13º salário também deve ser paga até o final do ano. 

Essa modalidade pode ser usada tanto por assalariados quanto por outras categorias que também recebem valores de 13º, como aposentados e pensionistas.

É uma alternativa para quem precisa de dinheiro agora e não pode esperar o pagamento do 13º, que geralmente só acontece a partir de novembro e dezembro. É importante verificar se o banco permite antecipar o valor total ou parcial.

  1. Refinanciamento de imóvel ou veículo

Foto mostra pilha de moedas amarelas em ordem crescente ao lado de chave de carro, que está ao lado de calculadora. Os objetos estão em cima de papel, e tudo está em uma mesa de madeira.

É possível obter dinheiro emprestado com o refinanciamento de veículo ou de imóvel. Para isso, é preciso entregar um bem quitado em seu nome, como carro ou casa, que funcionará como garantia de que a dívida será paga.

Por haver garantia, as instituições conseguem oferecer juros menores e prazos de pagamento estendidos quando comparados com outros empréstimos. Mas é essencial lembrar que, se a dívida não for quitada, corre-se o risco de perda do bem.

  1. Empréstimo por penhor

O penhor não é muito utilizado no Brasil, mas é um empréstimo no qual é feita a transferência da posse de um bem para garantir o pagamento de uma dívida. As garantias são variadas e podem ser joias, carros ou máquinas industriais, por exemplo.

Não há análise de crédito e quem precisa do crédito sai com a grana na hora. É fundamental não atrasar o pagamento do empréstimo, pois o bem pode ser leiloado. A propriedade volta para o nome de quem solicitou o crédito depois de a dívida ser quitada.

Foto mostra uma mulher segurando smartphone com a mão esquerda, enquanto olha com atenção para a tela, e segurando cartão na mão direita. A mulher tem cabelos crespos e usa camisa manga longa branca. Há paredes brancas ao fundo.

O cartão de crédito é um recurso emitido por um banco ou instituição financeira que permite compras de produtos e serviços, pagamentos, transferências e saques em dinheiro. É estabelecido um limite para uso e as compras podem ser parceladas.

Todo mês, a pessoa titular do cartão recebe a fatura, que traz a quantia gasta naquele período e os valores para pagamento. Há cobrança de juros caso não seja pago o valor total da fatura, o que faz clientes caírem no crédito rotativo.

Já o cartão de crédito consignado é o cartão de crédito que pode ser solicitado pelo mesmo público que tem direito ao empréstimo consignado, que falamos lá no começo do texto. Esse tipo de cartão tem o mesmo uso do cartão de crédito comum.

Parte do saldo da fatura é descontada de forma automática do contracheque ou conta salário, limitado em geral a 5% da renda do cliente. O valor restante deve ser pago pela pessoa titular do cartão consignado.

De forma geral, a taxa de juros desse cartão é menor do que os cartões comuns, o que marca uma das diferenças entre o cartão de crédito comum e o consignado.

Precisa de dinheiro? Consiga empréstimo na hora, pelo celular e sem pegadinhas. Contrate agora com o Banco PAN!