Por que guardar dinheiro é uma questão de compromisso e foco

Ter organização, foco e compromisso com suas metas financeiras é essencial pra juntar uma grana ao longo do tempo

Renda
Extra
Por Rodrigo Chiodi

*Texto atualizado em 20.10.2021

Tem quem pense que guardar dinheiro é um hábito só de quem já tem grana ou é de família rica. Porém, é possível juntar grana sem depender do acaso, sorte ou de ganhar na loteria ou receber herança.

Acumular dinheiro depende muito mais de compromisso para reservar uma quantia dos ganhos todo mês e de ter foco nas suas metas financeiras e sonhos. Ter grana permite realizar uma série de objetivos que fazem a diferença na nossa vida:

  • Viajar;

  • Comprar um carro;

  • Conseguir a casa própria;

  • Pagar os estudos;

  • Viver com mais conforto.

É possível guardar dinheiro mesmo ganhando pouco. Existem alguns hábitos e ideias que ajudam a manter o compromisso, foco e a organização financeira. Tudo isso ajuda a separar uma parte dos ganhos e, com isso, juntar grana sempre.

Ideias para você guardar dinheiro

A influenciadora Ana Bochi gravou um vídeo falando do assunto, que serviu de inspiração para este post:

Separe o valor a ser guardado todo mês

Uma boa ideia é separar um valor que você pretende guardar, como se fosse pagar um boleto. Se, no final do mês, sobram por exemplo R$ 600,00 na conta, programe-se para gastar R$ 400,00 com esse compromisso financeiro.

É como se houvesse um boleto de R$ 400,00 todo mês para ser pago, mas o valor será guardado. Assim, vão sobrar R$ 200,00 para serem gastos como você preferir. Senão, aqueles R$ 600,00 que sobraram podem ser desperdiçados e não terá nada para guardar.

Crie hábitos para juntar grana

foto mostra uma mulher olhando com atenção para um pote transparente com moedas dentro, para transmitir a ideia de guardar dinheiro. A mulher é negra, tem cabelo com tranças e suas mãos aparecem em destaque ao segurar o pote.

A dica anterior é um hábito que ajuda a guardar dinheiro. Ao separar uma quantia mensal como se fosse o pagamento de uma conta, a quantia já não estará disponível para uso. Com isso, fica mais fácil garantir que esse valor será reservado de forma recorrente.

Além disso, também dá para adotar hábitos que ajudam a economizar, como ter um bom planejamento financeiro, fazer mais comida em casa do que gastar fora, fazer listas de compras antes de ir ao supermercado e outras ações cotidianas.

Também existem boas práticas em casa que permitem guardar mais dinheiro ao economizar com gastos como a energia elétrica. Com isso, além de evitar o desperdício de energia, é possível pagar menos na conta de luz.

Não fique inadimplente e pague dívidas

O ideal é reduzir ou mesmo eliminar dívidas para conseguir guardar dinheiro de forma efetiva. Com isso, nada deixará de ser pago e não haverá cobrança de juros e multas para consumirem parte do seu orçamento.

Além disso, se a inadimplência é uma realidade na sua vida, é importante ficar em dia com os compromissos financeiros antes de começar a juntar grana. Isso porque não adianta separar uma parte dos ganhos para guardar e deixar de pagar os boletos de dívidas.

Organize o pagamento de contas e de dívidas para não ficar inadimplente e, ao mesmo tempo, separar uma parte dos ganhos. Depois de quitar tudo, é possível guardar o valor usado nos pagamentos, por exemplo.

Anote e controle seus ganhos e gastos

foto de um homem olhando com atenção para tela de tablet que está segurando. Ele é branco, cadeirante, usa óculos, tem cabelo e barba grisalhos e veste camisa jeans e calça bege, e está com parede branca ao fundo e mesa com xícara e vaso pequeno à frente.

É importante registrar todos os seus ganhos e, também, os gastos do mês. Isso permite ver de forma ampla onde entra dinheiro e para onde ele tem sido destinado. Sem esse acompanhamento, é provável que os gastos sejam maiores do que os ganhos.

Gastar mais do que se ganha é péssimo para qualquer pessoa ou família que deseja guardar dinheiro. Logo, anote os rendimentos e também as despesas para encontrar oportunidade de economia, ao reduzir ou mesmo cortar gastos.

Os registros ajudam no controle financeiro e indicam possibilidades de reserva. Se você ganha mais do que gasta, a diferença entre despesas e receitas pode ser guardada.

Tenha metas financeiras

Ter sua meta financeira ajuda a realizar objetivos e sonhos. Por isso, defina o que você deseja realizar. Pode ser uma viagem, a aquisição de um carro, a entrada para o financiamento de imóvel ou outra conquista que necessite de grana.

Após definir a meta, avalie o valor dessa realização e quanto tempo é preciso para juntar dinheiro suficiente para transformar o sonho em realidade. Assim, fica mais fácil entender quanto dos rendimentos você deve guardar.

Por exemplo: sua meta financeira envolve uma viagem de R$ 5.000,00 daqui a 12 meses. Para realizá-la, será preciso juntar pouco mais de R$ 416,00 mensalmente.

Usar a regra 50-15-35

foto destaca mãos de uma pessoa segurando 2 notas de 50 reais e 1 de 100 reais diante de caderno com anotações.

Outro truque que ajuda bastante na hora de organizar as finanças e juntar grana é seguir a regra 50-15-35, que diz o seguinte sobre dinheiro:

  • Separe 50% dos seus ganhos para despesas básicas, como aluguel, parcelas de financiamento, supermercado, transporte, contas de luz, água e internet e qualquer outro gasto que seja considerado básico na sua vida;

  • Reserve 15% para as prioridades financeiras, como o pagamento de dívidas, assim evita-se que juros consumam seus ganhos. Se não tiver dívidas, invista essa grana em aplicações de renda fixa ou variável;

  • Os 35% que sobram podem ser usados em seu estilo de vida, como na academia, passeios, restaurantes e outros tipos de lazer, que também são importantes.

Também existe uma variação dessa regra, a 50-30-20 que estabelece 50% da renda para gastos básicos (conta de luz, água, internet, moradia etc.), 30% com lazer ou imprevistos (inclusive para formar uma reserva de emergência), e 20% para guardar e investir.

Quando começar a guardar grana?

Nunca é tarde para começar a juntar dinheiro. O mais importante é organizar as finanças e iniciar o quanto antes. Caso esteja devendo dinheiro ou com dívidas demais, pode ser interessante quitar tudo antes de começar a guardar grana.

Caso já esteja no azul, o momento é agora. E, acredite, o fim de ano que se aproxima pode ajudar a acelerar o ritmo. Afinal, muitas pessoas aproveitam para melhorar os planos de economia pessoal na virada do ano.

A revista norte-americana Forbes faz essa recomendação. “Para muitas pessoas, a chegada do ano novo ou início de um novo período é um ótimo lembrete de que é possível melhorar de alguma maneira as suas finanças pessoais”, escreve a publicação.

A revista sugere, por exemplo, que você tente economizar no ano novo 1% mais do que economizou no ano anterior. Por exemplo, se em 2021 você guardava R$ 400, pode tentar guardar R$ 404 por mês a partir de 2022. 

Nesse exemplo, uma pessoa que guardou R$ 400,00 todo mês em 2021 terá acumulado R$ 4.800,00 no fim do ano. Se no próximo ano forem reservados R$ 404,00 mensais, ao final de 2022 o valor acumulado será um pouco maior: R$ 4.848,00.

Outro recurso que ajuda a guardar dinheiro é fazer investimentos. Uma maneira de começar é conhecer as aplicações de renda fixa. Saiba mais sobre essa modalidade de investimento!